Qualidade de Vida e Grau de Independência Funcional em Pacientes com Acidente Vascular Cerebral

  • Michelle Morton Figueiredo Neves Unilavras
  • Laiz Helena de Castro Toledo Guimarães Unilavras

Resumo

Objetivo. Correlacionar a qualidade de vida (QV) com o grau de independência funcional de indivíduos que sofreram acidente vascular cerebral (AVC). Método. A amostra do presente estudo constituiu de 12 pacientes de ambos os gêneros, com média de idade de 60,58±10,34 anos, não praticantes de exercício físico regular, que sofreram AVC de 6 meses a 9 anos e se encontravam em tratamento fisioterapêutico na Clínica de Fisioterapia do Centro Universitário de Lavras. O responsável pela clínica assinou um termo de autorização, e os voluntários assinaram um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, seguido pela aplicação de uma ficha de anamnese e Mini Exame do Estado Mental (MEEM). Posteriormente foram aplicados a Escala de Qualidade de Vida Específica para AVC (EQVE-AVC) e Índice de Barthel Modificado (IBM). Resultados. Houve uma correlação significativa entre a EQVE-AVC e IBM. Dentre os domínios avaliados pela EQVE-AVC, os itens: função do membro superior, trabalho/produtividade, cuidados pessoais, ânimo e relações familiares tiveram correlação significativa com a independência funcional. Conclusão. Este estudo evidenciou uma diminuição da QV e do grau de independência funcional dos pacientes com AVC. Conclui-se que há uma relação diretamente proporcional entre a QV e o grau de independência funcional dos voluntários avaliados.

Publicado
2019-11-05
Como Citar
Neves, M. M. F., & Guimarães, L. H. de C. T. (2019). Qualidade de Vida e Grau de Independência Funcional em Pacientes com Acidente Vascular Cerebral. Revista Neurociências, 24, 1-17. Recuperado de https://periodicos.unifesp.br/index.php/neurociencias/article/view/9940
Seção
Artigos Originais