A morte e os enjeitados na freguesia da Cidade do Natal (séc. XVIII e XIX)

  • Thiago do Nascimento Torres de Paula UFRN / SEEC-RN
Palavras-chave: Morte; Recém-nascidos; Enjeitados

Resumo

Tudo quanto tem vida morre, e na América portuguesa os recém-nascidos indiferentes da qualidade ou condição, eram ceifados bem cedo. Sendo assim, o objetivo deste trabalho é analisar a morte na freguesia da Cidade do Natal, especificamente a morte dos recém-nascidos enjeitados nos séculos XVIII e XIX. As fontes examinadas foram: os Assentos de batismo e óbito; os Termos de vereação; o Primeiro livro de tombo da igreja matriz da Cidade do Natal, entre outras. Os procedimentos aplicados a documentação estão ligados a duas ordens: uma quantitativa e outra qualitativa. A primeira para estabelecer índices, a segunda para compreender as práticas dos indivíduos diante a morte dos enjeitados. Tudo analisado a luz de referenciais da história sócio cultural.

Referências

FONTES

Assentos de batismo da freguesia da Cidade do Natal, 1750-1835 (Arquivo da Cúria Metropolitana da Arquidiocese de Natal).

MAÇO: 1753-1755.

MAÇO: 1755-1757.

MAÇO: 1760-1761.

MAÇO: 1761-1763.

MAÇO: 1763-1765.

MAÇO: 1765-1766.

MAÇO: 1768-1770.

MAÇO: 1770-1777.

MAÇO: 1786-1795.

MAÇO: 1792-1813.

LIVRO: 1795-1807.

MAÇO: 1799-1807.

MAÇO: 1803.

MAÇO: 1813-1815.

MAÇO: 1810, 1813, 1815, 1821, 1822, 1831, 1835.

LIVRO: 1826-1835.

Assentos de óbito da freguesia da Cidade do Natal, 1760-1835 (Arquivo da Cúria Metropolitana da Arquidiocese de Natal).

MAÇO: 1760-1765.

MAÇO: 1762-1765.

MAÇO: 1767.

MAÇO: 1768.

MAÇO: 1780-1784.

MAÇO: 1784-1791.

MAÇO: 1788-1802.

MAÇO: 1792-1793.

MAÇO: 1795-1802.

MAÇO: 1795-1845.

LIVRO: 1820-1847.

IDEIA da População da Capitania de Pernambuco, e das suas annexas, extenção de suas Costas, Rios, e Povoações notaveis, Agricultura, numero dos Engenhos, Contractos, e Rendimentos Reaes, augmento que estes tem tido &. a &. a desde anno de 1774 em que tomou posse do Governador das mesmas Capitanias o Governador e Capitão General Jozé Cezar de Menezes. In: ANNAIS DA BIBLIOTHECA NACIONAL DO RIO DE JANEIRO, publicados sob a administração do Director geral interino (Dr. Aurelio Lopes de Souza). Rio de Janeiro: Officinas Graphicas da Biblioteca Nacional, 1923. (Vol. XL – 1918)

ORDENAÇÕES FILIPINAS – Disponível em: <http://www1.ci.uc.pt/ihti/proj/filipinas/ordenacoes.htm> Acessado em: 11/06/2015.

Primeiro Livro de Tombo da igreja matriz de Nossa Senhora da Apresentação da Cidade do Natal, 1725-1890 (Arquivo da Cúria Metropolitana da Arquediocese de Natal).

Termos de vereação do Senado da Câmara da Cidade do Natal, 1709-1823 (Arquivo do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte).

LIVRO: 1709-1721.

LIVRO: 1721-1735.

LIVRO: 1737-1742.

LIVRO: 1743-1744.

LIVRO: 1745-1752.

LIVRO: 1766-1781.

LIVRO: 1781-1784.

LIVRO: 1784-1793

LIVRO: 1784-1803.

LIVRO: 1793-1803.

LIVRO: 1815-1823.

Bibliografia

ANDRÉS, Pedro Quintana, CABRERA, Manuel Lobo. Expósitos en la isla de la Palma (1673-1757). Anuario de Estudos Atlánticos. 2013. p. 809-884. Disponível em: <http://anuariosatlanticos.casadecolon.com/index.php/aea/article/viewFile/719/719> Acessado em: 30/10/2015.

ARAÚJO, Cíntia Ferreira. Os frutos enjeitados: o abandono de crianças na Mariana Oitocentista. In: VENÂNCIO, Renato Pinto. Uma história social do abandono de crianças – De Portugal ao Brasil: séculos XVIII-XX. São Paulo: Alameda, 2010. p. 177-202.

ARIÈS, Philippe. História da morte no ocidente – Da Idade Média aos nossos dias. Trad. Priscila Viana de Siqueira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2012. 290p.

ARIÈS, Philippe. O homem diante da morte. Trad. Luiza Ribeiro. São Paulo: UNESP, 2014. 837p.

CAPILLA, Manuel Vallecillo, ROS, Guillermo Olagüe de. Política demográfica y realidad social en la España del siglo XVIII: la asistencia al niño expósito en Granada (1753-1808). Acta Hispanica ad Medicinae Scientiarumque Historiam Illustrandam. V. 2, p. 211-240, 1982.

CASCUDO, Luís da Câmara. Anúbis e outros ensaios: mitologia e folclore. 2. ed. Rio de Janeiro: FUNARTE / Achiamé; Natal: UFRN, 1983. 219p.

CASCUDO, Luís da Câmara. História do Rio Grande do Norte. 2. ed. Natal: Fundação José Augusto, Rio de Janeiro: Achiamé, 1984. 524p.

