Uma breve história das traduções árabes do Tetrabiblos de Ptolomeu

Conteúdo do artigo principal

Cristina de Amorim Machado
https://orcid.org/0000-0001-5748-4235

Resumo

Este artigo apresenta as primeiras traduções da obra astrológica de Ptolomeu, o Tetrabiblos, que foi traduzido num dos maiores episódios tradutórios da história, o movimento de tradução ocorrido nos séculos VIII-X em Bagdá. O objetivo aqui é explicitar o papel da tradução na circulação das ciências, e o caráter de constructo histórico de obras tão antigas. Não se trata apenas de um texto escrito por Ptolomeu, trata-se de uma comunidade textual composta por todas as escritas e reescritas nas mais diversas línguas e culturas, ou seja, o Tetrabiblos, que, como qualquer texto, cresce a cada leitura. É importante trazer para a tradução científica as questões debatidas em relação à tradução literária, afinal, apesar de suas especificidades, passa pelos mesmos processos linguísticos e retóricos que qualquer outra atividade humana. Por fim, e não menos importante, nunca é demais lembrar as raízes árabes da ciência ocidental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
MACHADO, C. Uma breve história das traduções árabes do Tetrabiblos de Ptolomeu. EXILIUM Revista de Estudos da Contemporaneidade, [S. l.], v. 2, n. 3, p. 121–148, 2021. DOI: 10.34024/exilium.v2i1.12885. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/exilium/article/view/12885. Acesso em: 3 dez. 2022.
Seção
Oriente e Ocidente
Biografia do Autor

Cristina de Amorim Machado, UEM

Professora da Universidade Estadual de Maringá (UEM) desde 2012 e coordenadora do GP de Science Studies da UEM, doutora em Letras (PUC-Rio), mestre em Filosofia (PUC-Rio) e bacharel em Filosofia (UERJ), com pósdoc na Universidade de Lisboa e na UERJ na área de Filosofia e História das Ciências. E-mail: cristina_machado@yahoo.com.