Parque Natural Municipal da Paisagem Carioca: ecoturismo e sustentabilidade

Autores

  • Laura Sinay Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ
  • Maria Cristina Fogliatti de Sinay Universidade do Grande Rio, Rio de Janeiro, RJ
  • Ingrid Almeida de Barros Pena Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ

DOI:

https://doi.org/10.34024/rbecotur.2014.v7.6388

Palavras-chave:

Áreas Protegidas, Ecoturismo, Manejo Adaptativo.

Resumo

Por conta dos megaeventos, da relativa pacificação da cidade e do consequente aumento do fluxo turístico no Rio de Janeiro, foi previsto que o número de visitantes nas áreas protegidas cariocas duplicará entre 2012 e 2014, trazendo novos desafios à gestão das unidades de conservação do Rio de Janeiro. Assim, diferentes estratégias estão sendo colocadas em prática para aumentar a efetividade da conservação, quais sejam a criação do Mosaico Carioca, grupo gestor que cuida da gestão conjunta das quase trinta áreas protegidas da cidade, a implantação de uma trilha de longo curso e a redefinição dos limites das unidades já criadas. Nesse contexto, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Conservação do Rio solicitou à Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO um estudo sobre o uso público e sobre diferentes estratégias de gestão para três unidades justapostas e praticamente abandonadas pelo poder público, as Áreas de Proteção Ambiental dos Morros São João e Babilônia e Leme e Urubu, e do Parque Estadual do Chacrinha. Esse estudo foi o 1o a especificamente diagnosticar os usos dessa ‘ilha natural’ em meio a urbes carioca e a propor a união dessas três unidades em um Parque, fundamentado nas potencialidades do ecoturismo, incluindo a proteção da natureza, a educação ambiental e a geração de emprego e renda para a população do entorno. Esse Parque, denominado Parque Natural Municipal da Paisagem Carioca, foi criado pelo prefeito do Rio de Janeiro em Junho de 2013, sendo o 1o no Brasil a ser criado com base em estudos sociais / turísticos e não em estudos biológicos / ambientais, rompendo, assim, um velho paradigma. Este artigo apresenta alguns dos resultados do estudo mencionado. Tendo como foco o uso público atual, a saber ecoturismo, educação ambiental e atividades de lazer ao ar livre, este artigo apresenta as três unidades e avalia cinco diferentes estratégias de gestão. Municipal Natural Park of Carioca Landscape (RJ, Brazil): ecotourism and sustainability ABSTRACT Due to the megaevents planned for the next years, to the pacification of the city and to the consequent increase in the tourism flow visiting the city of Rio de Janeiro, it was foreseen that the number of visitors in the cariocas’ protected areas would duplicate between 2012 and 2014, bringing new challenges to the management of the mentioned areas. Thus, different strategies to increase the effectiveness of conservation are being applied. For example, a management group, namely Carioca Mosaic, was established to allow joint management of Rio’s thirty protected areas, a long course track is being implemented and the limits of the areas are being redefined. In this context, the Environment and Conservation Department of the Rio de Janeiro City requested to the Federal University of the State of Rio de Janeiro - UNIRIO studies about the public use and management of three protected areas largely abandoned by the public power. These units are: São João and Babilonia Mounts Protected Area, Leme and Urubu Mounts Protected Area and the Chacrinha State Park. This present study is the first one to diagnose the use of this "natural island" and to propose their junction in one Park. This proposal was based on ecotourism potentialities, such as the protection of nature, environmental education and of job and income generation for nearby populations. This article presents the three mentioned protected areas and the evaluation of five different management strategies, pointing out the best one of then, which was the creation of the Municipal Natural Park of the Carioca Landscape, already inaugurated by the major of the Rio de Janeiro City in June 2013. This is the first Brazilian Park created based on tourism social studies and not on environmental and biological research, breaking, thus, an old paradigm. In this paper, the three natural areas are presented and five different managerial strategies are evaluated. KEYWORDS: Protected Areas; Ecotourism; Adaptive Management.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laura Sinay, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ

Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO Departamento de Turismo e Patrimônio Núcleo de Gestão Ambiental

Ingrid Almeida de Barros Pena, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ

Mestranda em Desenvolvimento Territorial e Políticas Públicas pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Pós-graduanda em Gestão Ambiental pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) & Instituto PNUMA Brasil e Graduada em Turismo pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), onde atua como pesquisadora do grupo de pesquisa "Espaço e Turismo: dimensões sócioambientais". Atualmente é Presidente da Associação de Amigos do Mosaico Carioca, uma associação civil sem fins lucrativos, que tem por finalidade apoiar e desenvolver ações para a conservação e desenvolvimento das unidades de conservação do Mosaico Carioca. Dedica-se atualmente às pesquisas na área de Desenvolvimento territorial e Áreas Protegidas e Mosaicos de Áreas Protegidas.

Downloads

Publicado

08/27/2014

Como Citar

Sinay, L., Sinay, M. C. F. de, & Pena, I. A. de B. (2014). Parque Natural Municipal da Paisagem Carioca: ecoturismo e sustentabilidade. Revista Brasileira De Ecoturismo (RBEcotur), 7(3). https://doi.org/10.34024/rbecotur.2014.v7.6388
Recebido: 2013-10-31
Aceito: 2014-07-25
Publicado: 2014-08-27

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.