Comércio ilegal de africanos no interior do Império: o caso do patacho Herminia

  • Matheus Silveira Guimarães

Resumo

Os estudos sobre o tráfico de africanos para o Brasil têm trazido importantes informações acerca da organização dessa atividade. O funcionamento desde a África, perpassando os navios negreiros e a viagem atlântica até a chegada dos escravizados no Brasil e suas rotas de venda têm sido as principais preocupações. O foco volta-se, principalmente, aos portos de Recife, Salvador e Rio de Janeiro, os mais representativos. Entretanto, precisamos aprofundar os estudos sobre como se dava esse mercado para províncias que pouco importavam. A partir do estudo da apreensão do patacho Herminia, na cidade da Parahyba do Norte em 1850, lançaremos luz sobre alguns aspectos do comércio de africanos no interior do Império brasileiro. Com isso, perceberemos algumas das estratégias utilizadas pelos traficantes na distribuição de cativos ilegais em regiões que não demandavam grande mão de obra africana.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-02-03
Como Citar
Guimarães, M. S. (2020). Comércio ilegal de africanos no interior do Império: o caso do patacho Herminia. Almanack, (23), 176-201. Recuperado de https://periodicos.unifesp.br/index.php/alm/article/view/1319
Seção
Artigos