Sobre gerações e trajetórias:

uma breve genealogia das pesquisas em Ciências Sociais sobre (homo)sexualidades no Brasil

  • Bruno Puccinelli Puccinelli é Doutorando do Programa de Doutorado em Ciências Sociais – Unicamp (Bolsista CNPq)
  • Milton Ribeiro da Silva Filho Ribeiro é Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia – UFPA (Bolsista CAPES)
  • Ramon Pereira dos Reis Reis é Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social – USP (Bolsista FAPESP)
  • Thiago Barcelos Soliva Soliva é Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia – UFRJ
Palavras-chave: Antropologia, Brasil, Gênero, Geração, Sexualidades

Resumo

O presente artigo busca traçar uma linha temporal das “gerações” de pesquisadoras/es em gênero e sexualidades que contribuíram para os primeiros estudos, a institucionalização e a ampliação teórica e temática atual. Diante da impossibilidade de abarcar toda a produção nacional, visamos detalhar as três primeiras gerações, da década de 1950 até a década de 1990, tendo em vista suas contribuições seminais para a área, e apontar os avanços das duas gerações seguintes, que completam os primeiros catorze anos da década de 2000. Como toda história é parcial, elegemos como base argumentativa a disciplina Antropologia e suas conexões com o campo brasileiro de estudos em gênero e sexualidades, que é reforçado pela promissora relação com a etnografia.

Referências

A missão francesa na Universidade de São Paulo. Site da Biblioteca Nacional. Disponível em: http://bndigital.bn.br/francebr/intercambios.htm. Acesso em: 26 out. 2014.

ABREU, C. et al. Entrevista com Mariza Corrêa. Cadernos de Campo, São Paulo, n. 11, p. 103-122, 2003. Disponível em: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-9133.v11i11p103-122. Acesso em: 01 nov. 2014.

ABREU, V. B. S. Entre o marginal e o laboral: o trabalho de garotos de programa na cidade de Fortaleza/CE. 2014. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Curso de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade Federal do Ceará. Fortaleza.

AGUIÃO, S. Fazer-se no Estado: uma etnografia sobre o processo de constituição dos “LGBT” como sujeitos de direitos no Brasil contemporâneo. 2014. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Curso de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade Estadual de Campinas. Campinas.

ARON, R. As etapas do pensamento sociológico. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BARBOSA, B. C. Nomes e Diferenças: uma etnografia dos usos das categorias travesti e transexual. 2010. Dissertação (Mestrado em Ciência Social - Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade de São Paulo. São Paulo.

BARBOSA DA SILVA, J. F. Lembranças passadas a limpo: a homossexualidade masculina em São Paulo. In: GREEN, J.; TRINDADE, R. (Orgs.) Homossexualismo em São Paulo e outros escritos. São Paulo: Editora UNESP, 2005, p. 215-239.

BARBOSA, R. M & AQUINO, E. M. L. Cultura sexual, ciência e política: uma entrevista com Richard Parker. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, n. 19, Sup. 2, p. 455-464, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v19s2/a26v19s2.pdf. Acesso em: 01 nov. 2014.

BENEDETTI, M. Toda Feita: o corpo e o gênero das travestis. Rio de Janeiro: Garamond, 2005.

BENTO, B. A Reinvenção do Corpo: sexualidade e gênero na experiência transexual. Rio de Janeiro: Garamond, 2006.

BIER, A. S. Sobre cinemas e vídeo-locadoras pornôs, províncias de outros corpos e outros significados. 2004. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre.

BRAZ, C. A. À meia-luz: uma etnografia imprópria em clubes de sexo masculinos. 2010. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Curso de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade Estadual de Campinas. Campinas.

CARDOSO, W. R. S. Para além da juventude: antropologia da experiência e do modo de vida gay de homossexuais masculinos em processo de envelhecência da cidade de Soure (Marajó/Pará). 2014. Tese (Doutorado em Antropologia) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia, Universidade Federal do Pará. Belém.

