Violência, juventude e idolatria clubística:

Uma pesquisa quantitativa com torcidas organizadas de futebol no Rio de Janeiro e em São Paulo

  • Bernardo Borges Buarque de Hollanda Doutor em História Social da Cultura pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-Rio). Pesquisador do CPDOC; Professor da Escola de Ciências Sociais (FGV)
  • Jimmy Medeiros Doutorando em Políticas Públicas, Estratégia e Desenvolvimento pela IE/UFRJ
Palavras-chave: Futebol, Violência, Torcida, Identidade Coletiva

Resumo

O presente artigo apresenta resultados de uma pesquisa quantitativa realizada com segmentos associativos de torcedores de futebol, denominados comumente de torcidas organizadas e/ou torcidas uniformizadas. A proposta geral do trabalho propôs-se a traçar um perfil socioeconômico do torcedor organizado contemporâneo, bem como a mapear a distribuição espacial das torcidas nas cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo. A aplicação de questionários foi feita entre 2013 e 2015 e abrangeu um universo de mais de mil respondentes. Para os limites deste artigo, apresentam-se as percepções que os jovens aficcionados têm de suas próprias associações e de seus próprios comportamentos grupais nos estádios, nas sedes dos clubes, nas caravanas de viagem e nos trajetos rumo aos jogos. Marcados pelo estigma da violência, fonte de constante controvérsia por parte da opinião pública, procura-se aqui apresentar um quadro sociológico atualizado desses agrupamentos, acentuando aspectos mais compreensivos que judicativos. Evitam-se os juízos de valor e procura-se compreender de que modo os torcedores organizados veem sua atuação no universo do futebol profissional de alto rendimento, de que maneira eles se comportam diante das rivalidades clubísticas e como reconhecem suas ações coletivas segundo critérios de tipificação da violência mais ou menos aceitos, mais ou menos internalizados socialmente.

Referências

ABRAMO, Helena Wendel. Cenas juvenis: punks e darks no espetáculo urbano. São Paulo: Scritta, 1994.

ALMEIDA, Alberto Carlos. Como são feitas as pesquisas eleitorais e de opinião. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2002.

ANDRADE, Carla Coelho de. Entre gangues e galeras: juventude, sociabilidade e violência na periferia do Distrito Federal. (Tese de Doutorado) Antropologia Social, UNB, Brasília, 2007.

BALIEIRO, Silvia. “Quem são os novos torcedores do futebol brasileiro? pesquisa mostra o perfil, os interesses e os hábitos de quem acompanha o esporte”. Época Negócios. 08 de novembro de 2013.

BRAZ, BRUNO. "Clássico da amizade é marcado por brigas entre torcidas de Bota e Vasco”. UOL.com.br. Rio de Janeiro, 29 de fevereiro de 2016.

CASTRO, Jorge Abrahão de; AQUINO, Luseni Maria C. de; ANDRADE, Carla Coelho de. “Juventude e políticas sociais no Brasil”. Brasília: IPEA, 2009.

DATAFOLHA. DNA Paulistano. São Paulo: Publifolha, 2009.

EUFRÁSIO, Mário Antônio. Estrutura urbana e ecologia humana: a Escola de Chicago (1915-1940). São Paulo: Editora 34, 1999.

GLOBOESPORTE.COM. 2016. “Presidente da Gaviões da Fiel é espancado e tem braços quebrados”. Globoesporte.com São Paulo, 02 de março de 2016.

HOLLANDA, Bernardo Borges Buarque de. O clube como vontade e representação: o jornalismo esportivo e a formação das torcidas organizadas de futebol do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: 7Letras, 2010.

HOLLANDA, Bernardo Borges Buarque de; MEDEIROS, Jimmy; TEIXEIRA, Rosana da Câmara. A voz da arquibancada: narrativas de lideranças da Federação de Torcidas Organizadas do Rio de Janeiro (FTORJ). Rio de Janeiro: 7Letras, 2015.

MENEZES, Isabela Trindade. Entre a fúria e a loucura: duas formas de torcer pelo Botafogo. Rio de Janeiro: (Dissertação de Mestrado) Memória Social, UNI-Rio, 2010.

MINISTÉRIO DOS ESPORTES. 2016. http://www.esporte.gov.br/index.php/ultimasnoticias/209-ultimas-noticias/55644-ministerios-do-esporte-e-da-justica-lancam-guia-derecomendacoes-de-seguranca-em-pracas-desportivas. Acesso em: 14 de junho de 2016.

MINISTÉRIO DOS ESPORTES. 2016. http://esporte.gov.br/index.php/noticias/24-listanoticias/49490-iii-seminario-nacional-de-torcidas-organizadas-em-belo-horizonte-discutepromocao-da-paz-nos-estadios. Acesso em 15 de junho de 2016.

REIS, Heloisa Helena Baldy dos. Futebol e violência. Campinas: Armazém do Ipê; Fapesp, 2006.

REIS, Heloisa Helena Baldy dos. “Lei Geral da Copa, álcool e o processo de criação da legislação sobre violência”. Movimento, v.18, n.1, Porto Alegre, 2012.

SEBRELI, Juan José. La era del fútbol. Buenos Aires: Editorial Sudamericana, 1998.

TEIXEIRA, Rosana da Câmara. Os perigos da paixão: visitando jovens torcidas cariocas. São Paulo: Annablume, 2004.

TOLEDO, Luiz Henrique de. Torcidas organizadas de futebol. São Paulo: Autores Associados, 1996.

Publicado
2019-03-25
Como Citar
Hollanda, B. B. B. de, & Medeiros, J. (2019). Violência, juventude e idolatria clubística:. Revista Hydra: Revista Discente De História Da UNIFESP, 1(2), 97-125. https://doi.org/10.34024/hydra.2016.v1.9135
Seção
Artigos Livres