O tabelião e a escrava

Transcrição de um escambo quatrocentista

Autores

  • Ricardo Seabra Universidade do Porto, Centro de Investigação Transdisciplinar Cultura, Espaço e Memória/Faculdade de Letras, Porto, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.34024/fontes.2017.v4.9382

Palavras-chave:

Notariado público, Portugal, Escravatura, Século XV

Resumo

O carácter transversal da escravatura na sociedade portuguesa do período moderno já tem sido alvo de estudo. Todavia, existem menos referências que nos permitam debruçar sobre essa matéria na Idade Média. Ao realizarmos uma investigação sobre o tema do tabelionado régio na cidade do Porto (Portugal), uma cidade portuária de elevada importância para o comércio do reino português, levantamos cerca de 1400 actos notariais distribuídos por vários arquivos portugueses, para um período compreendido entre os séculos XIII e XV, dos quais apenas um menciona uma escrava. O interesse acrescido deste documento não se limita ao seu cariz de excepção quanto mais nos aproxima da escravatura numa vertente comercial e doméstica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-06-15