Projeção de rotas ciclo turísticas no interior de Pernambuco

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/rbecotur.2021.v14.11845

Palavras-chave:

Sustentabilidade; Regionalização do turismo; Ecoturismo.

Resumo

O ciclo turismo é uma atividade turística realizada com bicicletas, que podem trazer vantagens na área da saúde e da economia, podendo gerar trabalho, emprego e renda para as comunidades contempladas com a criação de rotas. O trabalho teve como objetivo principal conhecer as práticas e as características do ciclo turismo em Pernambuco e propor a criação de rotas ciclo turísticas na Zona da Mata Sul do estado, que possui o segundo menor índice de incidentes com bicicletas em Pernambuco. Desta forma, utilizou-se de formulários para entender: o perfil do praticante no estado; o que eles consideram importantes numa rota; entrevistar especialistas para definir critérios, hierarquizá-los para definir os municípios postulantes. Para isso, utilizou-se o método “Analytic Hierarchy Process” - AHP, que entre outras coisas, auxilia na tomada de decisão. Os resultados mostraram que dos 24 municípios da região estudada, sete deles reuniam as melhores condições para implantação de uma rota, em função das riquezas naturais, culturais e infraestrutura, que foram considerados critérios indispensáveis pelos entrevistados. Desta forma foi possível a projeção de 3 rotas ciclo turísticas que podem ajudar na potencialização da economia local, se transformados em um produto a ser comercializado por agências de turismo e gestores.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BDE, PE. Base de dados do Estado de Pernambuco. Relação dos municípios que compõem a Zona da Mata Sul. Disponível em: <http://www.bde.pe.gov.br/visualizacao/Visualizacao_formato2.aspx?CodInformacao=798&Cod=1> Acesso em agosto de 2019.

BRASIL, MINISTÉRIO DO TURISMO. GLOSSÁRIO DE TURISMO. Compilação de termos publicados por Ministério do Turismo e Embratur nos últimos 15 anos. Brasília, Ministério do Turismo, 44 p., 2018.

CAMARGO, L. J. J.; CAMARGO, C. M. J.; RONDON, E. V.; QUEIROZ, H. P. B.; SANTOS, S. R., FAVERO, S., MERCANTE, M. A. Análise da sustentabilidade do turismo ecológico no município de Bonito, Mato Grosso do Sul na promoção do desenvolvimento regional. Sociedade & Natureza, Uberlândia, v. 23, n 1 p.65-75, 2011.

FAVRETTO, J.; NOTTAR, L. A. Utilização da metodologia Analytic Hierarchy Process (AHP) na definição de um software acadêmico para uma instituição de ensino superior do Oeste Catarinense. Revista Sistemas & Gestão, v. 11, n. 2, 2016.

GOUVEIA, L. A.; GOSLING, M.; COELHO, M. F.; PEREIRA, G. A. Fatores que influenciam a intenção de compra de viagens de ecoturismo e turismo de aventura. Revista Brasileira de Ecoturismo, São Paulo, v.7, n.3, p.551-575, 2014.

GOVERNO DE SANTA CATARINA. Circuito de ciclo turismo: Manual de incentivo e orientação para os municípios brasileiros. UDESC – Universidade do Estado de Santa Catarina, 19 p., 2010.

LEE, T. H. A. Structural Model to Examine How Destination Image, Attitude, and Motivation Affect the Future Behavior of Tourists. Leisure Sciences, v. 31, n. 3, p. 215–236, 2009.

MAPIE CONSULTORIA. O futuro da hotelaria. Revista Hotelnews, São Paulo, abril de 2016. Disponível em:<https://www.revistahotelnews.com.br/mapie-lanca-pesquisa-sobre-o-futuro-da-hotelaria/>. Acesso em: agosto de 2019.

MARANHÃO, C. H. S.; AZEVEDO, F. F. A Representatividade do Ecoturismo para a gestão pública do turismo no Brasil: uma análise do Plano Nacional de Turismo 2018-2022. Revista Brasileira de Ecoturismo, São Paulo, v.12, n.1, pp.09-35, 2019.

MARTINS, C. I. M. Turismo Rural e Desenvolvimento Sustentável O Papel da Arquitetura Vernacular. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) Universidade da Beira Interior,Covilhã, Portugal, p. 161, 2012.

MERCE, I. I.; MILIN, I. A.; MILIN, S.; DANCEA, L.; LANCU, T.; SÂMBOTIN, D. Study on development and trends of ecotourism in Romania. Agricultural Management / Lucrari Stiintifice Seria I, Management Agricol, v. 14, n. 4, p. 351-356, 2012.

MINISTÉRIO DO TURISMO. Inventário da Oferta Turística / Ana Clévia Guerreiro Lima (Coordenador) – Brasília, 38 p., 2011.

PCR. Malha cicloviária do Recife. Prefeitura do Recife, Recife, maio de 2020. Disponível em:<http://dados.recife.pe.gov.br/ne/dataset/malha-cicloviaria-do-recife#:~:text=S%C3%A3o%20170%20quil%C3%B4metros%20de%20ciclovias,funcionam%20aos%20domingos%20e%20feriados.&text=No%20Recife%2C%20as%20ciclofaixas%20que,se%20caracterizam%20como%20Ciclofaixas%20Operacionais> Acesso em: agosto de 2020.

REVISTA BICICLETA. Os benefícios de andar de bicicleta. Disponível em: <http://www.revistabicicleta.com.br/bicicleta_noticia.php?os_beneficios_de_andar_de_bicicleta&id=31258 >. Acesso em: 10 nov. 2018.

SAATY, T. L. Analytic Hierarchy Process, New York, MCGraw – Hill, 1980.

SAATY, T. L. Fundamentals of Decision Making and Priority Theory with AHP. Pittsburgh USA, RWS Publications, 330 p., 1994.

SEBRAE. Turismo rural em Pernambuco. SEBRAE Recife, 66 p., 2011.

VELASCO, C., Ramalho, G.; Massuella, L.; Reis, T.; G1; GloboNews. Malha cicloviária das capitais cresce 133% em 4 anos e já passa de 3 mil quilômetros. Caderno de Economia G1. São Paulo, agosto de 2018. Disponível em: <https://g1.globo.com/economia/noticia/2018/08/28/malha-cicloviaria-das-capitais-cresce-133-em-4-anos-e-ja-passa-de-3-mil-quilometros.ghtml>. Acesso em: março de 2019.

Downloads

Publicado

2021-11-01

Como Citar

Bezerra, T. R. Q., & Costa, E. C. de A. (2021). Projeção de rotas ciclo turísticas no interior de Pernambuco. Revista Brasileira De Ecoturismo (RBEcotur), 14(4). https://doi.org/10.34024/rbecotur.2021.v14.11845
Recebido em 2021-03-09
Aceito em 2021-07-28
Publicado em 2021-11-01