“A questão social é um caso de polícia”:

da tragédia à farsa, uma ponte entre a Primeira República e o século XXI

  • André Rosemberg Pós-doutor, ligado ao Observatório da Segurança Pública (UNESP/Marília).
Palavras-chave: violência, história da polícia, teoria da polícia

Resumo

Este artigo divide-se em duas partes: na primeira, analisa o processo de formação da polícia paulista na Primeira República, tendo como mote o aforismo pretensamente atribuído a Washington Luiz: “a questão social é um caso de polícia”. Pretende-se a partir desse clichê identificar uma chave interpretativa para se compreender aspectos semelhantes da função social da polícia naquele período com o tempo atual. Na segunda parte, o texto especula sobre a complexidade dos mandatos policiais, a partir de instrumentos teórico-metodológicos da Sociologia, numa tentativa de problematizar o móvel da ação policial.

Referências

ADORNO, Sérgio. “Consolidação democrática e políticas de segurança pública no Brasil: rupturas e continuidades”. In: ZAVERUCHA, Jorge (Org.). Democracia e instituições políticas brasileiras no final do século XX. Recife: Bagaço, 1998.

ALONSO, Ângela. “Crítica e contestação: o movimento reformista da geração 1870”, Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 15 n. 44, outubro de 2000.

_____. Flores, votos e balas – o movimento abolicionista brasileiro (1868-1888). São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

ALVAREZ, Marcos César. Bacharéis, criminologistas e juristas: saber jurídico e nova escola penal no Brasil - 1889 -1930. 1996, Tese (doutorado), Departamento de Sociologia, USP, São Paulo, 1996.

BAYLEY, David H. Padrões de policiamento. São Paulo: Edusp, 2006.

BITTNER, Egon. Aspectos do trabalho policial. São Paulo: Edusp, 2003.BRESCIANI, Maria Stella M. “O cidadão da República - liberalismo versus positivismo Brasil:

-1900”, Revista USP, n. 17, mar-mai 1993.

BRETAS, Marcos Luiz. ROSEMBERG, André. “A história da polícia no Brasil: balanço e perspectivas”, Topoi, N. 14, V. 26, jan./jul., 2013.

BRODEUR, Jean-Paul. “Mythes et réalités de la police”, Les visages de la police. Montreal: PUM, 2003.

CARVALHO, José Murilo de. Os bestializados. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

CHAN, Janet. “Changing police culture”, Journal of Criminology, vol. 36, n. 1, inverno de 1996.

CRUZ, Heloisa de Faria. “Mercado e polícia - São Paulo 1890-1915”, Revista Brasileira de História, vol. 7, n. 14.

CUNHA, Maria Clementina Pereira. “Os bacamartes da República: saberes e poderes no Brasil da virada do século XX”. In: SILVA, Fernando Teixeira da (org). República, liberalismo e cidadania. Piracicaba: Editora Unimep/MinC, 2003.

DALLARI, Dalmo de Abreu. O pequeno exército paulista. São Paulo: Perspectiva, 1977.

DEBBES, Célio. Washington Luís. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 1993.

FERNANDES, Heloisa Rodrigues. Política e segurança. Força Pública do Estado de São Paulo, fundamentos histórico-sociais. São Paulo: Editora Alfa-ômega, 1974.

FRANÇA. Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, art. 12, 1789.

FREIRE, Américo e CASTRO, Celso. “As bases republicanas dos Estados Unidos do Brasil”. In GOMES, Ângela de Castro et al. A República no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira/Fundação Getúlio Vargas, 2002.

FRENCH, John D. “Proclamando leis, metendo o pau e lutando por direitos – a questão social como caso de polícia, 1920-1964”. In: LARA, Silvia Hunold Lara e MENDONÇA, Joseli Maria Nunes (orgs). Direitos e justiças no Brasil. Campinas: Editora Unicamp, 2006, p. 379-416.

GEVAC/UFScar. Relatório Desigualdade Racial e Seguranca̧ Pública em São Paulo - Letalidade policial e prisões em flagrante.

HUMAN RIGHTS WATCH. Relatório Mundial 2016: Brasil.

LEAL, Victor Nunes. Coronelismo, enxada e voto. O município e o regime representativo no Brasil. São Paulo: Alfa-Omega, 1975.

