Notas de uma trajetória:

a literatura, o ofício de escrever e o Rio de Janeiro de Graciliano Ramos

  • Gabriela de Oliveira Nery Costa Mestre em História Social pela Universidade Federal de São Paulo.
Palavras-chave: Graciliano Ramos, Literatura, Estado Novo

Resumo

Este artigo trata de parte da trajetória de Graciliano Ramos, durante a década de 1930 e 1940, com foco particular em sua atividade literária, em seu ofício de escritor. Pretendese aqui trazer à superfície os debates levantados pelo autor, em carta e crônica, sobre os desafios de se exercer o trabalho de literato no Rio de Janeiro daqueles anos a partir de sua experiência - incluindo a de ex-preso político dos cárceres varguistas - e de outros escritores no período do Estado Novo.

Referências

BASTOS, Hermenegildo, BRUNACCI; Maria Izabel, FILHO; Leonardo Almeida (org.), Catálogo de benefícios: o significado de uma homenagem, Brasília: Hinterlândia, 2010.

BOMENY, Helena (org.). Constelação Capanema: intelectuais e política, Rio de Janeiro: FGV, Bragança Paulista: Universidade São Francisco, 2001.

CANDIDO, Antonio, “’É o que penso, mas talvez me engane’: notas sobre o crítico Graciliano Ramos” em Floema – ano IX, Nº 11, p. 33-47, jul/dez.2015.

_________________,“A vida ao Rés-do-chão”. In: A Crônica. O Gênero, sua fixação e suas transformações no Brasil, Editora da Unicamp, Campinas, SP, 1992.

_________________, Ficção e Confissão: ensaios sobre Graciliano Ramos, Rio de Janeiro, 1992.

CHALHOUB, Sidney; NEVES, Margarida; PEREIRA, Leonardo (org.), História em cousas miúdas: capítulos de história social na crônica no Brasil, Unicamp, Campinas – SP, 2005.

CHALHOUB, Sidney, PEREIRA, Leonardo (orgs.); A história contada: capítulos de história social da literatura no Brasil, Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998.

DÓRIA, Carlos Alberto, Graciliano e o paradigma do papagaio, Revista do IEB, Nº 35, p. 19-34, 1993.

FLORENT, Adriana, Graciliano em seu tempo: o meio literário na era Vargas, São Paulo: Terceira Margem, 2011.

GRANJA, Lúcia; ANDRIES, Lise (org.), Literaturas e escritas da imprensa, Brasil/França, Século XIX, Campinas: Mercado de Letras, 2015.

GIMENEZ, Erwin Torralbo, “Graciliano Ramos, uma poética da insignificância” em Estudos Avançados, V. 23, Nº 67, São Paulo, 2009.

GOMES, Ângela de Castro, A Invenção do trabalhismo, Rio de Janeiro: Vértice/IUPERJ, 1988.

_________________, História e historiadores: política cultural do estado novo, Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2ª Edição, 1999.

_________________, (org.), Olhando para dentro (1930-1964), Rio de Janeiro: Objetiva, 2013.

_________________, “A ‘cultura histórica’ do Estado Novo”. Projeto História, São Paulo, Nº16, fevereiro/1998, p. 189.

GRAMSCI, Antonio, Intelectuais e a organização da cultura, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 4ª Edição, 1982.

LEBENZSTAYN, Ieda; “Graciliano Ramos por Otto Maria Carpeux: 120 anos, homenagem em dobro” In: Estudos Avançados, São Paulo, V. 26, Nº 76, set./dez., 2012.

LUCA, Tania Regina de, “Editoras e publicações periódicas: o caso do Boletim de Ariel” em Anais do XVIII Encontro Regional de História – O historiador e seu tempo. ANPUH/SP –UNESP/Assis, 24 a 28 de julho de 2006.

MAIA, Pedro Moacir. Cartas Inéditas: de Graciliano Ramos a seus tradutores argentinos Benjamín de Garay e Raúl Navarro, Edufba: Salvador, 2008.

MICELI, Sérgio, Intelectuais à brasileira, São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

MIRANDA, Wander Melo, “O valor enorme das palavras” em Revista do CESP, V. 26, Nº 35, Jan. – Jun., 2006. MORAES, Dênis de, O Velho Graça: uma biografia de Graciliano Ramos, Rio de Janeiro: José Olympio, 2a. Edição, 1993.

OLIVEIRA, Lúcia Lippi, VELLOSO, Mônica Pimenta, GOMES, Angela de Castro. Estado Novo: ideologia e poder, Rio de Janeiro: Zahar, 1982.

PALAMARTCHUK, Ana Paula, Os Novos Bárbaros: escritores e comunismo no Brasil (1928-1948), Tese de Doutoramento, Campinas, IFCH/UNICAMP, 2003.

PANDOLFI, Dulce (org.), Repensando o Estado Novo, Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 1999.

RAMOS, Ana Flávia Cernic. As Máscaras de Lélio: ficção e realidade nas “Balas de Estalo” de Machado de Assis, Tese de Doutoramento, Campinas – SP, 2010.

SOUZA, Ana Paula Cardozo de, Machado de Assis e a República de “A Semana”: literatura, imprensa e práticas populares (1829 – 7), Dissertação de Mestrado, Campinas – SP, 2015.

VELLOSO, Mônica Pimenta, “Os intelectuais e a política cultural do Estado Novo” em Revista de Sociologia e Política, Nº 9, 1997.

Publicado
2019-03-25
Como Citar
Costa, G. de O. N. (2019). Notas de uma trajetória:. Revista Hydra: Revista Discente De História Da UNIFESP, 2(3), 78-104. https://doi.org/10.34024/hydra.2017.v2.9103
Seção
Dossiê