A demanda turística do Parque Estadual do Jalapão (PEJ, Tocantins, Brasil) baseada em comentários de redes sociais

Autores

  • Maria de Fátima de Albuquerque Caracristi Universidade Federal do Tocantins (UFT)
  • José Elmar Feger Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Sarah Minasi Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI)
  • João Eugenio Marynowski Universidade Federal do Paraná (UFPR)

DOI:

https://doi.org/10.34024/rbecotur.2021.v14.11406

Palavras-chave:

Demanda turística; Destino Turístico; Parque Estadual do Jalapão; Turismo ecológico.

Resumo

Este artigo tem o objetivo de caracterizar a demanda para o destino turístico Jalapão a partir de dados extraídos de plataforma digital.  Oferta e demanda são elementos essenciais nos negócios que envolvem a atividade turística. Isso porque o turismo é um complexo de serviços estruturalmente dispostos e constituídos como produto para atender aos diversos segmentos que se caracterizam pelos diferentes gostos e interesses. A quantidade demandada depende de variáveis que influenciam a escolha do consumidor: o preço, a renda, as motivações dos viajantes. O alvo desta investigação é a demanda real, aqueles que efetivamente consumiram o destino turístico Jalapão e registraram suas impressões nos comentários do TripAdvisor. Foram analisados os comentários considerando a localização, escolaridade, nível de renda e índice de urbanização. Os dados obtidos corroboram com o pressuposto de que a procedência do turista para o destino turístico Jalapão advém de locais com alta concentração de população urbana, renda e educação. A exceção é o estado do Tocantins que não apresenta os mesmos índices, mas por ser o Estado onde o Jalapão se insere, justifica a inserção como de maior recepção de turistas. Adicionalmente, as análises permitiram identificar um aumento crescente da demanda turística para o Jalapão, motivado principalmente pelos aspectos da paisagem e da natureza, dentre os quais se destacam as cachoeiras.

Este artigo tem o objetivo de caracterizar a demanda para o destino turístico Jalapão a partir de dados extraídos de plataforma digital.  Oferta e demanda são elementos essenciais nos negócios que envolvem a atividade turística. Isso porque o turismo é um complexo de serviços estruturalmente dispostos e constituídos como produto para atender aos diversos segmentos que se caracterizam pelos diferentes gostos e interesses. A quantidade demandada depende de variáveis que influenciam a escolha do consumidor: o preço, a renda, as motivações dos viajantes. O alvo desta investigação é a demanda real, aqueles que efetivamente consumiram o destino turístico Jalapão e registraram suas impressões nos comentários do TripAdvisor. Foram analisados os comentários considerando a localização, escolaridade, nível de renda e índice de urbanização. Os dados obtidos corroboram com o pressuposto de que a procedência do turista para o destino turístico Jalapão advém de locais com alta concentração de população urbana, renda e educação. A exceção é o estado do Tocantins que não apresenta os mesmos índices, mas por ser o Estado onde o Jalapão se insere, justifica a inserção como de maior recepção de turistas. Adicionalmente, as análises permitiram identificar um aumento crescente da demanda turística para o Jalapão, motivado principalmente pelos aspectos da paisagem e da natureza, dentre os quais se destacam as cachoeiras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABETA, Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura. Perfil do Turista de Aventura e do Ecoturista no Brasil. Ministério do Turismo, 2010, 96p.

BENI, M. C. Turismo: da economia de serviços à economia da experiência. Revista Turismo - Visão e Ação, v. 6, n.3, p. 296-306, 2004.

BENI, M. C. Análise estrutural do turismo. São Paulo: SENAC, 2019.

BOULLÓN, R. Planejamento do espaço turístico. Bauru: EDUSC, 2002.

CASTRO, F. J. G. Fatores explicativos da oferta e da demanda dos destinos turísticos paranaenses, 2020. 102 f. Dissertação (Mestrado em Turismo) Departamento de Turismo - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2020.

