Pegada de dióxido de carbono (CO2) dos visitantes do município de Cajueiro da Praia (PI)

Autores

  • Rodrigo de Sousa Melo Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPar), Parnaíba, PI
  • Tércia da Silva Gomes Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPar), Parnaíba, PI
  • Naellen Costa dos Santos Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPar), Parnaíba, PI
  • Anna Rachel dos Santos Veras Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPar), Parnaíba, PI
  • Ruceline Paiva Melo Lins Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPar), Parnaíba, PI

DOI:

https://doi.org/10.34024/rbecotur.2023.v16.13910

Palavras-chave:

Turismo, Pegada de carbono, Cajueiro da Praia

Resumo

O turismo é uma atividade socioeconômica de grande relevância para os destinos turísticos costeiros, mas quando não desenvolvida em bases sustentáveis pode contribuir com as mudanças climáticas em curso, a partir do acréscimo da pegada de dióxido de carbono (CO2) do setor. Cajueiro da Praia (PI) é um emergente destino costeiro do estado do Piauí, com fluxo crescente de visitantes domésticos e internacionais, e sem o devido monitoramento das emissões de CO2 produzidas pela população flutuante. Assim, este artigo objetivou estimar a pegada de CO2 direta do turismo no referido destino, com ênfase nos setores de transporte e meios de hospedagem (consumo de energia elétrica). A metodologia proposta baseou-se na aplicação de entrevistas estruturadas com visitantes e gestores dos meios de hospedagem para coleta de dados primários, e no emprego de fatores de conversão reconhecidos internacionalmente para a estimativa da pegada de CO2.  Os resultados apontaram a predominância do uso de transportes rodoviários (93,79%), principalmente automóveis próprios (61,8%), para chegar ao destino investigado, estes responderam por 35,14% (4.166,43 KgCO2) da pegada de carbono dos transportes no munícipio. A despeito do transporte aéreo ter sido utilizado por 6% dos visitantes, dado a significativa pegada de carbono da aviação, este respondeu por 58,75%  (6.966,61 KgCO2) das emissões totais de CO2 da categoria transporte. Em relação ao consumo de energia elétrica nos meios de hospedagem, registrou-se o consumo diário por UH de 41,68 kWh, com a pegada de carbono em 143,40 KgCO2, derivado sobretudo dos usos de aparelhos de ar-condicionado e chuveiro elétrico.  Com isso, observou-se que a pegada de carbono do turismo na cidade de Cajueiro da Praia (PI), pode ser minimizada através da adoção de ações educativas, gerenciais e tecnológicas para promover a mobilidade e a hospedagem em bases sustentáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AAFA - AGÊNCIA AMBIENTAL FEDERAL ALEMÃ. Climate change in Germany: Vulnerability and Adaption of climate sensitive sectors. Dessau, 2005.

ALVES, J. E. D. As emissões globais de CO2 por nível de renda. EcoDebate. 2019. Disponível em: <https://www.ecodebate.com.br/2020/03/27/as-emissoes-globais-de-co2-por-nivel-de- renda-artigo-de-jose-eustaquio-diniz-alves/>. Acesso em: 02 de mar. de 2021.

BECKEN, S. Analysing International Tourist Flows to Estimate Energy Use Associated with Air Travel. Journal of Sustainable Tourism. [s. l.], v. 10, n. 2, 2002.

BECKEN, S.; PATTERSON, M. Measuring national carbon dioxide emissions from tourism as an important step towards achieving sustainable tourism. Journal of Sustainable Tourism, [s. l.], v.14, n. 4, 2006.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Área de Proteção Ambiental Delta do Parnaíba, 2021. Disponível em: <https://www.gov.br/icmbio/pt-br/assuntos/biodiversidade/unidade-de-conservacao/unidades-de-biomas/marinho/lista-de-ucs/apa-delta-do-parnaiba/informacoes-sobre-visitacao-apa-delta-do-parnaiba/area-de-protecao-ambiental-delta-do-parnaiba/>. Acesso em: 02 out. 2021.

BRASIL. Ministério do Turismo. Viagens de ônibus empatam com viagens de carro no Brasil. Ministério do Turismo. In: CheckMyBus, 2017. Disponível em: <https://blog.checkmybus.com.br/noticias/viagens-de-onibus-empatam-com-viagens-de-carro-no-brasil-073/>. Acesso em: 06 set. 2020.