CARRARA, S.; SIMÕES, J. A. Sexualidade, cultura e política: a trajetória da identidade homossexual masculina na antropologia brasileira. Cadernos Pagu, Campinas, n. 28, p. 65- 99, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cpa/n28/05.pdf. Acesso em: 01 nov. 2014.

CARVALHO, M. F. L. Que mulher é essa? Identidade, Política e Saúde no movimento de travestis e transexuais. 2011. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) – Curso de PósGraduação em Saúde Coletiva, Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.

CERQUEIRA, C. F. C. Um estudo da sociabilidade não-heterossexual e seus desdobramentos políticos-cotidianos. 2014. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Curso de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade Federal da Bahia. Salvador.

CITELI, M. T. A pesquisa sobre sexualidade e direitos sexuais no Brasil (1990-2002): revisão crítica. Rio de Janeiro: CEPESC, 2005.

CORRÊA, M. “Do feminismo aos estudos de gênero no Brasil: um exemplo pessoal”. Cadernos Pagu, Campinas, n. 16, p. 13-30, 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cpa/n16/n16a02.pdf. Acesso em: 01 nov. 2014.

DANILIAUSKAS, M. Relações de gênero, diversidade sexual e políticas públicas de educação: uma análise do programa Brasil Sem Homofobia. 2011. Dissertação (Mestrado São Paulo. São Paulo.

DÍAZ-BENÍTEZ, M. E.; FÍGARI, C. (Orgs.) Prazeres dissidentes. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

DÍAZ-BENÍTEZ, M. E. Nas redes do sexo: Bastidores e cenários do pornô brasileiro. 2009. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.

______. Negros homossexuais: raça e hierarquia no Brasil e na Colômbia. 2005. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.

DUQUE, T. Gêneros incríveis: identificação, diferenciação e reconhecimento no ato de passar por. 2013. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Curso de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade Estadual de Campinas. Campinas.

______. Montagens e Desmontagens – desejo, estigma e vergonha entre travestis adolescentes. São Paulo: Annablume, 2011. “En toda teoria hay algo de biografía”. Entrevista a Verena Stolcke realizada por Montserrat Clua et al. Perifèria, Barcelona, n. 9, v. 2, p. 1-29, 2008. Disponível em: http://revistes.uab.cat/periferia/article/view/191/207. Acesso em: 01 nov. 2014.

ERIKSEN, T.; NIELSEN, F. História da Antropologia. Petrópolis: Vozes, 2007.

EVANS-PRITCHARD, E. E.; EGGAN, F. Prefácio. In: RADCLIFFE-BROWN, A. R. Estrutura e função na sociedade primitiva. Petrópolis: Vozes, 2013.

FACCHINI, R.; DANILIAUSKAS, M.; PILON, A. C. Políticas sexuais e produção de conhecimento no Brasil: situando estudos sobre sexualidade e suas conexões. Revista de Ciências Sociais, Fortaleza, v. 44, n. 1, p. 161-193, jan./jun. 2013. Disponível em: http://www.rcs.ufc.br/edicoes/v44n1/rcs_v44n1a7.pdf. Acesso em: 01 nov. 2014.

FACCHINI, R. Entre umas e outras: mulheres, (homo) sexualidades e diferenças na cidade de São Paulo. 2008. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Curso de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade Estadual de Campinas. Campinas.

______. Sopa de letrinhas?: movimento homossexual e produção de identidades coletivas nos anos 1990. Rio de Janeiro: Garamond, 2005.

FAVRET-SAADA, J. “Ser afetado”. (Tradução: Paula Siqueira). Cadernos de Campo, n. 13, p. 155-161, 2005. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/cadernosdecampo/article/viewFile/50263/54376. Acesso em: 01 nov. 2014.

FERNANDES, F. B. M. A agenda anti-homofobia na educação brasileira (2003-2010). 2011. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) – Curso de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis.

