Transformative and Emancipatory Environmental Education by Marine Ecotourism in the Marine Environmental Protection Area of Armação dos Búzios (RJ, Brazil)

Autores

  • Alexandre de Gusmão Pedrini Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ
  • Daniel Shimada Brotto Universidade Veiga de Almeida, Rio de Janeiro, RJ
  • Douglas de Souza Pimentel Universidade do Estado do Rio de Janeiro/Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, RJ
  • Eric Behrends Universidade Santa Úrsula, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
  • Alenne Alves Junqueira de Moraes Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ

DOI:

https://doi.org/10.34024/rbecotur.2016.v9.6531

Palavras-chave:

Sustentabilidade, Unidade de Conservação, Ecoturismo Marinho, Trilha Subaquática, Educação Ambiental.

Resumo

The Management of Marine Protected Areas (MMPA) has been a complex task in Brazil. Transformative and Emancipatory Environmental Education (TEEE) inspired on Paulo Freire’s ideas should be based primarily on individual and collective political and financial independence. The Marine Ecotourism (ME) could make the MMPA at Marine Protected Area of Armação de Búzios (MPAAB) with the aid of TEEE. Ecoturismar project tested the hypothesis that ME would provide a feasible proposal for MPAAB. The sample consisted on 85 persons present at the area during the summer season, as also local residents. The methodology and the main results were: a) Identification of the main stakeholders involved in the tourism chain of the municipality to establish partnerships; b) Obtaining the approval and support of local authorities; c) Getting sponsorship for accommodation and food; d) Contact with local security, touristic and environmental authorities; e) Route selection on rocky shore to develop the underwater interpretive trail between the beaches of João Fernandes and João Fernandinho; f) Taxonomic survey of marine biodiversity; g) Elaboration of a contextualized poster; h) Selection of attractive biological species; i) Formulation of four dialogical and interpretative lectures; j) Formulation of interpretative cards with photographs of local biodiversity; k) Elaboration of support rafts with plastic bottles and other materials. The evaluation of the marine trail as an ecotouristic product was done by the confrontation of pre / pos tests. On the beach, the tourists filled a form with their data, authorized the test and answered a pre-test. Before that, they received an interpretative lecture on local marine biota. At the end of the trail, they responded to the post-test. The evaluation of tourist perceptions presented: a) Significant increase in the perception of the environment on an holistic approach; b) Increase in the perception of social and environmental interactions in relation to the marine ecosystem; c) Increase in the perception of negative effects of conventional marine tourism on the environment and marine organisms. The hypothesis that the TEEE could be developed through a product of ME by aims of underwater trails in protected areas was approved. The ME can be implemented in MPAAB replacing the current massive, excluding and predatory forms of tourism. KEYWORDS: Sustainability; Environmental Awareness; Ecotourism Products; Marine Trails; Education Educação Ambiental Transformadora e Emancipatória pelo Ecoturismo Marinho em Área de Proteção Ambiental Marinha de Armação dos Búzios (RJ) RESUMO A Gestão de Áreas Protegidas Marinhas (GAPM) tem sido tarefa complexa no Brasil. A Educação Ambiental Transformadora e Emancipatória (EATE), de inspiração freiriana, baseia-se prioritariamente na independência política e financeira do cidadão. A GAPM na Área de Proteção Ambiental Marinha de Armação dos Búzios (APAMAB) poderia ser mais efetiva com a EATE pelo ecoturismo marinho (EM). O projeto Ecoturismar testou a hipótese de que o EM seria uma proposta viável para a APAMAB. Os sujeitos estudados foram 85 cidadãos presentes a área na época de verão e os moradores locais. A metodologia e seus resultados principais foram: a) seleção de uma área com costões rochosos marinhos; b) Identificação dos principais atores sociais envolvidos na cadeia turística do município para estabelecer parcerias; c) contato com as autoridades municipais de segurança, turismo e meio ambiente, obtendo autorização de pesquisa local e apoio no mar; d) parceria com Pousadas Ville La Plage/La Foret que concedeu estadia e alimentação; e) seleção do percurso em costão rochoso para a trilha interpretativa submarina entre as praias de João Fernandes e João Fernandinho; f) levantamento taxonômico da biodiversidade marinha; g) formulação de pôster de uma teia trófica contextualizada com os organismos locais; h) seleção de espécies biológicas para atrativos ecoturísticos; i) produção de quatro preleções interpretativas dialógicas e problematizadoras; j) formulação de fichas interpretativas com fotografias da biodiversidade local; k) confecção de balsa com garrafas pet e rede de plástico para levar equipamentos na trilha e descanso. A avaliação dos ecoturistas foi através da confrontação de pré/pós testes. No início da trilha, ainda na areia da praia, o ecoturista preencheu dados de sua caracterização, autorizou o teste, respondeu ao pré-teste e recebeu uma preleção interpretativa. Na trilha submarina conheceu a biodiversidade marinha e recebeu preleções dialógicas problematizadoras em três áreas interpretativas. Fora da água respondeu ao pós-teste e fez a avaliação do produto. O ecoturista registrou: a) aumento significativo no principal indicador de mudança de percepção de que o ambiente é o todo; b) incremento no número de interações entre os componentes do ecossistema marinho; c) aumento na percepção de que o turismo marinho aumenta os efeitos negativos sobre o mar e seus organismos. A capacitação em EM ocorreu como uma disciplina no curso para guias de turismo do Ministério do Turismo para moradores locais. Fica aprovada a hipótese de que a EATE poderia ser desenvolvida através de um produto de EM por trilhas subaquáticas em áreas protegidas.. PALAVRAS-CHAVE: Sustentabilidade; Unidade de Conservação; Ecoturismo Marinho; Trilha Subaquática; Educação Ambiental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Shimada Brotto, Universidade Veiga de Almeida, Rio de Janeiro, RJ

Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1990), mestrado em Ciências Ambientais e Florestais pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1997) e doutorado em Biociências e Biotecnologia pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (2005). Atualmente é professor adjunto da Universidade Veiga de Almeida. Tem experiência na área de Ecologia, com ênfase em Ambientes Aquáticos. Participando em projetos de pesquisa na área da ecologia de comunidades aquáticas na UVA, UENF e UNIRIO e educação ambiental na UERJ.

Downloads

Publicado

08/31/2016

Como Citar

Pedrini, A. de G., Brotto, D. S., Pimentel, D. de S., Behrends, E., & Moraes, A. A. J. de. (2016). Transformative and Emancipatory Environmental Education by Marine Ecotourism in the Marine Environmental Protection Area of Armação dos Búzios (RJ, Brazil). Revista Brasileira De Ecoturismo (RBEcotur), 9(3). https://doi.org/10.34024/rbecotur.2016.v9.6531
Recebido: 2016-02-17
Aceito: 2016-08-16
Publicado: 2016-08-31

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>