Percepção dos stakeholders sobre os impactos do fechamento das cavernas turísticas do PETAR em 2008

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/rbecotur.2021.v14.12856

Palavras-chave:

Ecoturismo, Espeleoturismo, Gestão do turismo, Destinos turísticos, Comunidades receptoras

Resumo

O Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR) é um reconhecido destino de turismo de cavernas. Em 2008, a visitação no Parque foi embargada, afetando a visitação turística e as comunidades locais. O objetivo da presente pesquisa é analisar a visão dos stakeholders sobre os impactos causados ao turismo e à comunidade local pelo fechamento temporário das cavernas turísticas. Para tanto, 50 stakeholders de diferentes grupos representativos do turismo local foram entrevistados. Nos resultados, dentre os impactos citados como positivos, destacam-se o reordenamento da visitação, o acréscimo na segurança para trabalhadores e visitantes e a maior efetividade na conservação. Quanto aos impactos negativos, ressaltam-se os prejuízos financeiros para os envolvidos com o turismo e problemas decorrentes dos novos padrões de visitação. Notou-se também uma mudança no perfil de visitantes do Parque. Entre as conclusões obtidas, destaca-se o aspecto traumático e de caráter impositivo das mudanças realizadas, gerando diversos transtornos evitáveis para a população local envolvida direta e indiretamente com o turismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francesca Antoniella Borsanelli, Universidade Federal de São Carlos, Sorocaba, SP

Turismóloga, Bióloga e Mestre em Sustentabilidade na Gestão Ambiental (PPGSGA/UFSCar).

Zysman Neiman, Universidade Federal de São Paulo, Diadema, SP

Doutor em psicologia (USP), Pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Análise Ambiental Integrada e Coordenador da Cátedra Sustentabilidade, ambos pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Heros Augusto Santos Lobo, Universidade Federal de São Carlos, Sorocaba, SP

Referências

ALVES, H.P.F. Análise dos fatores associados às mudanças na cobertura da terra no Vale do Ribeira através da integração de dados censitários e de sensoriamento remoto. 2004. 337f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2004.

BARTHOLO Jr., R.S.; CAMPOS, A.; BURSZTYN, I.; EGREJAS, M.; LIMA, R.P. Marco referencial teórico para o turismo de base comunitária. Rio de Janeiro: UFRJ, 2011. 28 p.

BORSANELLI, F.A.; LOBO, H.A.S. Percepções dos visitantes sobre a evolução do espeleoturismo no PETAR face ao fechamento das cavernas turísticas em 2008. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ESPELEOLOGIA, 32, 2013. Barreiras. Anais. Campinas: SBE, 2013. p.45-54.

BROCHADO, A.; PEREIRA, C. Comfortable experiences in nature accommodation: Perceived service quality in Glamping. Journal of Outdoor Recreation and Tourism, v.17, p.77-83, 2017.

BUTLER, R.W. The concept of a tourist area cycle of evolution: implications of management of resources. In: BUTLER, R.W. The tourism area lyfe cycle: applications and modifications. Clevedon: Channel View Publications, 2006. p.3-12.

BYRD, E.T. Stakeholders in sustainable tourism development and their roles: applying stakeholder theory to sustainable tourism development. Tourism Review, v. 62, n.2, p.6–13, 2007.

COELHO, J.A.P.M.; GOUVEIA, V.V.; MILFONT, T.L. Valores humanos como explicadores de atitudes ambientais e intenção de comportamento pró-ambiental. Psicologia em Estudo, v.2, n.1, p.199-207, 2006.

CÔRTES, P.L.; MORETTI, S.L.A. Consumo Verde: Um Estudo Transcultural Sobre Crenças, Preocupações e Atitudes Ambientais. Revista Brasileira de Marketing, v.12, n.3, p.45-76, 2013.

FENNELL, D. A. Ecotourism. London: Routledge, 2014. 288 p.

FIGUEIREDO, L.A.V. Cavernas como paisagens racionais e simbólicas: imaginário coletivo, narrativas visuais e representações da paisagem e das práticas espeleológicas. 2010. Tese (Doutorado em Geografia), Universidade de São Paulo, 2010.

FOGAÇA, I.F. Estudo das transformações da estrutura física do bairro da Serra, entorno do PETAR, em decorrência da atividade turística. Turismo e Paisagens Cársticas, v.1, n.1, p.29-42, 2008.

FUNDAÇÃO FLORESTAL (SP); INSTITUTO EKOS BRASIL (Coords.) Plano de manejo espeleológico do Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira. São Paulo: Fundação Florestal, 2010. 765 p.

GIATTI, L.L.; ROCHA, A.A. Impactos ambientais do turismo na região do PETAR - Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira – São Paulo – Brasil. In: 13TH INTERNATIONAL CONGRESS OF SPELEOLOGY, 2001. Brasília. Anais. Campinas: SBE, 2001.

HOGAN, D.J.; CARMO, R.L.; ALVES, H.P.F.; RODRIGUEZ, I.A.; Sustentabilidade no Vale do Ribeira. Ambiente & Sociedade, v. 2, n 3/4, p.151-175, 1999.

IMRAN, S.; ALAM, K.; BEAUMONT, N. Environmental orientations and environmental behaviour: Perceptions of protected area tourism stakeholders. Tourism Management, v.40, p.290-299, 2014.

