Dos indivíduos como atores da História

considerações sobre o artigo de Patrick Puigmal

  • Lúcia Bastos
Palavras-chave: Napoleão Bonaparte – Independência da Ibero-américa – Militares – Transmissores Culturais – História Atlântica.

Resumo

Esse artigo propõe-se a dialogar com algumas das reflexões sugeridas por Patrick Puigmal, em seu artigo intitulado “Militares y agentes napoleónicos en la independência de América Latina: De forjadores de los exércitos nuevos a actores del debate político”. Propõe-se, assim, a levantar algumas considerações sobre a ação desses indivíduos nos processos de independência da Ibero-américa. Debruçando-se sobre uma análise teórica acerca da história política em seus novos pressupostos, que incluiu os estudos das biografias e de uma história mais ampla, procurou estabelecer pontos essenciais  do texto, especialmente, aqueles que destacavam o caso do Brasil.  Ressaltou-se ainda a análise das trocas, circulação de homens e de ideias e de seus encontros na Ibero-América a fim de se ultrapassar uma história simplesmente focada em fronteiras nacionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-02-03
Como Citar
Bastos, L. (2020). Dos indivíduos como atores da História. Almanack, (23), 35-63. Recuperado de https://periodicos.unifesp.br/index.php/alm/article/view/9647
Seção
Fórum