FERREIRA, C. B. C. Desejos Regulados: Grupos de Ajuda Mútua, Éticas Afetivo-Sexuais e Produção de Saberes. 2012. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Curso de Pós Graduação em Ciências Sociais, Universidade Estadual de Campinas. Campinas.

FERREIRA, G. Arco-íris em disputa: a Parada da Diversidade de Florianópolis entre políticas, sujeitos e cidadanias. 2012. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis.

FOUCAULT, M. História da sexualidade I. A vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

FRANÇA, I. L. Consumindo lugares, consumindo nos lugares: homossexualidade, consumo e subjetividades na cidade de São Paulo. 2010. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Curso de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade Estadual de Campinas. Campinas.

______. Cercas e pontes. O movimento GLBT e o mercado GLS na cidade de São Paulo. 2006. Dissertação (Mestrado em Ciência Social - Antropologia Social) – Curso de Pós Graduação em Antropologia Social, Universidade de São Paulo. São Paulo.

FREITAS, F. R. A. Bondage, Dominação/Submissão e Sadomasoquismo: uma etnografia sobre práticas eróticas que envolvem prazer e poder em contextos consensuais. 2012. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal de Goiás. Goiânia.

FRÚGOLI JR., H. Sociabilidade urbana. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007.

FRY, P. Para inglês ver: identidade e política na cultura brasileira. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1982.

______. Prefácio. In: GREEN, J.; TRINDADE, R. (Orgs.) Homossexualismo em São Paulo e outros escritos. São Paulo: Editora UNESP, 2005, p. 9-15.

FRY, P.; MACRAE, E. O que é homossexualidade. São Paulo: Editora Brasiliense, 1983.

GAMBÔA, R. F. De prazeres e perigos: abordagem etnográfica dos roteiros eróticos de homens que fazem sexo com homens e desafios à prevenção do HIV na região central da cidade de São Paulo. 2013. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) – Curso de Pós Graduação em Saúde Coletiva, Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. São Paulo.

GAMSON, J. Silence, Death, and the Invisible Enemy: AIDS Activism and Social Movement “Newness”. Social Problems, California, v. 36, n. 4, oct., p. 351-367, 1989. Disponível em: http://repository.usfca.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=1002&context=soc. Acesso em: 01 nov. 2014.

GREEN. J. N. Além do Carnaval: a homossexualidade masculina no Brasil do século XX. São Paulo: Ed. UNESP, 2000.

______. Apresentação – Em busca do tesouro. In: GREEN, J.; TRINDADE, R. (Orgs.) Homossexualismo em São Paulo e outros escritos. São Paulo: Editora UNESP, 2005, p. 17- 24.

GREEN, J.; TRINDADE, R. (Orgs.) Homossexualismo em São Paulo e outros escritos. São Paulo: Editora UNESP, 2005.

______. São Paulo anos 50: a vida acadêmica e os amores masculinos. In: ______ (Orgs.) Homossexualismo em São Paulo e outros escritos. São Paulo: Editora UNESP, 2005, p. 25- 38.

GROSSI, M. P. A Revista de Estudos Feministas faz 10 anos: uma breve história do feminismo no Brasil. Revista de Estudos Feministas, Florianópolis, v. 12, n. especial, set./dez., p. 211-221, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ref/v12nspe/a23v12ns.pdf. Acesso em: 01 nov. 2014.

GRUNVALD, V. P. Teseu e o touro: algumas sugestões feministas para uma crítica da razão. 2009. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.

GUIMARÃES, C. D. Aids no feminino: por que a cada dia mais mulheres contraem Aids no Brasil? Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2001.

______. O homossexual visto por entendidos. Rio de Janeiro: Editora Garamond, 2004.

HEILBORN, M. L. Dois é par: conjugalidade, gênero e identidade sexual em contexto igualitário. 1992. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.

HENNING, C. E. Tiozões, paizões, tias e cacuras: envelhecimento, meia idade, velhice e homoerotismo masculino na cidade de São Paulo. 2014. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Estadual de Campinas. São Paulo.

