IMAGEM, ARTE E PATHOSFORMEL EM ABY WARBURG

  • Priscila Risi Pereira Barreto Unifesp
Palavras-chave: Aby Warburg, Pathosformeln, Historiografia da arte

Resumo

Este artigo versa sobre as ideias de imagem, arte e Pathosformeln nos estudos de Aby Warburg, na observância de que esses conceitos se misturam em grande parte de sua obra, cuja amplitude se estende em sua produção escrita, sua biblioteca e seu Atlas de imagens. Consideramos essa mistura fundamental em sua abordagem de pesquisa histórico-artística interdisciplinar, investigando diferentes suportes visuais como testemunhos do homem no tempo. Warburg defendeu a ampliação temática, espacial e metodológica da “nossa ciência da arte” e retomou a tradição de Jacob Burckhardt de comunhão entre História da Arte e História da Cultura. No rastro de detalhes que desvelavam coexistências, contradições e “significados invertidos” das tradições recorrentes e reativas em um mesmo espaço-tempo, rompeu as barreiras entre Ocidente e Oriente e reinterpretou as noções de clássico, antigo e do próprio Renascimento. Em uma chave interdisciplinar de pesquisa que considera a arte em seu contexto, foi além com sua proposta de uma ciência cultural e a “tarefa de considerar a obra de arte não apenas como espelho da vida histórica, mas também como instrumento de orientação no cosmos celeste”. (WARBURG, Aby. O legado do antigo. Escritos inéditos. Campinas, SP: Ed. UNICAMP, 2018a. v. 1, p. 32.)

Biografia do Autor

Priscila Risi Pereira Barreto, Unifesp

Graduada em História e mestranda em História da Arte pela Universidade Federal de São Paulo (PPGHA-UNIFESP), com financiamento pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). Pesquisadora acerca dos temas: Aby Warburg e iconografia astrológica, Historiografia e História da Arte, Memória e Patrimônio Cultural.

Referências

REFERÊNCIAS
BARROS, José D’Assunção. A visibilidade pura: uma análise comparada das concepções de Alois Riegl e Heinrich Wolfflin. Revista Visuais, v. 3, n. 5, p. 32-58, 2017.
BERTOZZI, Marco; PEDERSOLI, Alessandra; SASSU, Giovanni. Mese per mese. Lettura dei registri del Salone dei Mesi di Palazzo Schifanoia a Ferrara. 2013. Disponível em: . Acesso em: 14 jul. 2019.
BURCKHARDT, Jacob. A cultura do Renascimento na Itália. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.
CASSIRER, Ernst. A filosofia das formas simbólicas. O pensamento mítico. São Paulo: Martins Fontes, 2004. v. 2.
DAMAS, Naiara. A história da cultura e a temporalidade das formas culturais: Johan Huizinga e Aby Warburg. Revista Figura: Studies on the Classical Tradition, v. 5, n. 1, p. 197-216, 2017.
FERNANDES, Cássio da Silva. Aby Warburg e o problema da mudança do estilo na arte do Renascimento. Revista Figura: Studies on the Classical Tradition, v. 5, n. 1, p. 71-102, 2017.
GINZBURG, Carlo. Medo, reverência, terror: quatros ensaios de iconografia política. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.
GOMBRICH, Ernst Hans Josef. Aby Warburg. Una biografia intelectual. Madrid: Alianza, 1992.
LUDUEÑA ROMANDINI, Fabián. A ascensão de Atlas. Glosas sobre Aby Warburg. Florianópolis: Cultura e Barbárie, 2017.
MAHÍQUES, Rafael García. Aby Warburg y la imagen astrológica. Los inicios de la Iconología. Millars: Espai i Historia, n. 19, p. 67-90, 1996.
SACCO, Daniela. Le trame intrecciate di Mnemosyne. Aby Warburg e Carl Gustav Jung a confronto. In: DONFRANCESCO, Francesco. (a cura di) Un remoto presente. Firenze: Moretti & Vitali, 2002. p. 3-17.
SALAZAR, Mauricio Oviedo. Per Monstra ad Sphaeram: la función del arte de la estampa en la concepción de Aby Warburg respecto del proceso de liberación astrológica, en la época del Renacimiento y la Reforma. Revista de Filosofía de la Universidad de Costa Rica, v. 56, n. 146, p. 7-272, 2017.
SAXL, Fritz. A história da Biblioteca Warburg – 1866-1944. In: WARBURG, Aby. O legado do antigo. Escritos inéditos. Campinas, SP: Ed. UNICAMP, 2018. v. 1, p. 170-184.
SCARSO, Davide. Fórmulas e arquétipos, Aby Warburg e Carl Jung. 2006. Disponível em: . Acesso em: 16 mar. 2018.
SIMÕES, Thomaz Carneiro de Almeida. Entre o homem aventureiro e o homem histórico: Aby Warburg, 1896-1923. 171 f. Dissertação (Mestrado em História) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.
THE WARBURG INSTITUTE. Iconographic Database. Disponível em: . Acesso em: 15 out. 2018.
WARBURG, Aby. A renovação da Antiguidade pagã: contribuições científico-culturais para a história do Renascimento europeu. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013.
WARBURG, Aby. Histórias de fantasma para gente grande: escritos, esboços e conferências. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.
WARBURG, Aby. O legado do antigo. Escritos inéditos. Campinas, SP: Ed. UNICAMP, 2018a. v. 1.
WARBURG, Aby. De arsenal a laboratório. In: WARBURG, Aby. O legado do antigo. Escritos inéditos. Campinas, SP: Ed. UNICAMP, 2018b. v. 1, p. 24-34.
WARBURG, Aby. A influência da Sphaera Barbarica sobre as tentativas de orientação no cosmos no Ocidente. Em memória de Franz Boll. In: WARBURG, Aby. O legado do antigo. Escritos inéditos. Campinas, SP: Ed. UNICAMP, 2018c. v. 1, p. 100-141.
WEB GALLERY OF ART. Gallery online since 1996. Disponível em: . Acesso em: 5 mar. 2019.
WIND, Edgar. O conceito de “Kulturwissenschaft” em Warburg e o seu significado para a estética. In: WARBURG, Aby. O legado do antigo. Escritos inéditos. Campinas, SP: Ed. UNICAMP, 2018. v. 1, p. 185-202.
Publicado
2019-08-01
Como Citar
Barreto, P. R. P. (2019). IMAGEM, ARTE E PATHOSFORMEL EM ABY WARBURG. Revista Hydra: Revista Discente De História Da UNIFESP, 3(6), 83-113. Recuperado de https://periodicos.unifesp.br/index.php/hydra/article/view/9590