Ecoturismo no Pós-COVID-19 no Parque Nacional da Tijuca e Parque Estadual da Pedra Branca

  • Rodrigo Machado Vilani Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ
  • Roberta Campelo Pena Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ
  • Bruno Francisco Teixeira Simões Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ,
Palavras-chave: Visitação, Parques Urbanos, Plano de Manejo, Plano de Uso Público

Resumo

A pandemia da COVID-19 exige uma revisão de parâmetros e hábitos individuais, coletivos e institucionais. O turismo é um dos setores econômicos mais afetados pelas medidas adotadas em todo planeta diante da pandemia. O presente artigo tem por objetivo discutir a retomada das atividades de ecoturismo em duas unidades de conservação no Rio de Janeiro (Parque Nacional da Tijuca e Parque Estadual da Pedra Branca). A pesquisa foi desenvolvida por meio de revisão bibliográfica e análise de documentos oficiais. Os resultados obtidos revelam a importância do ecoturismo como alternativa econômica para iniciativas comunitárias e a falta de recursos humanos e financeiros como obstáculos à segurança sanitária em unidades de conservação. As diretrizes básicas para o fortalecimento do ecoturismo pós-pandemia são: a) garantir segurança sanitária em unidades de conservação e seu entorno; b) produzir e disseminar evidências científicas sobre iniciativas locais de ecoturismo, uso público e saneamento em unidades de conservação; c)  contribuir para a elaboração de políticas públicas (ambientais, sociais e de saneamento); d) desenvolver o ecoturismo em parques urbanos; e) reduzir as desigualdades sociais por meio do ecoturismo; f)  estimular uma reflexão crítica acerca do potencial do ecoturismo como alternativa econômica para comunidades em situação de vulnerabilidade social e ambiental.