KULICK, D. Travesti: prostituição, sexo, gênero e cultura no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2008.

KUPER, A. Antropólogos e antropologia. Rio de Janeiro: F. Alves, 1978.

LACOMBE, A. Ler [se] nas entrelinhas. Sociabilidades e subjetividades entendidas, lésbicas e afins. 2010. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.

______. “Pra homem já tô eu”: masculinidades e sociabilidades lésbicas em um bar do centro do Rio de Janeiro. 2005. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.

LEITE JR., J. “Nossos corpos também mudam”: sexo, gênero e a invenção das categorias “travesti” e “transexual” no discurso científico. 2008. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Curso de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica. São Paulo.

______. Das maravilhas e prodígios sexuais – A pornografia. São Paulo: Annablume/Fapesp, 2006.

LOPES, J. S. L. A “ponta do novelo”: em busca da trajetória de Lygia Sigaud. Mana, Rio de Janeiro, 15 (1), p. 257-278, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/mana/v15n1/10.pdf. Acesso em: 01 nov. 2014.

LEWIS, E. S. NÃO É UMA FASE: construções identitárias em narrativas de ativistas LGBT que se identificam como bissexuais. 2012. Dissertação (Mestrado em Estudos da Linguagem) – Curso de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem, Pontifícia Universidade Católica. Rio de Janeiro.

LOBATO, A. L. Trajetórias Afetivas e Sexuais entre Jovens de Periferia, Belo Horizonte. 2011. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Estadual de Campinas. Campinas.

LOPES, P. V. L. Sexualidade e Construção de si em uma favela carioca: pertencimentos, identidades, movimentos. 2011. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.

LOURO, G. L. Gênero, sexualidade e educação. Uma perspectiva pós-estruturalista. Petropólis: Vozes, 1997.

MACRAE, E. A Construção da igualdade: identidade sexual e política no Brasil da “abertura”. Campinas: Editora Unicamp, 1990.

______. Em defesa do gueto. In: GREEN, J.; TRINDADE, R. (Orgs.) Homossexualismo em São Paulo e outros escritos. São Paulo: Editora UNESP, 2005, p. 291-308.

MAGNANI, J. G. C. Quando o campo é a cidade: fazendo antropologia na metrópole. In:

MAGNANI, J. G. C.; TORRES, L. L. (Orgs.) Na metrópole. São Paulo: 2008, p. 12-53.

MAGNANI, J. G. C. Da Periferia ao Centro: trajetórias de pesquisa em Antropologia Urbana. São Paulo: Editora Terceiro Nome, 2012.

MARQUES, R. O Cariri do Forró Eletrônico: festa, gênero e criação no Nordeste contemporâneo. 2012. Tese (Doutorado em Ciências Humanas – Antropologia) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.

MASSI, F. P. Estrangeiros no Brasil: a Missão Francesa na Universidade de São Paulo. 1991. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Estadual de Campinas. Campinas.

MEINERZ, N. E. Mulheres e Masculinidade: etnografia sobre afinidades de gênero no contexto da parceria homoerótica feminina em grupo populares. 2011. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre.

MELATTI, J. C. Introdução. In: ______ (Org.) Radcliffe-Brown: Antropologia. São Paulo: Ática, 1995.

______. A Antropologia no Brasil: um roteiro. Série Antropologia, 38, Brasília, 2007 [1983]. MESA-REDONDA SOMOS – Grupo de Afirmação Homossexual: 24 anos depois. Reflexões sobre os primeiros momentos do movimento homossexual no Brasil, vários autores. Cadernos AEL: homossexualidade, sociedade, movimento e lutas, Campinas, Unicamp/IFCH/AEL, v. 10, n. 18/19, p. 44-77, 2003.

MISKOLCI, R. Um saber insurgente ao sul do Equador. Periódicus, Salvador, v. 1, p. 43-67, 2014. Disponível em: https://pt.scribd.com/doc/227080430/Um-Saber-Insurgente-Ao-Sul- oEquador-richard. Acesso em: 01 nov. 2014.