CASCUDO, Luís da Câmara. Paróquias do Rio Grande do Norte. Mossoró: Fundação Vingt-un Rosado, 1992. 98p.

CAVAZZANI, André Luiz M. Um sobre a exposição e os expostos na Vila de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais de Curitiba (segunda metade do século XVIII). 158f. Dissertação (Mestrado em História) – Setor de Ciências Humanas Letras e Artes, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2005.

ELIAS, Norbert. Introdução à sociologia. Trad. Maria Luiza Ribeiro Ferreira. Lisboa: Edições 70, 1980. 202p.

ELIAS, Norbert. A sociedade de corte: investigação sobre a sociologia da realeza e da aristocracia de corte. Trad. Pedro Süssekind. Rio de Janeiro: Zahar, 2001. 312p.

ELIAS, Norbert. A solidão dos moribundos – envelhecer e morrer: alguns problemas sociológicos. Trad. Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001. 107p.

FARIA, Sheila de Castro. A colônia em movimento: fortuna e família no cotidiano colonial. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998. 432p.

FARIA, Sheila de Castro. A propósito das origens dos enjeitados no período escravista. In: VENÂNCIO, Renato Pinto (Org.). Uma história social do abandono de crianças: de Portugal ao Brasil – séculos XVIII-XX. São Paulo: Alameda, 2010. p. 81-98.

FRANCO, Renato. A piedade dos outros: o abandono de recém-nascidos em uma vila colonial, século XVIII. Rio de Janeiro: FGV (Fundação Getúlio Vargas), 2014. 254p.

HUAMÁN, Richard Chuhue. Enterramiento de expósitos y benefactores en la bóveda sepulcral de la iglesia y hospícios de niños huérfanos de Lima. In: HUAMÁN, Richard Chuhue, LUNA, Pieter van Dalen (Org.). Lima subterránea – arqueologia histórica: criptas, bóvedas, canales virreinales y republicanos. Lima: Universidad Nacional Mayor de San Marcos, 2014. p. 154-175.

MARCÍLIO, Maria Luiza. História social do abandono de crianças. São Paulo: HUCITEC, 1998. 210p.

MARCÍLIO, Maria Luiza. A roda dos expostos e a criança abandonada na história do Brasil. 1726-1950. In: FREITAS, Marcos Cezar de (Org.). História social da infância no Brasil. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2001. p. 75-98.

MEIRELLLES, Pedro Von Mengden. Um terreno cheio de asperezas: o cemitério da matriz de Porto Alegre no cotidiano da cidade (1772-1888). 243f. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

MELO, Sara, CHORÃO, Rui. Espasmos de choro: problema de comportamento? Nascer e crescer – Revista do hospital de crianças Maria Pia. v. XIX, n. 1, p. 20-24, 2010. Disponível em: < http://repositorio.chporto.pt/bitstream/10400.16/671/1/v19n1artRev.pdf > Acesso em: 08 jan 2016.

MONTEIRO, Denise Mattos. Introdução à história do Rio Grande do Norte. Natal: UFRN, 2000. 190p.

MORENO, José Luis. El delgado hilo de la vida: los niños expósitos de Buenos Aires, 1779-1823. Revista de Indias, v. LX, n. 220, p. 664-685, 2000.

NADALIN, Sergio Odilon. História e Demografia: elementos para um diálogo. Campinas: ABEP, 2004. 358p.

NASCIMENTO, Alcileide Cabral. A sorte dos enjeitados: o combate ao infanticídio e a institucionalização da assistência às crianças abandonadas no Recife (1789-1832). 305f. Tese (Doutorado em História) - Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006.

NASCIMENTO, Mara Regina do. Irmandades leigas em Porto Alegre: práticas funerárias e experiências urbanas séculos XVIII-XIX. 262f. Tese (Doutorado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.

OLIVEIRA, Henrique Luiz Pereira. Os filhos da falha: assistência aos expostos e remodelação das condutas em Desterro (1828-1887). 329f. Dissertação (Mestrado em História) – Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 1990.

PAULA, Thiago do Nascimento Torres de. Teias de caridade e o lugar social dos expostos da Freguesia de Nª Srª da Apresentação – Capitania do Rio Grande do Norte, século XVIII. 197f. Dissertação (Mestrado em História) - Centro de Ciências Humanas Letras e Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2009.

REIS, João José. A morte é uma festa – ritos fúnebres e revolta popular no Brasil do século XIX. São Paulo: Companhia das Letras, 1991. 357p.

REIS, João José. O cotidiano da morte no Brasil oitocentista. In: NOVAIS, Fernando A. (Coord.), ALENCASTRO, Luiz Felipe de. (Org.). História da vida privada no Brasil Império: a Corte e a modernidade nacional. São Paulo: Companhia das Letras, 1997. p. 35-67.

RODRIGUES, Cláudia. Nas fronteiras do além: a secularização da morte no Rio de Janeiro – século XVIII e XIX. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005. 390p.

RODRIGUES, Cláudia, FRANCO, Maria da Conceição Vilela. O corpo morto e o corpo do morto entre a Colônia e o Império. In: DEL PRIORE, Mary, AMANTINO, Marcia (Orgs.). História do corpo no Brasil. São Paulo: UNESP, 2011. P.157-184.

Publicado
2020-03-11
Como Citar
Torres de Paula, T. do N. (2020). A morte e os enjeitados na freguesia da Cidade do Natal (séc. XVIII e XIX). Revista Hydra: Revista Discente De História Da UNIFESP, 4(7), 307-337. https://doi.org/10.34024/hydra.2019.v4.9833