BRASIL. Ministério do Turismo. Vontade de viajar cresce com o grau de escolaridade, 2013. Disponível em: <http://antigo.turismo.gov.br/%C3%BAltimas-not%C3%ADcias/1124-vontade-de-viajar-cresce-com-o-grau-de-escolaridade.html>. Acesso em: 09 mar. 2022.

CADARSO, M.A.; GÓMEZ, N..; LÓPEZ, L.A.; TOBARRA, M. Calculating tourism's carbon footprint: measuring the impact of investments. Journal of Cleaner Production, [s. l.], v.111, 2016.

CNT - Confederação Nacional do Transporte. Pesquisa CNT de rodovias: relatório gerencial. Brasília: CNT/SEST/SENAT, 2012.

COELHO, Mariana de F. O que Atrai o Turista? Gestão da Competitividade de Destinos a Partir de Atrações e da Atratividade Turística. Revista Rosa dos Ventos - Turismo e Hospitalidade. [s.l.], v. 7, 2015.

CONEFREY, A.; HANRAHAN, J. Comparative analysis of national tourism decarbonisation plans. European Journal of Tourism Research, [s. l.] , v. 31, 2022.

DEFRA - Department for Environment, Food & Rural Affairs. Guidelines to DEFRA's GHG conversions factor. London, 2012.

DIAS, G. F. Pegada ecológica e sustentabilidade humana. São Paulo: Gaia, 2002.

DUTRA, A.S.; PEREIRA, R.M.F.A. O município de Cajueiro da Praia (PI), Brasil: características naturais e a conservação de um patrimônio socioambiental. Resgate: Revista Interdisciplinar de Cultura, Campinas, SP, v. 23, n. 2, 2015.

DWYER, L.; FORSYTH, P.; SPURR, R.; HOQUE, S. Estimating the carbon footprint of Australian tourism. Journal of Sustainable Tourism, [s. l.], v. 18, 2010.

FILIMONAU, V.; DICKINSON, J.; ROBBINS, D.; REDDY, M. V. The role of “indirect” greenhouse gas emissions in tourism: Assessing the hidden carbon impacts from a holiday package tour. Transportation Research Part A: Policy and Practice, [s. l.], v. 54, 2013.

FILIMONAU, V.; J. DICKINSON; D. ROBBINS. The Carbon Impact of Short-haul Tourism: A Case Study of UK Travel to Southern France Using Life Cycle Analysis. Journal of Cleaner Production, [s. l.], v 64, n. 1, 2014.

FIRMINO, A. M.; SANTOS, H. N.; PINA, J. H. A.; RODRIGUES, P. O.; FEHR, M. A relação da pegada ecológica com o desenvolvimento sustentável / cálculo da pegada ecológica de Toribaté. Caminhos de Geografia, Uberlândia. v. 10, n. 32, 2009.

GNF - Global Footprint Network. 2016. Disponível em: <https://www.footprintnetwork.org/>. Acesso em: 02 out. 2021.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. Atlas, 5. ed, 1999.

GÖSSLING, S.; GARROD, B.; AALL, C.; HILLE, J.; PEETERS, P. Food management in tourism: Reducing tourism’s carbon foodprint. Tourism Management, [s. l.], v. 32. n. 3, 2011.

HANANDEH, A.E. Quantifying the carbon footprint of religious tourism: the case of Hajj. Journal of Cleaner Production, [s. l.], v. 52, n. 1, 2013.

IPCC - INTERGOVERNMENTAL PANEL ON CLIMATE CHANGE. Guidelines for National Greenhouse Gas Inventories, Prepared by the National Greenhouse Gas Inventories Programme. Eggleston H.S., Buendia L., Miwa K., Ngara T. and Tanabe K. (eds). Published: IGES, 2006.

KELLY, J..; WILLIAMS, P.W. Modelling Tourism Destination Energy Consumption and Greenhouse Gas Emissions: Whistler, British Columbia, Canada. Journal of Sustainable Tourism, [s. l.], v. 15, n. 1, 2007.

KITAMURA, Y.; ICHISUGI, Y.; KARKOUR, S.; ITSUBO, N. Carbon Footprint Evaluation Based on Tourist Consumption toward Sustainable Tourism in Japan. Sustainability, [s. l.], v. 12. n. 6, 2020.

KONAN, D. E.; CHAN, H. L. Greenhouse gas emissions in Hawaiʻi: Household and visitor expenditure analysis. Energy Economics, [s. l.], v.32, n. 1, 2010.