MOUTINHO, L. Razão, “Cor” e Desejo: Uma análise comparativa sobre relacionamentos afetivo-sexuais “inter-raciais” no Brasil e na África do Sul. 2001. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.

MUNIZ, J. Mulher com mulher dá jacaré: uma abordagem antropológica da homossexualidade feminina. 1992. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.

NEIVA, G. A. Nas redes dos alternativos: mercado, sexualidade e produção de diferenças na cidade de Goiânia. 2014. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Curso de Pós Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal de Goiás. Goiânia.

OLIVEIRA, L. Os Sentidos da Aceitação: família e orientação sexual no Brasil contemporâneo. 2013. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.

OLIVEIRA, R. C. “Égua”, é a hora do intervalo na TV: marcadores sociais da diferença, consumidores/as e publicidade produzida em Belém do Pará. 2014. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia, Universidade Federal do Pará. Belém.

OLIVEIRA JR., E. B. Masculinidades em cena: o modo de ser e de pensar o metrossexual a partir das telenovelas. 2012. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Curso de Pós Graduação em Antropologia, Universidade Federal do Pará. Belém.

PAIVA, A. C. S. Reservados e invisíveis – Administração da intimidade nas parcerias homoeróticas. 2004. Tese (Doutorado em Sociologia) – Curso de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal do Ceará. Fortaleza.

PARKER, R. Corpos, prazeres e paixões: a cultura sexual no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Best-Seller, 1991.

PASSAMANI, G. R. O arco-íris (des)coberto: homossexualidades masculinas, movimentos sociais e identidades regionais - Os casos de Porto Alegre e Buenos Aires. 2008. Dissertação (Mestrado em Integração Latino-Americana) – Curso de Pós-Graduação em História Latino-Americana, Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria.

PELÚCIO, L. Nos Nervos, Na Carne, Na Pele – uma etnografia sobre prostituição travesti e o modelo preventivo de AIDS. 2007. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Curso de Pós Graduação em Ciências Sociais, Universidade Federal de São Carlos. São Carlos.

______. ONGs/Aids e Estado: conflito e parceria. 2002. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Curso de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade Federal de São Carlos. São Carlos.

PERILO, M. Eles Botam o Bloco na Rua! Uma etnografia sobre sociabilidades juvenis. 2012. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal de Goiás. Goiânia.

PERLONGHER, N. O Negócio do Michê: a prostituição viril. São Paulo: Editora Brasiliense, 1987.

______. O Negócio do Michê: a prostituição viril. São Paulo: Perseu Abramo, 2008.

PISCITELLI, A. Prefácio. In: DÍAZ-BENÍTEZ, M. E.; FÍGARI, C. (Orgs.) Prazeres dissidentes. Rio de Janeiro: Garamond, 2009, p. 11-20.

PUCCINELLI, B. Se Essa Rua Fosse Minha: sexualidade e apropriação do espaço na rua gay de São Paulo. 2013. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Curso de Pós Graduação em Ciências Sociais, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo.

REIS, R. P. Encontros e Desencontros: uma etnografia das relações entre homens homossexuais em espaços de sociabilidade homossexual de Belém, Pará. 2012. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais – concentração em Antropologia) – Curso de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade Federal do Pará. Belém.

RIBEIRO, M. Na Rua, na Praça, na Boate: uma etnografia da sociabilidade LGBT no circuito GLS de Belém-PA. 2012. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais – concentração em Antropologia) – Curso de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade Federal do Pará. Belém.

ROCHA, A. L.; ECKERT, C. Restaurando com imagens um percurso intelectual: a trajetória de Ruth Cardoso. História Oral, v. 13, n. 2, jul.-dez., p. 173-187, 2010. Disponível em: http://www.centroruthcardoso.org.br/_shared/files/all_acervo/anx/20120208114531_CRC0159.pdf. Acesso em: 01 nov. 2014.