Referências

ABREU, M. R. P.; TEJEDA, J. J. G.; GUACH, R. A. D. Características clínico-epidemiológicas de la COVID-19. Revista Habanera de Ciencias Médicas, v. 19, n. 2, e_3254, 2020.
ACOSTA, A.. Extrativismo e neoextrativismo: duas faces da mesma maldição. In: DILGER, G.; LANG, M.; PEREIRA FILHO, J. (Orgs.). Descolonizar o imaginário: debates sobre o pós-extrativismo e alternativas ao desenvolvimento. São Paulo: Fundação Rosa Lu¬xemburgo, 2016. pp. 46-85.
ARAGÃO, A. Dimensões europeias do princípio da precaução. Revista da Faculdade de Direito da Universidade do Porto, número especial, p. 1-37, 2010.
ARAGÃO, A. Aplicação nacional do princípio da precaução. In: ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS DA JURISDIÇÃO ADMINISTRATIVA E FISCAL DE PORTUGAL. Colóquios 2011-2012. Lisboa: Associação dos Magistrados da Jurisdição Administrativa e Fiscal de Portugal, 2013. p. 159-185. Disponível em: http://bit.ly/1BpSxzc. Acesso em: 19 fev. 2015.
BARRETO, M. L. et al. O que é urgente e necessário para subsidiar as políticas de enfrentamento da pandemia de COVID-19 no Brasil? Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 23, p. 1-4, 2020.
BOTELHO, E. S.; RODRIGUES, C. G. O. Inserção das iniciativas de base comunitária no desenvolvimento do turismo em parques nacionais. Caderno Virtual de Turismo, v. 16, n. 2, p. 280-295, 2016.
BRASIL. Decreto 84.017, de 21 de setembro de 1979. Aprova o Regulamento de Parques Nacionais Brasileiros. Diário Oficial, Brasília, DF, 21 set. 1979.
______. Lei no 9.985, de 18 de julho de 2000. Regulamenta o art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. Diário Oficial, Brasília, DF, 19 jul. 2000.
______. Decreto nº 4.340, de 22 de agosto 2002. Regulamenta artigos da Lei no 9.985, de 18 de julho de 2000, que dispõe sobre o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza - SNUC, e dá outras providências. Diário Oficial, Brasília, DF, 23 ago. 2002.
CAMPOS, G. W. S. O pesadelo macabro da Covid-19 no Brasil: entre negacionismos e desvarios. Trabalho, Educação e Saúde, v. 18, n. 3, p. 1-5, 2020.
CARSON, R. Primavera silenciosa. São Paulo: Gaia, 2010.
CARVALHO, D. W. Dano ambiental futuro: a responsabilização civil pelo risco ambiental. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.
CREMA, A.; FARIA, P. E. P. Orientações metodológicas para elaboração de planos e uso público em unidades de conservação federais. Brasília: ICMBio, 2019.
EVERINGHAM, P.; CHASSAGNE, N. Post COVID-19 ecological and social reset: moving away from capitalist growth models towards tourism as Buen Vivir. Tourism Geographies, 12 maio 2020. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2020.
FERNANDEZ, A. C. F. Um Rio de florestas: uma reflexão sobre o sentido da criação dos parques na cidade do Rio de Janeiro. Estudos Históricos, v. 24, n. 47, p. 141-161, 2011.
FLETCHER, R.; MAS, I. M.; BLÁZQUEZ-SALOM, M.; BLANCO-ROMERO, A. Tourism, Degrowth, and the COVID-19 Crisis. Political Ecology Network, 24 mar. 2020. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2020.
FUNCIONAL HEALTH TECH. Funcional Health Tech lança ferramenta Open Source para pesquisas e análises de dados colaborativas sobre o novo coronavírus. Disponível em: . Acesso em: 23 jun. 2020.
FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. Impacto Econômico do COVID-19: Propostas para o Turismo Brasileiro. Rio de Janeiro: FGV, 2020. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2020.
GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.
GUDYNAS, E. Transições ao pós-extrativismo: sentidos, opções e âmbitos. In: DILGER, G.; LANG, M.; PEREIRA FILHO, J. (Orgs.). Descolonizar o imaginário: debates sobre o pós-extrativismo e alternativas ao desenvolvimento. São Paulo: Fundação Rosa Lu¬xemburgo, 2016. pp. 176-212.
HARVEY, D. Política anticapitalista em tempos de COVID-19. In: HARVEY, D.; ŽIŽEK, S.; BADIOU, A.; DAVIS, M.; BIHR, A.; ZIBECHI, R. (Orgs.). Coronavírus e a luta de classes. Brasil: Terra sem Amos, 2020. pp. 13-23.
IBAMA - INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS. Roteiro Metodológico para Elaboração de Plano de Manejo: Parque Nacional, Reserva Biológica e Estação Ecológica. Brasília: IBAMA, 2002. 136p.
IBAMA/WWF - INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS/WORLD WIDE FUND FOR NATURE. Efetividade de gestão das unidades de conservação federais do Brasil. Brasília: IBAMA, 2007. 96p.
ICMBIO - INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE. Efetividade da Gestão de UCs. 2017a. Disponível em: .
______. Painel dinâmico de informações. 2017b. Disponível em: . Acessado em: 06 de outubro de 2018.
______.Visitação em Parques Nacionais bate novo recorde em 2018. Brasília: ICMBio, 2019. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2020.
______. Roteiro metodológico para manejo de impactos da visitação com Enfoque na Experiência do Visitante e na Proteção dos Recursos Naturais e Culturais. Brasília: ICMBio, 2011.
______. Plano de Manejo do Parque Nacional da Tijuca. Rio de Janeiro: ICMBio, 2008.
INEA – INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE. Roteiro Metodológico para Elaboração de Planos de Manejo Parques Estaduais, Reservas Biológicas, Estações Ecológicas. Rio de Janeiro: INEA, 2010. 115p.
