Avaliação da qualidade do sono e sonolência excessiva diurna no Acidente Vascular Cerebral

  • Cintia Raquel de Lima UNIRN
  • Patrícia Cavalcanti da Rocha Leão UNIRN
  • Leila Araújo de Medeiros UNIRN
  • Catharinne Angélica Carvalho de Farias UNIRN
  • Adriana Jussara Oliveira Brandão UNIRN

Resumo

Objetivo. O objetivo do estudo foi avaliar a qualidade de sono e sonolência diurna nas fases aguda e crônica do acidente vascular cerebral (AVC). Método. O estudo foi do tipo transversal e descritivo com uma população constituída por 21 pacientes com sequelas de AVC isquêmico. Os instrumentos utilizados foram: Ficha de Identificação para registro dos dados pessoais e sócio-demográficos, National Institute of Health Stroke Scale, Questionário do Índice de Qualidade de Sono de Pittsburgh e o Questionário de Sonolência de Epworth. Resultados. Os resultados demonstraram não haver correlação entre o comprometimento neurológico, a qualidade de sono e a presença de sonolência excessiva diurna com as fases aguda e crônica, sendo encontrado correlação entre a qualidade do sono e a idade dos pacientes. Conclusões. Portanto, é importante que os profissionais de saúde levem em consideração as possíveis alterações do sono dos pacientes, que possam influenciar seu desempenho funcional.

Publicado
2019-11-05
Como Citar
Lima, C. R. de, Leão, P. C. da R., Medeiros, L. A. de, Farias, C. A. C. de, & Brandão, A. J. O. (2019). Avaliação da qualidade do sono e sonolência excessiva diurna no Acidente Vascular Cerebral. Revista Neurociências, 24, 1-16. Recuperado de https://periodicos.unifesp.br/index.php/neurociencias/article/view/9935
Seção
Artigos Originais