Liberalismo, constitucionalismo e parlamento

a Revolução do Porto de 1820

Autores

  • Lucia Maria Bastos P. Neves Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)
  • Kátia Sausen da Motta Universidade Federal do Espírito Santo
  • Adriana Pereira Campos Universidade Federal do Espírito Santo

DOI:

https://doi.org/10.1590/2236-463330ed00122

Resumo

Repensar a memória dos acontecimentos marcantes da História constitui um exercício de rever os “lugares”, onde ela efetivamente se materializou, por meio de indivíduos, processos e práticas que se compuseram como seus símbolos e representações mais marcantes. Portanto, todas as datas que definem grandes comemorações devem ser pensadas não apenas como a celebração de uma efeméride, mas como a possibilidade de um novo desafio para a sua revisitação à luz dos estudos historiográficos do presente, possibilitando o surgimento de novas abordagens e perspectivas de análise.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Publicado

2022-04-10

Como Citar

Bastos P. Neves, L. M. ., Sausen da Motta, K. ., & Pereira Campos, A. (2022). Liberalismo, constitucionalismo e parlamento: a Revolução do Porto de 1820. Almanack, (30). https://doi.org/10.1590/2236-463330ed00122

Edição

Seção

Dossiê: Liberalismo, constitucionalismo e parlamento: a Revolução do Porto de 1820

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)