Tecnologia Assistiva na Distrofia Muscular de Duchenne

Aplicabilidade e Benefícios

Autores

  • Flávia Cristina Carbonero Fisioterapeuta, Faculdade Anhanguera de Campinas, Campinas-SP, Brasil.
  • Gabriela Mariotoni Zago
  • Denise Campos Fisioterapeuta, Professora Doutora, Docente do Curso de Fisioterapia da Faculdade Anhanguera de Campinas, Membro do Grupo Interdisciplinar de Avaliação do Desenvolvimento Infantil (GIADI), Campinas-SP, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2012.v20.8310

Palavras-chave:

Distrofia Muscular de Duchenne, Doenças Neuromusculares, Fisioterapia, Reabilitação, Tecnologia Assistiva

Resumo

A Distrofia Muscular de Duchenne (DMD) é a doença neuromuscu­lar mais frequente em crianças, com incidência de 1 para cada 3.500 recém nascidos do sexo masculino. Trata-se de uma patologia progres­siva, causadora de limitação motora, perda da deambulação e óbito por volta da segunda década de vida. A Tecnologia Assistiva (TA) corresponde a uma ampla gama de serviços e equipamentos aplicados para minimizar os déficits funcionais de pessoas com deficiência. Ob­jetivo. O presente estudo teve como objetivo verificar os benefícios da TA em portadores da DMD. Método. Tratou-se de um trabalho de revisão de literatura. Foram utilizados livros e artigos publicados na base de dados lilacs, scielo e pubmed, nas línguas portuguesa e inglesa. Resultados. Foram selecionados 31 artigos científicos, 2 dissertações, 1 manual e 06 livros. Conclusão. Os estudos analisados mostraram a importância da prescrição e inclusão da TA no tratamento da DMD, pois tais recursos podem prevenir encurtamentos musculares, prorro­gar o tempo da marcha e, consequentemente, adiar o confinamento à cadeira de rodas e óbito precoce por complicações respiratórias.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Colnago EM, Drumond GC, Carvalho HZ, Matos IF, Thomaz JC, Zoghaib J, et al. Distrofia Muscular de Duchenne. Trabalho apresentado à Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória – EMESCAM. Vitória, 2006, p.4-32.

Hallum A. Doenças Neuromusculares. In: Umphred DA (Org.). Reabilitação Neurológica. 2. ed. São Paulo: Manole, 2004, p.384-436.

Santos NM, Rezende MM, Terni A, Hayashi MCB, Fávero FM, Quadros AAJ, et al. Perfil clínico e funcional dos pacientes com Distrofia Muscular de Duchenne assistidos na Associação Brasileira de Distrofia Muscular (ABDIM) - Functional and Clinical Profile of Duchenne muscular dystrophy patients attending the Brazilian Association of muscular dystrophy (ABDIM). Rev Neuroc 2006;14:15-22.

Caromano FA, Tanaka C, João SMA, Kamisaki AP, Yano KC, Ide MR. Correlação da massa e porcentagem de gordura com a idade na distrofia muscular de Duchenne. Fisioter mov 2010;23:221-7.

Pena FF, Rosolém FC, Alpino AMS. Contribuição da fisioterapia para o bem-estar e a participação de dois alunos com Distrofia Muscular de Duchenne no ensino regular - The contribution of physiotherapy for the well-being and participation of two students with Duchenne Muscular Dystrophy in regular school. Revista Brasileira de Educação Especial 2008;14:447-62.

Freeza RM, Silva SRN, Fagundes SL. Atualização do tratamento fisioterapêutico das distrofias musculares de Duchenne e de Becker. RBPS 2005;18:41-9. http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2005.p41

Soares JL. Dicionário de Biologia: etimológico e circunstanciado. São Paulo: Scipione, 1993, p.124.

Fonseca JG, Machado MJF, Ferraz CLMS. Distrofia Muscular de Duchenne: Complicações respiratórias e seu tratamento. Ver Ciênc Méd 2007;16:109-20.