ROCHA, A. T. S. Construindo desejos e diferenças: uma etnografia da cena indie rock paulistana. 2013. Dissertação (Mestrado em Ciência Social - Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade de São Paulo. São Paulo.

RODRIGUES, J. A. Introdução: A sociologia de Durkheim. In: ______ (Org.) Durkheim: Sociologia. São Paulo: Ática, 1999.

RUBIN, G. Thinking sex: notes for a radical theory of the politics of sexuality. In: VANCE, Carole (Ed.) Pleasure and Danger: exploring female sexuality. New York: Routledge, p. 267- 319, 1984.

SACRAMENTO, A. P. Homossexualidade, “modernidade”, consumo e hierarquia: um estudo sobre a relação entre identidade e consumo na contemporaneidade. 2005. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Curso de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade Federal da Bahia. Salvador.

SAGESSE, G. S. R. Quando o armário é aberto: visibilidade e estratégias de manipulação no coming out de homens homossexuais. 2009. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) – Curso de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.

SANTOS, E. N. Amores, Vapores e Dinheiro – masculinidades, homossexualidades nas saunas de michês em São Paulo. 2012. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Curso de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica. São Paulo.

SCHWARCZ, L. Vida exemplar de uma intelectual. O Estado de S. Paulo, online, 24 de julho de 2008. Disponível em: http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,vida-exemplar-de- maintelectual,211248. Acesso em: 26 out. 2014.

SILVA JR., J. B. Masculinidades dançadas. 2014. Dissertação (Mestrado em Sociologia e Antropologia) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.

SILVA, M. A. Se manque: uma etnografia do carnaval no pedaço GLS da Ilha de Santa Catarina. 2003. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federa de Santa Catarina. Florianópolis.

SILVEIRA, R. M. Nem tudo é possível, e muita coisa é obrigatória: um estudo da prática do swing em Goiânia. 2014. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Curso de PósGraduação em Antropologia Social, Universidade Federal de Goiás. Goiânia.

SIMÕES, J. A.; CARRARA, S. O campo de estudos socioantropológicos sobre diversidade sexual e de gênero no Brasil: ensaio sobre sujeitos, temas e abordagens. Cadernos Pagu, Campinas, n. 42, p. 75-98, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cpa/n42/0104-8333-cpa-42-00075.pdf. Acesso em: 01 nov. 2014.

SIMÕES, J. A.; FACCHINI, R. Na trilha do arco-íris: do movimento homossexual ao LGBT. São Paulo: Perseu Abramo, 2009.

SOLIVA, T. B. A Confraria Gay: um estudo de sociabilidade, homossexualidade e amizades na turma OK. 2012. Dissertação (Mestrado em Sociologia e Antropologia) – Curso de Pós Graduação em Antropologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.

TORRES, L. L. Entrevista com Peter Fry. Ponto Urbe, São Paulo, ano 5, versão 9.0, 2011. Disponível em: http://www.pontourbe.net/edicao9-entrevista. Acesso em: 24 out. 2014.

TRINDADE, R. De Dores e de Amores: Transformações da homossexualidade paulistana na virada do século XX. 2004. Tese (Doutorado em Ciência Social - Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade de São Paulo. São Paulo.

______. Atores/Autores: história de vida e produção acadêmica dos escritores da homossexualidade no Brasil. Cadernos de Campo, São Paulo, n. 10, p. 63-77, 2002. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/cadernosdecampo/article/view/52441/56435. Acesso em: 01 nov. 2014.

______. Fábio Barbosa da Silva e o mundo acadêmico de sua época. In: GREEN, J.;

TRINDADE, R. (Org.) Homossexualismo em São Paulo e outros escritos. São Paulo: Editora UNESP, 2005.

VALE, A. F. C. O Vôo da Beleza: Travestilidade e Devir Minoritário. 2005. Tese (Doutorado em Sociologia e Antropologia) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia, Universidade Federal do Ceará. Fortaleza.

