Saberes da gente do mar

Oficiais e subordinados no Breve compêndio do que pertence à obrigação de um capitão de mar e guerra (século XVII)

  • Jaime Rodrigues Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Departamento de História. Guarulhos, SP, Brasil
Palavras-chave: História Marítima

Resumo

Apresenta a transcrição do Breve compendio do que pertence à obrigação de hum capitão de mar & guerra, manuscrito datado de 1676. O original, depositado na Biblioteca Nacional de Portugal, provavelmente era utilizado no ensino militar e náutico, escrito sob a forma de um diálogo entre um capitão e um artilheiro a ele subordinado. O documento enumera as qualidades que um capitão de mar e guerra deveria ter, os nomes das partes de um navio e os conhecimentos que deveriam ser detidos pelos marinheiros/soldados.

Referências

CAETANO, Joaquim Oliveira, et al. A ciência do desenho: a ilustração na colecção de códices da Biblioteca Nacional. Lisboa: BNP, 2001.

DORÉ, Andréa. “A fortaleza e o navio: espaços de reclusão na Carreira da Índia”. Topoi 16, p.91-116, jan.-jun. 2008.

MICELI, Paulo. O ponto onde estamos: viagens e viajantes na história da expansão e da conquista (Portugal, séculos XV e XVI). Campinas: Ed. da Unicamp, 1997 (2a ed.).

MOREIRA, Cecilia de Lourdes Porto Gaspar. Colônia do Sacramento: permanência urbana na demarcação de novas fronteiras latino-americanas. Dissertação de Mestrado: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), 2009.

PIMENTEL, Luis Serrão. Methodo lusitanico de desenhar as fortificaçoens das praças regulares, & irregulares, fortes de campanha, e outras obras pertencentes a Arquitetura Militar. Lisboa: Antonio Craesbeeck de Mello, 1680.

Publicado
2019-09-11
Como Citar
Rodrigues, J. (2019). Saberes da gente do mar. Revista De Fontes, 6(10), 57-106. https://doi.org/10.34024/fontes.2019.v6.9395
Seção
Documentos