Reed UC. Doenças Neuromusculares; Jornal de Pediatria 2002;78(suppl. 1):89-103. http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572002000700012

Gonçalves M, Dylewski V, Chaves ACX, Silva TM, Fávero FM, Fontes SV, et al. Qualidade de vida: análise comparativa entre crianças com distrofia muscular de Duchenne e seus cuidadores. Rev Neurocienc 2008;16:275-9.

Willing TN. Nutritional assessment in Duchenne Muscular Dystrophy. Dev Med Child Neurol 1993;35:1074-82. http://dx.doi.org/10.1111/j.1469-8749.1993.tb07925.x

Pereira RPL, Ferreira MFA. Intervenção fisioterapêutica nas disfunções motoras relacionadas à marcha no portador de Distrofia Muscular de Duchenne. In: Livro de Memórias do V Congresso Científico Norte-nordeste – CONAFF, Maceió-Alagoas, 2008, p.56-63.

Moreira ASS, Araújo APQC. Não reconhecimento dos sintomas iniciais na atenção primária e a demora no diagnóstico da Distrofia Muscular de Duchenne. Rev Bras Neurol 2009;45:39-43.

Araújo APQC, Deco MC, Klôh BS, Costa MR, Góis FV, Guimarães AFCM. Diagnosis delay of Duchenne muscular dystrophy. Rev Bras Saúde Materno Infantil 2004;4:179-83.

Billard C, Gillet P, Signoret JL, Uicaut E, Bertrand P, Fardeau M, et al. Cognitive functions in duchenne muscular dystrophy: A reappraisal and comparison with spinal muscular atrophy. Neuromuscular Disorders 1992;2:371-8. http://dx.doi.org/10.1016/S0960-8966(06)80008-8

Edelstein JE, Bruckner J. Órteses: Abordagem clínica. Série Physio – Fisioterapia Pediátrica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006, p.1-212.

Silva DCB, Foronda FAK, Troster EJ. Ventilação não invasiva em pediatria. J Pediatr 2003;79(Supl 2):161-8.

Introdução à Tecnologia Assistiva (endereço na internet). Porto Alegre-RS: CEDI - Centro Especializado em Desenvolvimento Infantil. (atualizado em:2010; acessado em: setembro de 2010). Disponível em: http://www.assistiva.com.br.

Longo AME, Moreno VMT. Evaluation of the quality of life of children with Duchenne’s progressive muscular dystrophy. Rev Neurol 2007;45:81-7.

Vandervelde L, Van den Bergh PY, Goemans N, Thonnard JL. Activity limitations in patients with neuromuscular disorders: a responsiveness study of the ACTIVLIM questionnaire. Neuromuscul Disord. 2009; 19:99-103. http://dx.doi.org/10.1016/j.nmd.2008.11.004

Stuberg W. Home accessibility and adaptive equipment in duchenne muscular dystrophy: a case report. Pediatr Phys Ther 2001;13:169-74. http://dx.doi.org/10.1097/00001577-200112000-00004 http://dx.doi.org/10.1097/00001577-200101000-00004

Oliveira PL, Melo KB, Lopez JV, Monteiro CF. Conversando sobre órteses: Uma intervenção ilustrativa e didática sobre orientações e cuidados. In: X Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e VI Encontro Latino Americano de Pós-Graduação – Universidade do Vale do Paraíba, 2006, p.660-4.

Governo do Estado do Rio Grande do Sul – Secretaria de saúde do Rio Grande do Sul, Manual Operativo para a Dispensação e Concessão de Órteses, Próteses e Meios Auxiliares de Locomoção do Estado do Rio Grande do Sul. 2005, p.01–21.