CASTRO, F. J. G.; GÂNDARA, J.M. A regionalização do turismo no Estado do Paraná sob a perspectiva do marketing. Marketing & Tourism Review, v. 4, n. 1, 2019.

COELHO, A.; RIBEIRO, L. A economia da experiência. Observatório de Inovação do Turismo, v. 2, n.1, 1-3, 2007.

CRUZ, R.C.A. Políticas públicas de turismo no Brasil: território usado, território negligenciado. Geosul, v.20, n.40, 2005.

DANTAS, L.M.R; PIRES, P.S. Versões e Contradições do Turismo de Aventura: reflexões sobre as atividades de aventura e sobre o turista. Turismo e Sociedade, v. 8, n. 2, p. 276-300, maio-agosto de 2015.

DB-CITY. Média de anos de escolaridade por país. 2015. Disponível em: https://pt.db-city.com/Pa%C3%ADs--M%C3%A9dia-de-anos-de-escolaridade Acesso em 10 de junho de 2020.

DUTRA, V.C.; AQUINO, A.R. Aplicação e análise da pressão turística como indicador ambiental no Parque Estadual do Jalapão (TO). Revista Brasileira de Ecoturismo, v.11, n.3, 2018.

FERNANDES, D. L., SCHOAB, V. A., LAZANHA, D. A.; MAGANHOTTO, R. F. O compartilhamento das experiências vivenciadas na RPPN Ninho do Corvo, Prudentópolis, no TripAdvisor e sua classificação nas esferas da Economia da Experiência. Revista de Turismo Contemporâneo-RTC. v .8, n.1, p. 127-148, 2020.

GUISSONI, R., ALENCAR, D. G.; GÂNDARA, J. M. O turismo de experiência no Paraná-Brasil: uma análise sobre os turistas que procuram por experiências em negócios, meio urbano e esportes. Turismo e Desenvolvimento, n. 32, p. 235-253, 2019.

HIRATA, F; BRAGA, D. C. Demanda turística e estudo sobre motivação. Boa Vista, Editora da UFRR, 2017.

ICMBio, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Atlas do Corredor Ecológico da Região do Jalapão. v.2, 2013. Disponível em: https://www.icmbio.gov.br/projetojalapao/images/stories/atlas/AtlasJica_2013_COMPLETO.pdf Acesso em 10 de junho de 2020.

ICMBio, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Planos de Manejo. 2020. Disponível em: https://www.icmbio.gov.br/portal/unidadesdeconservacao/planos-de-manejo Acesso em 10 de junho de 2020.

IBGE, Instituto Brasileiro De Geografia E Estatística. Características da população e domicílios. 2010. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/93/cd_2010_caracteristicas_populacao_domicilios.pdf. Acesso em 12 de junho de 2020.

IBGE, Instituto Brasileiro De Geografia E Estatística. Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira. Rio de Janeiro, n. 36, 146 p, 2016

IBGE, Instituto Brasileiro De Geografia E Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua trimestral - PNAD Contínua, 2018. Disponível em: https://www.ibge.gov.br. Acesso em 10 de junho de 2020.

IVARS, J. A. Planificación turística de los espacios regionales en España. Madrid: Editorial Sintesis, 2003.

LACERDA, C. S.; LIMA, E. R; MARTINS, M. F. Sistema de indicadores de sustentabilidade para a atividade turística e suas contribuições. Revista Iberoamericana de Turismo, v.9, n.1, p. 114-132, 2019.

MANKIW, N. G. Introdução à economia: princípios de micro e macroeconomia. Rio de Janeiro: Editora Campus, 1999.

MARTINE, G. O lugar do espaço na equação população/meio ambiente. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 4, 2007.

MTUR, Ministério Do Turismo. Ecoturismo: Orientações básicas. 2ª ed, 2010 Disponível em: http://www.turismo.gov.br/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicacoes/Orientacoes_Basicas_Ecoturismo.pdf. Acesso 10 de Junho de 2020.