______. No escurinho do cinema: cenas de um público implícito. São Paulo: Annablume, 2000.

VALE DE ALMEIDA, M. Ser mas não ser, eis a questão. O problema persistente do essencialismo estratégico. Working Paper CRIA 1, Lisboa, p. 1-9, 2009. Disponível em: http://cria.org.pt/site/images/ficheiros_imagens/working_papers/wp_cria_1_ser_mas_nao_ser_vale_de_almeida.pdf. Acesso em: 01 nov. 2014.

VANCE, C. A antropologia redescobre a sexualidade: um comentário teórico. Physis, Rio de Janeiro, v. 05, n. 01, p. 07-32, 1995.

VEGA, A. P. Estilo e marcadores sociais da diferença em contexto urbano: uma análise da desconstrução de diferenças entre jovens em São Paulo. 2008. Dissertação (Mestrado em Ciência Social - Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade de São Paulo. São Paulo.

VELHO, G. Prefácio – um trabalho pioneiro. In: GUIMARÃES, C. D. O homossexual visto por entendidos. Rio de Janeiro: Editora Garamond, 2004, p. 13-16.

______. Ruth Corrêa Leite Cardoso. Dados – Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, v. 51, n. 2, p. 271-274, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/dados/v51n2/02.pdf. Acesso em: 01 nov. 2014.

VELHO, G.; MACHADO, L. A. Organização social do meio urbano. Anuário Antropológico/76. Rio de Janeiro. Tempo Brasileiro, 1977.

VENCATO, A. P. “Existimos pelo prazer de ser mulher”: uma análise do Brazilian Crossdresser Club. 2009. Tese (Doutorado em Sociologia e Antropologia) – Curso de Pós Graduação em Antropologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.

______. “Fervendo com as drags”: corporalidades e performances de drag queens em territórios gays da Ilha de Santa Catarina. 2002. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis.

VENTURA i OLLER, M. Entrevista a Verena Stolcke. Site da Universitat Àutonoma de Barcelona. Disponível em: http://ddd.uab.cat/pub/expbib/2008/stolcke/entrevista.pdf. Acesso em: 22 out. 2014. Verena Stolcke: biografía. Site da Freie Universität Berlin. Disponível em: http://www.lai.fuberlin.de/es/elearning/projekte/frauen_konzepte/projektseiten/frauenbereich/stolcke/index.html. Acesso em: 24 out. 2014.

VON DER WEID, O. Adultério Consentido: gênero, conjugalidade e sexualidade na prática do swing. 2008. Dissertação (Mestrado em Sociologia e Antropologia) – Curso de Pós Graduação em Antropologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.

WEEKS, J. Sexuality and its discontents: meanings, myths and modern sexualities. Londres: Routledge, 1985.

ZAHRA, V. M. M. As representações da(o)s transexuais nas aldeias arquivos do TJRS: o poder da nomeação, eis a grande questão. 2014. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia, Universidade Federal da Grande Dourados. Mato Grosso do Sul.

ZAMBONI, M. B. Herança, Distinção e Desejo: homossexualidades em camadas altas na cidade de São Paulo. 2014. Dissertação (Mestrado em Ciência Social - Antropologia Social) – Curso de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade de São Paulo. São Paulo.

ZILLI, B. D. Gramáticas emocionais em trajetórias de engajamento no campo dos Direitos Sexuais: compaixão e vitimização a partir de narrativas biográficas de intelectuais brasileiros. 2012. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Curso de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.

Publicado
2019-03-24
Como Citar
Puccinelli, B., Silva Filho, M. R. da, Reis, R. P. dos, & Soliva, T. B. (2019). Sobre gerações e trajetórias:. Pensata: Revista Dos Alunos Do Programa De Pós-Graduação Em Ciências Sociais Da UNIFESP, 4(1), x. https://doi.org/10.34024/pensata.2014.v4.9298