KUO, NW; CHEN, PH. Quantification of energy use, carbon dioxide emissions and other environmental loads from island tourism based on a life cycle assessment approach. Journal of Cleaner Production, [s.l.], v. 17, n. 15 2009.

LEH, C., FAUZIAH et al. Low-Carbon Tourism Approach as an Alternative Form for Tourism Development: A Review for Model Development. Pertanika Journal of Social Sciences and Humanities. [s.l.], v. 29, n. 4, 2021.

LENZEN, M.; SUN, YY; FATURAY, F.; TING, YP; GESCHKE, A.; MALIK, A. The carbon footprint of global tourism. Nature Climate Change, [s.l.], v. 8, n. 6, 2018.

LI, Q.; TANG, M.; LI, C. A study on the multiobjective optimization model for tourism development – Take Shanghai as example. Tourism Economics, [s.l.], v. 27, 2020.

LIMA, I. R. C.; SILVEIRA, F. E. B. Análise comparativa da oferta e demanda de passagens aéreas no brasil, de 2000 a 2018. Revista Brasileira de Aviação Civil & Ciências Aeronáuticas, [s. l.], v. 1, n. 1, 2021.

LIN, TZU-PING. Carbon dioxide emissions from transport in Taiwan's national parks. Elsevier, [s. l.], v. 31, n. 2, 2010.

MACEDO, E.M. O turismo na Praia Grande de Barra Grande/PI: impactos e contribuições ao desenvolvimento local. 2012. Dissertação (Mestrado em Turismo) – Universidade de Brasília, Brasília. 2012. Disponível em: <https://repositorio.unb.br/handle/10482/9239>. Acesso em: 02 out. 2021.

MELO, R S.; BRAGA S. S.; LINS, R. P. Contribuição dos meios de hospedagem para as emissões diretas de dióxido de carbono (CO2) na cidade de Parnaíba (Piauí, Brasil). Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, São Paulo, v. 15, n. 2, 2021.

MELO, R.S.; MONTEIRO, M.S.L.; BRITO, A.S. Desenvolvimento Turístico e Sustentabilidade na Unidade de Conservação APA do Delta do Parnaíba (PI). Revista Brasileira de Ecoturismo, São Paulo, v.11, n. 3, 2018.

MOURA, L. A. A importância do transporte para logística empresarial. Uberlândia: UFU-Instituto de Geografia, 2008.

OMT- Organização Mundial Do Turismo. Climate change and tourism – Responding to global changes, Madri, 2008. Disponível em: <https://www.unwto.org/archive/global/news/2011-08-16/climate-change-and-tourism-responding-global-challenges>. Acesso em: 15 set. 2021.

PAPATHEODOROU, Andreas. A review of research into air transport and tourism: Launching the Annals of Tourism Research Curated Collection on Air Transport and Tourism. Annals of Tourism Research. [s. l.], v. 87, 2021.

PEREIRA, R. T; GALO, N. Avaliação da pegada de carbono em transportes: o caso da ligação Goiânia-Brasília. Anais do 33º Congresso de Pesquisa e Ensino de Transporte da ANPET, Balneário Camboriú – SC, 2019. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/339786398>. Acesso em: Acesso em: 21 abr. 2022.

RICO, A. et al. Carbon footprint of tourism in Barcelona. Tourism Management, [s.l.], v. 70, 2019. DOI: https://doi.org/10.1016/j.tourman.2018.09.012.

SUN, YY. A framework to account for the tourism carbon footprint at island destinations. Tourism Management, [s.l.], v. 45, 2014.

YU-GUO, T.; ZHEN-FANG, H. Review of accounting for carbon dioxide emissions from tourism at different spatial scales. Acta Ecologica Sinica, v. 34, 2014, p. 246-254.

WHITTLESEA, E. R; OWEN, A. Towards a low carbon future – the development and application of reap tourism, a destination footprint and scenario tool. Journal of Sustainable Tourism, [s.l.], v. 20, n. 6, 2012.

Downloads

Publicado

05/11/2023

Como Citar

Melo, R. de S., Gomes, T. da S., Santos, N. C. dos, Veras, A. R. dos S., & Lins, R. P. M. (2023). Pegada de dióxido de carbono (CO2) dos visitantes do município de Cajueiro da Praia (PI). Revista Brasileira De Ecoturismo (RBEcotur), 16(2). https://doi.org/10.34024/rbecotur.2023.v16.13910

Edição

Seção

Artigos
Recebido: 2022-05-20
Aceito: 2023-02-13
Publicado: 2023-05-11

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.