LIMA, João Marcelo Maciel de. Democracia e Accountability – violência policial e práticas de controle sobre a Polícia Militar do Estado de São Paulo, 2011, Dissertação (mestrado). Departamento de Sociologia e Antropologia, UNESP, Marília, 2011.

LOVE, Joseph. “A república brasileira: federalismo e regionalismo (1889-1937)”. In: MOTTA, Carlos Guilherme (org). Viagem incompleta. A experiência brasileira (1500-2000): a grande transação. São Paulo: Ed. SENAC, 2000, pp. 121-162.

MATTOS, Ilmar R. “Do Império à República”, Estudos Históricos, vol. 2, n. 4, 1989.

MERTON, Robert K., SILLS, David L. e STIGLER, Stephen M. “The Kelvin dictum and social Science: na excursion into the history of na idea”, Journal of the History of Behavioral Sciences, vol. 20, n. 4, outubro de 1984, p. 319-331.

MONJARDET, Dominique. O que faz a polícia. São Paulo: Edusp, 2001.

MOURA, Esmeralda Blanco Bolsonaro de. “Imigrantes italianos em São Paulo na passagem para o século XX”. In: PRIORE, Mary Del (org). Revisão do Paraíso: os brasileiros e o Estado em 500 anos de História. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

NOVAIS, Fernando Antonio e SILVA, Rogerio Forastieri da. “Introducao: para a historiografia da Nova História”. In: NOVAIS, Fernando e SILVA, Rogerio Forastieri DA (orgs). Nova História em perspectiva. São Paulo: Cosacnaify, 2011, p. 6-73.

PERISSINOTTO, Renato M.. “Tradição e modernidade no state-building paulista: 1889-1930”. In: CALDEIRA, João Ricardo e ODALIA, Nilo (org). História do Estado de São Paulo: a formação da unidade paulista (história administrativa de São Paulo. São Paulo: IMESP, 2009, v. 3, p. 57-74.

REINER, Robert. A política da polícia. São Paulo: Edusp, 2004.

REIS, Elisa Pereira. “O Estado Nacional como Ideologia: o caso brasileiro”, Estudos Históricos, vol. 1, n. 2, 1988, p. 187-203.

RESENDE, Maria Efigênia Lage de. “O processo político na Primeira República e o liberalismo oligárquico”. In: FERREIRA, Jorge Ferreira e DELGADO, Lucila de Almeida Neves (orgs). O Brasil Republicano - o tempo do liberalismo excludente, da Proclamação da República à Revolução de 1930, vol. 1. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

ROSEMBERG, André. “As políticas de segurança pública nos primórdios: A força pública e a lei em São Paulo (1870-1901)”, Estudos de sociologia, Araraquara, v.17, n.33, 2012, p. 353-373.

_____. De chumbo e festim – uma história da polícia paulista no final do Império. São Paulo: Edusp, 2010.

SAPORI, Luís Flávio. Segurança Pública no Brasil: desafios e perspectivas. Rio de Janeiro: FGV, 2007.SEVCENKO, Nicolau. “Introdução”, História da vida privada no Brasil. Vol. 3: República: da Belle Époque à era do rádio. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

_____. Orfeu extático na metrópole - São Paulo sociedade e cultura nos frementes anos 20. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

SILVEIRA JUNIOR, Omar José da. “A ordem antes do progresso. A militarização da Força Pública paulista e sua inserção na política estadual de segurança (1892-1905)". In: MOURA, Esmeralda Blanco Bolsonaro de e FERLINI, Vera Lúcia Amaral (org). História econômica. São Paulo: Alameda, 2006.

SOUZA, Luis Antonio Francisco de. Poder de polícia, Polícia Civil e práticas policiais na cidade de São Paulo (1889-1930), 1998, Tese (doutorado), Departamento de Sociologia, USP, São Paulo, 1998.

TISCORNIA, Sofia. “Lo trucho”, painel apresentado no debate do ciclo “Temas argentinos”, em 3 de novembro de 2005, in: Debates en la cultura argentina, vol. 4, 2005-2006. Buenos Aires: Emecé, 2007, pp. 85-114.

WEBER, Max. The theory of social and economic organization. Nova York: The Free Press, 1947.

Publicado
2019-03-25
Como Citar
Rosemberg, A. (2019). “A questão social é um caso de polícia”:. Revista Hydra: Revista Discente De História Da UNIFESP, 1(2), 5-19. https://doi.org/10.34024/hydra.2016.v1.9128
Seção
Artigos Livres