KARMANN, I.; FERRARI, J.A. Carste e Cavernas do Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR), SP: sistemas de cavernas com paisagens subterrâneas únicas. In: DNPM. Sítios Geológicos e Paleontológicos do Brasil. Brasília: DNPM, 2002. p.401-413.

LOBO, H.A.S. Capacidade de carga real (CCR) da caverna de Santana, Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR) – SP, e indicações para o seu manejo turístico. Geociências, v.27, n.3, p.369-385, 2008.

LOBO, H.A.S. Entre 117 e 1344: qual o limite diário recomendável para a visitação da caverna Santana (PETAR-SP)? Revista Brasileira de Ecoturismo, São Paulo, v.10, n.3, p.645-669, 2017.

LOBO, H.A.S.; FOGAÇA, I.F. Planejamento Turístico em Unidades de Conservação Públicas: Espeleoturismo no Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR), SP. In: VII SEMINÁRIO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM TURISMO, Camboriú. Anais. Univali: Camboriú, 2011. p.1-12.

MARINHO, M.A. (Coord.). Plano de uso recreativo do PETAR, Iporanga e Apiaí/SP. São Paulo: WWF/Ing Ong, 2002.

NAKASHIMA, M.R. O PETAR: geografia, contradições e desenvolvimento. Tese (Doutorado) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. 2018.

NEIMAN, Z.; RABINOVICI, A. Espeleoturismo e educação ambiental no PETAR – SP. Turismo e Paisagens Cársticas, v.1, n.1, p.57-65, 2008.

MASUTTI, R.F.; LOBO, H A.S.; SANTOS, G.E.O.; TRAVASSOS, L.E.P.; ALVES, J.V.I.; PIRES, A.P.; GIUSTI, M.M. Percepção de lotação e nível de satisfação dos visitantes como contribuições para a capacidade de carga turística das cavernas do PETAR (Iporanga, SP): resultados preliminares. In: 34° Congresso Brasileiro de Espeleologia, 2017, Ouro Preto. Anais. Campinas: SBE, 2017. p.643-647.

MORAES, R. Análise de conteúdo. Revista Educação, Porto Alegre, v.22, n.37, p.7-32, 1999.

OLABUENAGA, J.I.R.; ISPIZUA, M.A. La descodificación de la vida cotidiana: metodos de investigacion cualitativa. Bilbao: Universidad de Deusto, 1989.

PAVOVLICH, K. The evolution and transformation of a tourism destination network: the Waitomo Caves, New Zealand. Tourism Management, v.24, n.2, p.203-216, 2003.

ROCHA, P.R.R. Avaliação dos impactos ambientais causados pelo espeleoturismo na caverna de Terra Ronca do Parque Estadual Terra Ronca – GO. Monografia (Graduação) – Faculdade UnB Planaltina, Universidade de Brasília. 2017.

ROSA, P.F.; CARVALHINHO, L.A.D.; SOARES, J.A.P. A participação de stakeholders no planejamento e gestão do turismo e da recreação em áreas protegidas: Fundamentos para o processo participativo. Tourism & Management Studies, v.12, n.2, p.96-106, 2016.

SARFATI, G.; SANO, N.N. Estudo Comparado da Gestão das Visitações nos Parques Estaduais Turísticos do Alto da Ribeira (PETAR) e Intervales (PEI). Turismo em Análise, v.23, n.1, p.207-237, 2012.

SAUTTER, E.; LEISEN, B. Managing stakeholders a Tourism Planning Model. Tourism Management, v.26, n.2, p.312-328, 1999.

SAVAGE, G.T.; NIX, T.W.; WHITEHEAD, C.J.; BLAIR, J.D. Strategies for assessing and managing organizational stakeholders. Academy of Management, v.5, n.2, p. 61-75, 1991.

SCALEANTE, J.A.B. O impacto da visitação intensiva em cavernas. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ESPELEOLOGIA, 27, Januária. Anais. Januária: SBE, 2003. p. 72-83.

SPINK, M.J.P. Aventura, liberdade, desafios, emoção: os tons do apelo ao consumo do risco-aventura. Revista de Ciências Sociais, n.37, p. 45-65, 2012.

UNESCO. Atlantic forest south-east reserves. Paris: Unesco, 1999. Disponível em: <http://whc.unesco.org/en/list/893>. Acesso em: 15 Fev. 2018.

VEIGA, A.C.P. Perspectivas socioeconômicas da população do bairro da Serra em relação à elaboração do Plano de Manejo Espeleológico do PETAR – Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira. Monografia (Bacharelado em Turismo) – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Rosana, 2009.

XAVIER, F.V.; RIBAS, R.D.; BRAZ, A.M. Avaliação de impactos socioambientais na Gruta da Lapinha, Lagoa Santa/MG e seu entorno pela atividade turística. Geografia (Londrina). v.26. n.1. p.19–33, 2017.

Downloads

Publicado

01.12.2021

Como Citar

Borsanelli, F. A., Neiman, Z., & Lobo, H. A. S. (2021). Percepção dos stakeholders sobre os impactos do fechamento das cavernas turísticas do PETAR em 2008. Revista Brasileira De Ecoturismo (RBEcotur), 14(5). https://doi.org/10.34024/rbecotur.2021.v14.12856
##plugins.generic.dates.received## 2021-10-21
##plugins.generic.dates.published## 2021-12-01

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2 3 4 5 6 7 8 9 > >>