The Discursos médico-pedagógicos e a luta contra a sífilis na cidade da Parahyba do Norte/João Pessoa (1921-1938)

medical-pedagogical speeches and the fight against syphilis in the city of Parahyba do Norte / João Pessoa

  • Rafael Nóbrega Araújo Universidade Federal de Campina Grade
Palavras-chave: Sífilis, Políticas públicas, Práticas educativas

Resumo

O artigo analisa o combate à sífilis na cidade da Parahyba do Norte/João Pessoa entre 1921 e 1938. A partir da inauguração do Dispensário “Eduardo Rabello”, foram estabelecidas as primeiras políticas públicas na profilaxia e tratamento da doença, visando transformar higienicamente os hábitos da população. Em 1938, o Serviço de Profilaxia da Sífilis e Doenças Venéreas inaugurava o Dispensário Noturno Antivenéreo, que passou a oferecer profilaxia e tratamento gratuitos à noite para os trabalhadores da cidade. A documentação produzida na imprensa da época revela os enfrentamentos por parte de médicos e do poder público contra a sífilis, destacando a propaganda sanitária como prática educativa.

Referências

AIRES, José Luciano de Queiroz. A fabricação do mito João Pessoa: batalhas de memórias na Paraíba (1930-1945). Campina Grande: EDUFCG, 2013.

ALMEIDA, José Américo de. A Paraíba e seus problemas. 3 ed. João Pessoa: A União, 1980.

AMADOR, Luiza Helena Miranda. “Degenerados e Contagiantes”: a luta contra a sífilis no Pará (1915-1934). Dissertação (Mestrado em História Social da Amazônia) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2015.

ARAÚJO, Rafael Nóbrega. O “terrível flagello da humanidade”: os discursos médico-higienistas no combate à sífilis na Paraíba (1921-1940). Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, 2020.

ARAÚJO, Silvera Vieira de. Entre o poder e a ciência: história das instituições de saúde e higiene da Paraíba na Primeira República (1889-1930). Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2016.

ASCENCIO, Gerardo González. Control sanitário y control social. Los libros de registro de mujeres públicas em Oaxaca (1890-1900). Fuentes Históricas, Cidade do México, n. 42, pp.71-90, 2011.

AVELLEIRA, João Carlos Regazzi; BOTTINO, Giuliana. Sífilis: diagnóstico, tratamento e controle. Anais Brasileiros de Dermatologia. v. 81, n. 2, p. 111-126, 2006.

BASTISTA, Ricardo dos Santos. Sífilis e Reforma da Saúde na Bahia (1920-1945). Salvador: EDUNEB, 2017.

BATISTA, Ricardo dos Santos. “Centros de Saúde em Salvador”. In: FRANCO, Sebastião Pimentel et al. (Orgs.). Artes de curar: doenças em perspectiva. Vitória: Milfontes, 2019.

CARRARA, Sérgio. Tributo a Vênus: a luta contra a sífilis no Brasil, da passagem do século aos anos 40. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 1996.

CASTRO, Oscar de Oliveira. Medicina na Paraíba. João Pessoa, 1945.

CASTRO-SANTOS, Luiz Antônio de. FARIA, Lina. Saúde e história. São Paulo: Hucitec, 2010.

CASTRO-SANTOS, Luiz Antonio de. O pensamento sanitarista na Primeira República: Uma ideologia de construção da nacionalidade. Dados. Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, v.28, n.2, p.193-210, 1985.

ENGEL, Magali. Meretrizes e doutores: saber médico e prostituição no Rio de Janeiro (1840-1890). São Paulo: Brasiliense, 2004.

FLECK, Ludwik. La génesis y el desarollo de um hecho científico. Madrid: Alianza Editorial, 1986.

FONSECA, Cristina M. Oliveira. Saúde no Governo Vargas (1930-1935): dualidade institucional de um bem público. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2007.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. 22 ed. São Paulo: Edições Loyola, 2012.

GOMES, Ângela de Castro. Ideologia e trabalho no Estado Novo. In: PANDOLFI, Dulce. Repensando o Estado Novo. Rio de Janeiro: FGV, 1999.

GRANADA, Alejandro Giraldo. Prostitución y sífilis em Medellín, Colombia, 1920-1950. Pensar História, n. 2, p. 7-27, 2013.

GURJÃO, Eliete de Queiroz. A Paraíba republicana: (1889-1945). In: SILVEIRA, Rosa Maria Godoy. GURJÃO, Eliete de Queiroz. ARAÚJO, Martha Lúcia Ribeiro de. CITTADINO, Monique. Estrutura de poder na Paraíba. João Pessoa: Editora Universitária/UFPB, 1999.

