O privilégio duvidoso das apátridas

Conteúdo do artigo principal

Patrícia da Silva Santos
https://orcid.org/0000-0002-1266-1311

Resumo

O artigo apresenta uma reflexão sobre a literatura de exílio de língua alemã, tendo como fonte primária obras redigidas por escritoras que se refugiaram na América Latina devido a perseguições pelo regime nacional-socialista. Proponho introduzir algumas discussões acerca dessas obras, sublinhando três dimensões: 1) a possibilidade de ler essa produção sob a perspectiva dos estudos de gênero; 2) as peculiaridades da literatura de exílio e da exposição literária apátrida, com destaque para temas como encontro cultural, trânsito linguístico e de identidade; 3) as relações entre essas produções e a Shoah a partir do “teor testemunhal” que comportam. Empiricamente, a reflexão se pauta nas obras das seguintes escritoras de língua alemã: Hilde Domin, exilada na República Dominicana; Paula Ludwig e Marthe Brill, no Brasil; Lilo Linke, no Equador; Lenka Reinerová e Alice Rühle-Gerstel, no México.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
DA SILVA SANTOS, P. O privilégio duvidoso das apátridas. EXILIUM Revista de Estudos da Contemporaneidade, [S. l.], v. 3, n. 4, p. 53–77, 2022. DOI: 10.34024/exilium.v3i4.13133. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/exilium/article/view/13133. Acesso em: 28 jun. 2022.
Seção
Dossiê
Biografia do Autor

Patrícia da Silva Santos, Universidade Federal do Pará

Professora do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da Universidade Federal do Pará. Doutora em sociologia pela Universidade de São Paulo, com pós-doutorado no Deutsches Literatur-Archiv Marbach e na Universidade Estadual de Campinas.