O desenvolvimento do ecoturismo na Praia da Barrinha na Ilha das Canárias (MA)

Autores

  • Mayara Maia Ibiapina Universidade Federal do Piauí, Teresina, PI

DOI:

https://doi.org/10.34024/rbecotur.2016.v9.6589

Palavras-chave:

Ecoturismo, Etnoconhecimento, Praia da Barrinha.

Resumo

Apesar do ecoturismo ser caracterizado incialmente pelo contato com áreas naturais, é preciso entender seu real significado, sua atuação deve estar ligada a uma relação entre interpretação, conservação e sustentabilidade, incentivando o turismo consciente e disseminando o conhecimento sobre a natureza. Dentro dessa perspectiva o presente estudo buscou reunir informações sobre a Praia da Barrinha na Ilha das Canárias MA, investigando as possibilidades para o desenvolvimento do ecoturismo nessa área. A metodologia utilizada foi a etnoecologia ou etnoconhecimento, que utiliza o conhecimento dos autóctones para encontrar possíveis atrativos na praia. A pesquisa tem caráter qualitativo e exploratório, utiliza a aplicação da metodologia conhecida como bola de neve ou snowball para definir a amostra que participou das entrevistas estruturadas que fundamentaram a formação de um diagnóstico sobre a região. Além disso, foram feitas pesquisas de campo para a realização de fotografias que foram indispensáveis para a formação de um inventário preliminar de atrativos ecológicos da praia. Dessa forma a criação de um diagnóstico do local revelou que apesar da área dispor de muitos atrativos ecológicos ela possui pouca visitação, as pessoas que frequentam a praia são na maioria pescadores provenientes das comunidades próximas, ela apresenta ainda um ambiente ecologicamente sensível que necessita de planejamento e utilizando as diretrizes das práticas de turismo sustentável podendo subsidiar futuros estudos de planejamento, uso e manejo da Praia de Barrinha MA, pois o ecoturismo tem capacidade de trazer benefícios sociais e ambientais e ainda ser perfeitamente rentável. The ecotourism development on the Barrinha Beach, Ilha das Canarias (MA, Brazil) Althoug ecotourism be characterized initially by contact with natural áreas it must be understood, conservation anda sustainability, encouraging the tourism conscious and disseminating knowledge about nature. Within this perspective, the presente study seeks to gather information on the Barrinha Beach in the Ilha das Canárias MA, investigating the possibilities for the development of ecoturismo in this área, but few bibliographic information was found from the beach . the methodology used was ethnoecology_ethnic knowledge, using the knowledge of indigenous possible to find attractive on the beach. The quantitative research is exploratory and uses the application of the methodology know as snowball to set the sample whoparticipated in structured interviews, which supported the formation of a diagnosis of the region. In addition, field surveys were make, for holding photopraphs that were indispensable for the formation of a preliminary inventory of ecologial attractions of the beach. Thus the establishment of a diagnosis of the local revealed that although the área have many ecological attractions in has little visitation. People who frequent the beach are mostly fishermen from the nearby communities, it also presents an ecologically sensitive environment which requires planning and using the guidelines of sustainable tourism practices can facilitate future studies of planning, use and management of Praia da Barrinha MA because ecotourism has the capacity to bring social and environmental benefits and still be perfectly profitable. KEYWORDS: Ecotourism; Ethnoecology; Barrinha Beach.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mayara Maia Ibiapina, Universidade Federal do Piauí, Teresina, PI

Técnica em Meio Ambiente (IFPI, 2014), Turismóloga (UFPI, 2015) e Mestranda em Sociologia(UFPI) e pesquisadora sobre questões socioambientais.

Downloads

Publicado

2016-11-30

Como Citar

Ibiapina, M. M. (2016). O desenvolvimento do ecoturismo na Praia da Barrinha na Ilha das Canárias (MA). Revista Brasileira De Ecoturismo (RBEcotur), 9(6). https://doi.org/10.34024/rbecotur.2016.v9.6589
Recebido em 2016-08-30
Aceito em 2016-09-16
Publicado em 2016-11-30

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)