IOANNIDES, D.; GYIMÓTHY, S. The COVID-19 crisis as an opportunity for escaping the unsustainable global tourism path. Tourism Geographies, 12 maio 2020. Disponível em: . Acesso em: 11 jun 2020.
IUCN - INTERNATIONAL UNION FOR CONSERVATION OF NATURE. Resources, 2018. Disponível em: < https://www.iucn.org/resources>. Acessado em: 08 de julho de 2018.
LANG, M. Alternativas ao desenvolvimento. In: DILGER, G.; LANG, M.; PEREIRA FILHO, J. (Orgs.). Descolonizar o imaginário: debates sobre o pós-extrativismo e alternativas ao desenvolvimento. São Paulo: Fundação Rosa Lu¬xemburgo, 2016. pp. 24-44.
LEMOS DE SÁ, R. M.; FERREIRA, L. M. Áreas protegidas ou espaços ameaçados: o grau de implementação e a vulnerabilidade das Unidades de Conservação federais brasileiras de uso indireto. Brasília: WWF-Brasil: Série Técnica, v. 3, 32 p. 2000.
LIMA, G.; RIBEIRO, G.; GONÇALVES, W. Avaliação da Efetividade de Manejo das Unidades de Conservação de Proteção Integral em Minas Gerais. Revista Árvore, Viçosa, v. 29, n. 4, p. 647-653, 2005.
LIMONGI, J.; DE OLIVEIRA, S. COVID-19 e a abordagem One Health (Saúde Única): uma revisão sistemática. Vigilância Sanitária em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia, v. 8, p. 1-11, 2020.
MEDEIROS, R.; IRVING, M.; GARAY, I. A proteção da natureza no Brasil: evolução e conflitos de um modelo em construção. Revista de Desenvolvimento Econômico, v. 6, n. 9, p. 83-93, 2004.
MEDEIROS, R.; PEREIRA, G. Evolução e Implementação dos Planos de Manejo em Parques Nacionais no Estado do Rio de Janeiro. Revista Árvore, Viçosa, v. 35, n. 2, p. 279-288, 2011.
MELLO, R. Plano de Manejo: Uma análise crítica do processo de planejamento das unidades de conservação federais. 2008. Dissertação (Mestrado em Ciência Ambiental) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2008.
MELLO, R. B. Nova Abordagem para Elaboração de Planos de Manejo do ICMBio. In: ENCONTRO DE PARQUES DE MONTANHA, 3, Rio de Janeiro. 2017. Disponível em: . Acessado em: 07 de outubro de 2018.
MMA - MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Cadastro Nacional de Unidades de Conservação, 2017a. Disponível em: < http://www.mma.gov.br/areas-protegidas/cadastro-nacional-de-ucs>. Acesso em: 04 jun. 2017.
MMA - MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Biomas. 2017b. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2017.
PEIXOTO, S.; IRVING, M. A. O conceito de parque urbano da paz. In: CORRÊA, A. M.; MOUTINHO-DA-COSTA, L.; BARROS, J. F. (Orgs.). A floresta: educação, cultura e justiça ambiental. Rio de Janeiro: Garamond, 2013. p. 25-33.
PENA, R. C. Monitoramento e avaliação de planos de manejo: um estudo de caso do Monumento Natural dos Morros do Pão de Açúcar e da Urca. 2018. Dissertação (Mestrado em Ecoturismo e Conservação) - Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.
QUIJANO, A. Colonialidad del poder y clasificación social. Journal of World Systems Research, v. 6, n. 2, p. 342-388, 2000.
RESENDE, O.L.C.; BARBOSA, M.T.S.; SIMÕES, B.F.T; VELASQUE, L.S. A representação do adoecer em adolescente com lúpus eritematoso sistêmico. Revista Brasileira de Reumatologia, v. 56, n. 5, p. 398-405, 2016.
RICARD, J.; MEDEIROS, J. Using misinformation as a political weapon: COVID-19 and Bolsonaro in Brazil. The Harvard Kennedy School (HKS) Misinformation Review, v. 1, n. 2, p. 1-6, 2020.
ROMAGOSA, F. (2020): The COVID-19 crisis: opportunities for sustainable and proximity tourism. Tourism Geographies, 2020. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2020.
ROTHAN, H. A.; BYRAREDDY, S. N. The epidemiology and pathogenesis of coronavirus disease (COVID-19) outbreak. Journal of Autoimmunity, v. 109, 2020. Disponível em: . Acesso em: 09 jun. 2020.
SCHIAVETTI, A.; MAGRO, T. C.; SILVA, M. Implementação das unidades de conservação do corredor central da Mata Atlântica no estado da Bahia: desafios e limites. Rev. Árvore, v. 36, p. 611-623, 2012.
SMAC – SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE. Unidades de conservação sob tutela municipal. 2018. Disponível em: . Acesso em: 10 maio 2018.
SOUZA, D. O. A pandemia de COVID-19 para além das Ciências da Saúde: reflexões sobre sua determinação social. Ciência & Saúde Coletiva, v. 25, supl.1, p. 2479-2488, 2020.
VARELLA, M. D.; PLATIAU, A. F. B. (Orgs.). Princípio da precaução. Belo Horizonte: Del Rey, 2004.
VILANI, R. M. Ecoturismo: a conservação da natureza como alternativa aos Grandes Projetos de Investimento (GPIs) no Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Ecoturismo, v. 11, n. 4, p. 609-633, 2018.
VILANI, R. M.; COELHO, B. S. Ecoturismo no Parque Estadual da Pedra Branca, Rio de Janeiro, Brasil. Revista Turismo & Desenvolvimento, n. 27-28, p. 535 – 546, 2017.
WORLD HEALTH ORGANIZATION. Coronavirus disease (COVID-19) pandemic. Disponível em: . Acesso em: 09 jun. 2020.
ŽIŽEK, S.. Um golpe como o de “Kill Bill” no capitalismo. In: HARVEY, D.; ŽIŽEK, S.; BADIOU, A.; DAVIS, M.; BIHR, A.; ZIBECHI, R. (Orgs.). Coronavírus e a luta de classes. Brasil: Terra sem Amos, 2020. pp. 43-47.
Publicado
2020-10-30
Como Citar
Vilani, R. M., Pena, R. C., & Simões, B. F. T. (2020). Ecoturismo no Pós-COVID-19 no Parque Nacional da Tijuca e Parque Estadual da Pedra Branca. Revista Brasileira De Ecoturismo (RBEcotur), 13(4). https://doi.org/10.34024/rbecotur.2020.v13.10840