The Emergence of a Cosmopolitan Point of View

the Experiencing of the Universal History's History of Portugal

Autores

  • André Ramos Universidade Federal de Ouro Preto
  • Valdei Lopes de Araujo Universidade Federal de Ouro Preto

DOI:

https://doi.org/10.1590/2236-463320151013

Palavras-chave:

Modernidade, Historiografia, História das Ideias

Resumo

Este artigo, analisa as transformações na experiência da história a partir
do projeto editorial britânico da Universal History e da sua recepção no
mundo lusófono no final do século XVIII. Investiga-se como este projeto foi
empreendido visando atender aos anseios de um público leitor em expansão
e como esse fenômeno afetou os modos de representar e experimentar
a história. Uma nova visão cosmopolita do processo histórico precisou
distender os limites tradicionais do decoro narrativo e das demandas por
erudição vigentes nas academias ilustradas, emergindo paralelamente
outras variedades de produção historiográfica. Na dimensão lusa, investigase
como Antônio de Moraes Silva traduziu e compilou a História de
Portugal a partir de uma edição francesa ampliada da Universal History.
Procuramos demonstrar como as transformações dessa narrativa através das
diversas edições sinalizam a crescente dificuldade de se estabelecer uma
representação unívoca e harmônica dos eventos e processos históricos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2022-01-02

Como Citar

Ramos, A. ., & Lopes de Araujo, V. . (2022). The Emergence of a Cosmopolitan Point of View: the Experiencing of the Universal History’s History of Portugal. Almanack, (10). https://doi.org/10.1590/2236-463320151013

Edição

Seção

Artigos