A Diplomática na formação do historiador

  • Heloísa Liberalli Bellotto Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Historiador-formação, Tipologia documental, Historiografia

Resumo

Demonstra-se a necessidade do conhecimento, por parte dos futuros historiadores, da Diplomática, enquanto disciplina que estuda a estrutura interna dos documentos, sejam os de origem e de atuação na área pública ou na corporativa, na notarial ou na privada, sua gênese, espécie e tipo dentro da função a que se destinam, conhecimento esse que visa o aperfeiçoamento do “olhar” do historiador, indo aos metadados, para além do assunto, autores, datas e locais de datação, tudo em benefício do aprimoramento da produção historiográfica. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BELLOTTO, Heloísa Liberalli. “Diplomática para quê”. In: Heloísa Liberalli Bellotto. Arquivo: estudos e reflexões. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014, pp. 425-433.

BELLOTTO, Heloísa Liberalli. “Tipologia documental: a ampliação arquivística da diplomática”. In: Heloísa Liberalli Bellotto. Diplomática e tipologia documental em arquivos, 2ª ed. rev. e ampl. Brasília: Briquet Livros, 2008, pp. 7-8.

BESSELAAR, José Van Den. Introdução aos estudos históricos. São Paulo: Editora Herder, 1956.

BLOCH, Marc. Introducción a la Historia. México: Fondo de Cultura Ecónomica, 1952.

CAMARGO, Ana Maria de Almeida & BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Dicionário de Terminologia Arquivística. São Paulo: Associação dos Arquivistas de São Paulo, Núcleo de São Paulo/ Secretaria de Estado da Cultura, 1996.

CARUCCI, Paola. Il documento contemporaneo: diplomatica e criteri di edizione. Roma: La Nuova Italia Scientifica, 1987.

CERTEAU, Michel de. “A operação historiográfica”. In: Michel de Certeau. A escrita da História. Trad. de Maria de Lourdes Menezes. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.

DELMAS, Bruno. “Manifeste pour une diplomatique contemporaine. Des documents institutionnels à l’information organisée”. Gazette des Archives, 172 (1996), pp. 49-70.

DURANTI, Luciana, Ciencia archivistica. Trad. de Manuel Vazquez. Córdoba: Edição do Autor, 1995.

HEREDIA HERRERA, Antonia. “En torno al tipo documental”. Boletín de la ANABAD, 36-3 (2006), pp. 13-36.

HOURS, Joseph. Valeur de l´Histoire. Paris: Presses Universitaires de France, 1954.

LANGLOIS, Charles V. e SEIGNOBOS, Charles. Introdução aos estudos históricos. Trad. de Laerte de Almeida Moraes. São Paulo: Editora Renascença, 1946.

LEAL, João Eurípedes Franklin e SIQUEIRA, Marcelo Nogueira de. Glossário de Paleografia e Diplomática. Rio de Janeiro: Luminária Academia, 2011.

MARTINS, Wilson. “Clio: resenha bibliográfica”. In: Suplemento Cultural do jornal O Estado de S. Paulo, São Paulo, 14 de outubro de 1961, p. 2.

MARROU, Henri-Irénée. De la connaissance historique. Paris: Édition du Seuil, 1959.

MAZZOLENI, Jole. Paleografia e Diplomatica e Scienze Ausiliare. Nápoles: Libreria Scientifica, 1970.

RODRIGUES, Ana Célia. “Natureza do documento de arquivo: vínculo e estrutura”. In: Lídia Silva Freitas et alii (org.). Documento: gênese e contextos de uso, v.1. Niterói: EdUFF, 2010, pp. 175-192.

SPINA, Segismundo. Introdução à Edótica. São Paulo: Editora Cultrix/ EdUSP, 1977.

TESSIER, Georges. La Diplomatique. Paris: Presses Universitaures de France, 1952.

TESSIER, Georges. “Diplomatique”. In: Charles Samaran (ed.). L’Histoire et ses méthodes. Paris: Encyclopédie de la Pléiade, 1967, pp. 633-676.

VIEIRA, Maria do Pilar de Araújo et alii. A pesquisa em História. São Paulo: Editora Ática, 1989.

Publicado
2021-04-06