A Assembleia Provincial de Minas Gerais e o tráfico ilegal de escravizados (1839-1845)

Autores

  • Kelly Eleutério Machado Oliveira

DOI:

https://doi.org/10.1590/2236-463332ea01621

Palavras-chave:

assembleia provincial de Minas Gerais, lei antitráfico de 1831, escravidão, tráfico ilegal, representações, meia sisa

Resumo

Nas primeiras décadas do século XIX, Minas Gerais possuía a maior população escravizada do Império do Brasil. A diversificação econômica e a desconcentração da propriedade de cativos ajudam a explicar esse quadro. Partindo da análise das atas das sessões da Assembleia Provincial mineira e de alguns periódicos, além do suporte bibliográfico, pretendemos: 1) apresentar brevemente o clássico debate historiográfico sobre a economia e a sociedade mineira; 2) discutir as conexões entre o projeto que pretendia criar uma escola de agricultura na capital da província, Ouro Preto, e o regresso conservador; 3) debater as representações enviadas pelos deputados à Assembleia Geral solicitando a revogação da lei antitráfico de 1831 e, finalmente, 4) defender que a discussão sobre a abolição do imposto da meia sisa pretendia escamotear o contrabando travestindo de legalidade o “infame comércio”. As representações e as manobras feitas na legislação para diminuir o impacto da lei de 1831 revelam a força da escravidão em Minas Gerais.

 

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-12-08

Como Citar

Oliveira, K. E. M. . (2022). A Assembleia Provincial de Minas Gerais e o tráfico ilegal de escravizados (1839-1845). Almanack, (32). https://doi.org/10.1590/2236-463332ea01621

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.