GURJÃO, Eliete de Queiroz. Morte e vida das Oligarquias. João Pessoa: Editora Universitária/UFPB, 1994.

HOCHMAN, Gilberto. A era do saneamento. São Paulo: HUCITEC, 2012.

LIMA, Nísia Trindade; HOCHMAN, Gilberto. “Pouca Saúde e muita Saúva”: sanitarismo, interpretações do país e ciências sociais. In: HOCHMAN, Gilberto. ARMUS, Diego. (orgs.). Cuidar, controlar, curar: ensaios históricos sobre saúde e doença na América Latina e Caribe. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2004.

MEDEIROS, Coriolano. Subsídios para a história da hygiene pública na Parahyba. Revista do Instituto Histórico e Geográfico da Paraíba, João Pessoa, n. 03, p. 117-121, 1911.

MÚGICA, Maria Luisa. “Males vergonzantes” y protitución reglamentada. Rosario, Argentina (1874-1932). Asclepio, Madrid, v. 68, n. 2, 2016.

NAPOLITANO, Marcos. História do Brasil república: da queda da Monarquia ao fim do Estado Novo. 1 ed. São Paulo: Contexto, 2018.

NÓBREGA, Humberto. As raízes das ciências médicas na Paraíba: medicina, farmácia, odontologia e farmácia. João Pessoa: Ed. Universitária UFPB, 1979.

OLIVEIRA, Otávio. Coisas e Loisas na História da Medicina Paraibana. Revista do Instituto Histórico e Geográfico da Paraíba, João Pessoa, n. 16, p. 97-117, 1968.

PEREIRA, Mariana Isabel Linhares. Educação sexual e geomedicina: a sífilis e seu tratamento com mercúrio no passado. Dissertação (Mestrado em Ensino da Biologia e da Geologia) – Universidade do Porto, Porto. 2015.

QUETÉL, Claude. The history of syphilis. Baltimore, Maryland: The Johns Hopkins University Press, 1990.

REVEL, Jacques. PETER, Jean-Pierre. “O corpo: o homem doente e sua história”. In: LE GOFF, Jacques. NORA, Pierre. (Dir.). História: Novos Objetos. 3 ed. Rio de Janeiro: F. Alves, 1988.

ROSA, Alessandra. Quando a eugenia se distancia do saneamento: as ideias de Renato Kehl e Octávio Domingues no Boletim de Eugenia (1929-1933). Dissertação (Mestrado em História das Ciências da Saúde) – Fundação Casa de Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2005.

ROSS, Sílvia de. Sífilis, o mal de todos: tema médico-científico nacional, discussões e práticas educativas no Paraná na primeira metade do século XX. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba. 2017.

SÁ, Lenilde Duarte de. Parahyba: uma cidade entre miasmas e micróbios. O Serviço de Higiene Pública: 1895-1918. Tese (Doutorado em Enfermagem) – Universidade de São Paulo, São Paulo. 1999.

SOARES JÚNIOR, Azemar dos Santos. Corpos hígidos: o limpo e o sujo na Paraíba (1912-1924). 2 ed. Rio de Janeiro: AMC Guedes, 2016.

SOARES JÚNIOR, Azemar dos Santos. OLIVEIRA, Iranilson Buriti. “Pés sem bichos, tripas sem vermes”: histórias das práticas educativas da saúde na Paraíba na primeira metade do século XX. Campina Grande, 2019. [digit.].

SOURNIA, Jean-Charles. RUFFIE, Jacques. As epidemias na história do homem. Lisboa: Edições 70, 1986.

SILVA, Waniéry Loyvia de Almeida. Autoritarismo, repressão e propaganda: a Paraíba no governo Argemiro de Figueiredo (1937-1940). Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2017.

STEPAN, Nancy Leys. A hora da eugenia: raça, gênero e nação na América latina. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2005.

UJVARI, Stefan Cunha. ADONI, Tarso. A história do século XX pelas descobertas da medicina. São Paulo: Contexto, 2014.

UJVARI, Stepan Cunha. A história da humanidade contada pelos vírus. Contexto: São Paulo, 2012.

Publicado
2020-09-22
Como Citar
Nóbrega Araújo, R. (2020). The Discursos médico-pedagógicos e a luta contra a sífilis na cidade da Parahyba do Norte/João Pessoa (1921-1938). Revista Hydra: Revista Discente De História Da UNIFESP, 4(8), 211-262. https://doi.org/10.34024/hydra.2020.v4.10707