Júlio Pernetta e a série “Costumes Paranaenses”

O caboclo nos esboços literários regionais.

  • Mauro Cezar vaz de Camargo Junior UFSC/egresso
Palavras-chave: Intelectuais, identidade, Literatura

Resumo

O processo de construção da identidade nacional durante a instalação da República utilizou como uma de suas estratégias a afirmação de um discurso de origem comum para os habitantes locais, o que resultou na exaltação de um “tipo” marcado pela união de indígenas, negros e portugueses. O reconhecimento deste imaginário étnico foi apropriado de diferentes formas nos espaços periféricos da nação, nosso estudo se detém sobre uma das formas de apreensão desta discussão, mais especificamente sobre os escritos do paranaense Júlio Pernetta na revista O Cenáculo.

Referências

ALONSO, Ângela. Idéias em movimento: a geração de 1870 na crise do Brasil-Império. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

ANDERSON, Benedict. Nação e Consciência Nacional. São Paulo: Ática, 1989.

BEGA, Maria Tarcisa Silva. Sonho e Invenção do Paraná: geração simbolista e construção da identidade regional. Tese (Doutorado em Sociologia) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

CAMARGO JUNIOR, Mauro C. Vaz. Pelos paranaenses e pelo Brasil: A construção de espaços de produção histórica no Paraná (1890-1930). Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2018.

CARNEIRO, Cíntia Braga. O Museu Paranaense e Romário Martins: a busca de uma identidade para o Paraná. Curitiba: SAMP, 2013. 202 p.

CARNEIRO, David. A história da história do Paraná. Impresso na Secção de Artes Gráficas da Escola Técnica de Curitiba, 1952.

CERTEAU, Michel de. A escrita da história. Rio de Janeiro: Forense, 2011.

CORADINI, Odaci Luiz. “As missões da ‘cultura’ e da ‘política’: confrontos e reconversões de elites culturais e políticas no Rio Grande do Sul (1920- 1960). Estudos Históricos, Rio de Janeiro, 2003. 32, p. 125-144.

CORRÊA, Amélia Siegel. Imprensa e Política no Paraná: prosopografia dos redatores e pensamento republicano no final do século XIX. 2006. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2006.

GUIMARÃES, Manoel Luís Salgado. “Nação e Civilização nos Trópicos: o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e o projeto de uma história nacional”. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, no. 1, p. 5-27, 1988.

HOBSBAWN, Eric; RANGER, Terence (Orgs). A Invenção das Tradições. São Paulo: Paz e Terra, 1997.

LE GOFF, Jaques. História e Memória. Campinas: Unicamp, 1992.

MARACH, Caroline Baron. Discursos e linguagens na Revista do Clube Curitibano (1890 - 1912). Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2013.

NADALIN, Sérgio Odilon. Paraná: ocupação do território, população e migrações. Curitiba: SEED, 2001.

NEDEL, Letícia Borges. Um passado novo para uma história em crise: regionalismo e folcloristas no Rio Grande do Sul (1948-1965). Tese (Doutorado em História) – Instituto de Ciências Sociais, Universidade de Brasília, Brasília, 2005.

OLIVEIRA, Ricardo Costa de. O silêncio dos vencedores: genealogia, classe dominante e Estado no Paraná. Curitiba: Moinho do Verbo, 2001.

PEREIRA, Luís Fernando Lopes. Paranismo: O Paraná Inventado: cultura e imaginário no Paraná da I República. Curitiba: Aos Quatro Ventos, 1998.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Campinas: Editora da Unicamp, 2007.

RIBEIRO, Cristina Betioli. O Norte: um lugar para a nacionalidade. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade de Campinas, Campinas, 2003.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questões raciais no Brasil (1870-1930). São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

SILVA, Marcio Antônio Both. Caboclos. História Unisinos, São Leopoldo, V.18, nº2, p. 338-351, 2014.

SIRINELLI, Jean-François. “A geração”. In: FERREIRA, Marieta de Moraes; AMADO, Janaína. (Orgs.) Usos e abusos da história oral. 4ª ed. Rio de Janeiro, FGV, 2001.

VILHENA, Luis Rodolfo. 1997. Projeto e Missão. O Movimento Folclórico Brasileiro, 1947-1964. Rio de Janeiro: Funarte/Fundação Getulio Vargas. 332 pp.

Publicado
2020-09-22
Como Citar
vaz de Camargo Junior, M. C. (2020). Júlio Pernetta e a série “Costumes Paranaenses”. Revista Hydra: Revista Discente De História Da UNIFESP, 4(8), 453-481. https://doi.org/10.34024/hydra.2020.v4.10163