Bakker JP, De Groot IJ, De Jong BA, Van Tol-De Jager MA, Lankhorst GJ. Prescription pattern for orthoses in The Netherlands: use and experience in the ambulatory phase of Duchenne muscular dystrophy. Disabil Rehabil 1997;19:318-25. http://dx.doi.org/10.3109/09638289709166545

Garralda ME, Muntoni F, Cunniff A, Caneja AD. Knee-ankle-foot orthosis in children with duchenne muscular dystrophy: user views and adjustment. Eur J Paediatr Neurol 2006;10:186-91. http://dx.doi.org/10.1016/j.ejpn.2006.07.002

Ziter FA, Allsop KG. The value of orthoses for patients with Duchenne muscular dystrophy. Phys Ther 1979; 59:1361-5.

Vignos PJ, Wagner MB, Karlinchak B, Katirji B. Evaluation of a program for long-term treatment of Duchenne muscular dystrophy: Experience at the University Hospitals of Cleveland. Medline. The Journal of Bone and Joint Surgery [serial on the internet]. 1996;78:1844-52.

Peduto MDC. Acometimento da força e da funcionalidade dos membros superiores em pacientes com Distrofia Muscular de Duchenne em corticoterapia (dissertação). São Paulo: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, 2008, 02-85p.

Koo B, Montes J, Gamarnik V, Yeager K, Marra J, Dunaway S, et al. Design and evaluation of a hybrid passive and active gravity neutral orthosis (GNO). Conf Proc IEEE Eng Med Biol Soc. 2009; 1:1573-6.

Teixeira E, Oliveira MC, Santos LSB, Sauron FN. Terapia Ocupacional na Reabilitação Física. São Paulo: Roca, 2003, p.1-571.

Wagner MB, Vignos PJ Jr, Carlozzi C, Hull AL. Assessment of hand function in Duchenne muscular dystrophy. Arch Phys Med Rehabil 1993;74:801-4. http://dx.doi.org/10.1016/0003-9993(93)90004-T

Heller KD, Forst R, Forst J, Hengstler K. Scoliosis in Duchenne muscular dystrophy: aspects of orthotic treatment. Prosthet Orthot Int 1997;21:202-9.

Bach, JR. Evolução natural. In: Bach JR. Guia de exame e tratamento das doenças neuromusculares. São Paulo: Santos, 2004, p.5-11.

Pellegrini N, Guillon B, Prigent H, Pellegrini M, Orlikovski D, Raphael JC, et al. Optimization of power wheelchair control for patients with severe Duchenne muscular dystrophy. Neuromuscul Disord 2004;14:297-300. http://dx.doi.org/10.1016/j.nmd.2004.02.005

Bastos VA, Dutra FCM. Atuação da fisioterapia na escola visando o deficiente físico. In: Moura EW, SILVA PAC (Org.). Aspectos Clínicos e Práticos da Reabilitação. São Paulo: Artes Médicas, 2005, p.657-67.

Lorenzini MV. O papel do Fisioterapeuta em Classe Especial de Crianças Portadoras de Deficiência Física. Fisioter Mov 1992;4:17-25.

Tagliari C, Três F, Oliveira SG. Análise da acessibilidade dos portadores de deficiência física nas escolas da rede pública de Passo Fundo e o papel do fisioterapeuta no ambiente escolar. Cadernos de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento 2009;9:76-91.

Ramos FAB, Ordonho MC, Pinto TCVR, Lima CA, Vasconcelos CR, Lins e Silva DA. Força muscular e peak flow em pacientes com distrofia do tipo Duchenne. Pulmao. 2008;17:81-6.

Miranda MCSM, Stanich P. Estado nutricional de portadores de Distrofia Muscular de Duchenne: Diagnóstico e intervenção. Rev Bras Obes Nut Emag 2007;1:1-10.

Strehle EM. Manejo de longo prazo em crianças com transtornos neuromusculares. J Pediatr 2009;85:379-84.

Downloads

Publicado

2012-03-31

Como Citar

Carbonero, F. C., Zago, G. M., & Campos, D. (2012). Tecnologia Assistiva na Distrofia Muscular de Duchenne: Aplicabilidade e Benefícios. Revista Neurociências, 20(1), 109–116. https://doi.org/10.34024/rnc.2012.v20.8310

Edição

Seção

Artigos de Revisão

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)