Naturaleza and citizenship in Modern Spain

From subject representation to the dawn of contemporary citizenship (17th-19th centuries)

Autores

  • Fabricio Gabriel Salvatto Universidad Nacional de La Plata – CONICET
  • Maria Inés Carzolio Universidad Nacional de La Plata – CONICET

DOI:

https://doi.org/10.1590/2236-463320151106

Palavras-chave:

Constitution of Cadiz of 1812, Citizenship, Nature

Resumo

A Constituição de Cádis de 1812 definiu os perfis do espanhol e do cidadão
espanhol, para uns claramente como um cidadão moderno, para outros,
como ainda imerso no âmbito corporativo do Antigo Regime. Se debate
ainda, por conseguinte, se a Constituição gaditana tem os critérios que
distinguem a cidadania modernas ou se traz a seu reboque a antiga natureza
que tende a universalizar-se no Império espanhol. A partir da proposta do
Gran Memorial do Conde Duque de Olivares e dos decretos da Nueva Planta
de Felipe V, pretende-se avaliar as principais questões cristalizados na
Novíssima Recopilación, que foram logo discutidas nas Cortes gaditanas. Aí
os termos natureza e cidadania tiveram um espaço central nas discussões,
bem como empregos tardios de concepções corporativas.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2022-01-02

Como Citar

Salvatto, F. G. ., & Carzolio, M. I. . (2022). Naturaleza and citizenship in Modern Spain: From subject representation to the dawn of contemporary citizenship (17th-19th centuries) . Almanack, (11). https://doi.org/10.1590/2236-463320151106

Edição

Seção

Artigos