Doentes, indigentes e o discurso da caridade cristã: o regulamento do Asylo da Sociedade de S. Vicente de Paulo de Goyaz (1909)

Autores

  • Rildo Bento de Souza Universidade Federal de Goiás (UFG)

DOI:

https://doi.org/10.34024/fontes.2021.v8.10924

Palavras-chave:

Asilo, Doentes, Pobres, Cidade de Goiás

Resumo

Este artigo apresenta a transcrição do Regulamento do Asylo da Sociedade de S. Vicente de Paulo de Goyaz, situado na Cidade de Goiás, datado de 1909. O objetivo é contribuir para o debate a respeito da história das instituições asilares e de saúde, o trato das elites em relação aos pobres e doentes, a linha tênue entre caridade e filantropia e, por fim, a gestão e funcionamento desses espaços que visavam, em última instância, segregar os indesejados da sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

GEREMEK, Bronislaw. A piedade e a forca. História da miséria e da caridade na Europa. Lisboa: Terramar, 1986.

MOLLAT, Michel. Os Pobres na Idade Média. Rio de Janeiro: Campos, 1989.

MORAES, Cristina de Cássia Pereira. As estratégias de purificação dos espaços na capital da Província de Goiás - 1835-1843. Dissertação de Mestrado em História: Universidade Federal de Goiás, 1995.

RABELO, Danilo. Os excessos do corpo: A normatização do comportamento na Cidade de Goiás (1822-1899). Dissertação de Mestrado em História: Universidade Federal de Goiás, 1997.

SOUZA, Rildo Bento de Souza. Pobreza, doenças e caridade em Goiás: uma análise do Asilo São Vicente de Paulo (1909-1935). Jundiaí: Paco Editorial. 2014.

SOUZA, Rildo Bento de Souza. “A lembrança dos esquecidos: o acervo fotográfico dos internos do Asilo São Vicente de Paulo na Cidade de Goiás”. In: MAGALHÃES, Sônia Maria de; SILVA, Leicy Francisca da; MACIEL, Roseli Martins Tristão (Orgs). Histórias de Doenças: percepções, conhecimentos e práticas. São Paulo: Alameda, 2017, pp. 219-244.

SOUZA, Rildo Bento de Souza. “Arquivo de instituições de saúde: a documentação do asilo São Vicente de Paulo na Cidade de Goiás e seu potencial para pesquisa”. Sillogés, 2, n. 2 (2019), pp. 293-311.

Arquivos adicionais

Publicado

2021-08-24