MTUR, Ministério Do Turismo. Estudo da Demanda Turística Internacional - Brasil – 2018, 2018. Disponível em: http://www.dadosefatos.turismo.gov.br/2016-02-04-11-54-03/demanda-tur%C3%ADstica-internacional/item/download/964_616b0e66c036db76857f828354967e04.html Acesso 10 de Junho de 2020.

MTUR, Ministério Do Turismo. Portal Dados e Fatos do Ministério do Turismo, 2020 Disponível em: http://www.dadosefatos.turismo.gov.br/r/semin_tur_4/arquivos_4_seminario/GT14-13.pdf Acesso 10 de Junho de 2020.

MUNZERT, S.; RUBBA, C., MEIBNER, P.; NYHUIS, D. Automated data collection with R: A practical guide to web scraping and text mining. John Wiley.;amp; Sons, 2014.

OECD, Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. OECD Better Life Index, 2019. Disponível em: http://www.oecdbetterlifeindex.org/pt/quesitos/income-pt/ Acesso 10 de Junho de 2020.

ONU, Organização das Nações Unidas. World Urbanization Prospects 2018, 2018. Disponível em: https://population.un.org/wup/Country-Profiles/ Acesso 10 de Junho de 2020.

RABAHY, W. Turismo e desenvolvimento: estudos econômicos e estatísticos no planejamento. Barueri, SP: Manole, 2003.

RABAHY, W. Análise e perspectivas do turismo no Brasil. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, v.14, n.1, 2020.

RABAHY, W. A.; SILVA, J. C. D.; VASSALO, M. D. Relações determinantes sobre despesas e as receitas da conta de viagens internacionais do balanço de pagamentos brasileiro. Revista Turismo em Análise, v. 19, n 2, 2008.

SANTOS, M.L.; ALENCAR, D.G.; ANDRADE, A.; GÂNDARA, J.M.G. Tendências do consumidor em turismo: a oferta no Paraná (Brasil) para demandantes de experiências. Investigaciones Turísticas, n. 16, p.143-164, 2018.

PINDYCK, R.; RUBINFELD, D. Microeconomia. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

TRIPADVISOR, Plataforma de viagens. Disponível em https://www.tripadvisor.com.br/ Acesso em 15 de fevereiro de 2020.

TO, GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS. Análise do perfil da demanda: Região Turística Encantos do Jalapão - 2017. Disponível em: https://central3.to.gov.br/arquivo/410723/ Acesso em 22 de maio de 2020.

TO, GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS. Regiões Turísticas: Mateiros. 2020. Disponível em: https://turismo.to.gov.br/regioes-turisticas/encantos-do-jalapao/principais-atrativos/mateiros/ Acesso em 17 de janeiro de 2020.

TO, GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS. Plano de manejo do Parque Estadual do Jalapão - 2003. Disponível em: http://gesto.to.gov.br/site_media/upload/gestao/documentos/Plano_de_Manejo_-_PEJ_-_Encarte_2_-_Planejamento.pdf Acesso em 22 de maio de 2020.

VALLS, J. F. Las claves del mercado turístico: como competir en el nuevo entorno. Bilbao: Ediciones Deusto, 1996.

VIEIRA, G. D.; SCALCO, R. F.; SILVEIRA, J. M.; SILVEIRA, C. E. Mercado e perfil do ecoturista de Diamantina (MG): um estudo introdutório. Revista Brasileira de Ecoturismo. v. 7, n. 3, ago-set. 2014.

Downloads

Publicado

2021-08-01

Como Citar

Caracristi, M. de F. de A., Feger, J. E., Minasi, S., & Marynowski, J. E. (2021). A demanda turística do Parque Estadual do Jalapão (PEJ, Tocantins, Brasil) baseada em comentários de redes sociais. Revista Brasileira De Ecoturismo (RBEcotur), 14(3). https://doi.org/10.34024/rbecotur.2021.v14.11406
Recebido em 2020-11-16
Aceito em 2020-12-22
Publicado em 2021-08-01