Perfil Epidemiológico e Clínico de Pacientes Neurológicos em um Hospital Universitário

Autores

  • Lilian Ramine de Souza Matos EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES
  • Ícaro Luan Silva Martins Faculdade São Francisco de Juazeiro
  • Daisy Karlla Lima Candeias Faculdade São Francisco de Juazeiro
  • Katiana Nunes Barbosa Petzinger Faculdade São Francisco de Juazeiro
  • Eric Alencar Lessa Faculdade São Francisco de Juazeiro e Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares
  • Márcia Bento Moreira Universidade Federal do Vale do São Francisco

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2019.v27.9737

Palavras-chave:

doenças do sistema nervoso, perfil de saúde, modalidades de fisioterapia

Resumo

Introdução. Patologias neurológicas são as doenças do siste­ma nervoso central e periférico que incluem desor­dens do encéfalo, da medula espinhal, dos nervos pe­riféricos e da junção neuromuscular. Os indivíduos acometidos por lesões neurológicas necessitam dos cuidados da reabilitação realizados por uma equipe multidisciplinar. Diante a isto, a fisioterapia faz- se importante na reinserção desses pacientes no contexto social. Objetivo. O presente estudo objetivou descrever o perfil epidemiológico e clínico dos pacientes neurológicos atendidos no ambulatório de reabilitação do Hospital Universitário da Universidade Federal do Vale do São Francisco (HU-UNIVASF). Método. Trata-se de um estudo observacional de natureza descritiva, transversal de caráter retrospectivo, com a coleta de prontuários de pacientes neurológicos entre maio de 2015 a maio de 2018. Os dados foram processados e analisados utilizando o programa Statistical Package for the Social Sciences – SPSS. Resultados. Os dados demonstraram, que do total pesquisado, o gênero masculino foi predominante, na faixa etária entre 34 e 67 anos, em sua maioria trabalhadores rurais, sendo o AVC a condição clínica mais prevalente com maior frequência para o tipo isquêmico. A maioria dos pacientes não apresentou causa definida das patologias e a melhora do quadro clínico foi o principal motivo da alta fisioterapêutica. Conclusão. Este estudo contribuiu para o conhecimento sobre o perfil da região, bem como para despertar o interesse de entidades representativas da sociedade para o fortalecimento de políticas públicas direcionadas para a reabilitação e prevenção de novos casos.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lilian Ramine de Souza Matos, EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES

Mestre em Ciências do Programa de Pós-Graduação Ciências da Saúde e Biológicas da UNIVASF, Pós-graduada em Fisioterapia Neurofuncional pela Faculdade Social da Bahia-FSBA, Pós-graduada em Fisioterapia Dermatofuncional pela Pós Estácio da Bahia, Pós-graduada em Saúde Pública pela Universidade Cândido Mendes - UCAM e Instrutora do Método Pilates. Atualmente é Fisioterapeuta assistencial do Hospital Universitário do Vale do São Francisco(HU/UIVASF) pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares(EBSERH) nas áreas de hematologia( Grupo de atenção ao paciente hemofílico), em orto-traumatologia ambulatorial e enfermaria. Docente do colegiado de Fisioterapia da Faculdade São Francisco de Juazeiro. Membro da Comissão de Feridas do HU/UNIVASF, Membro do Comitê de Ética em Pesquisa da UNIVASF, Membro do Núcleo de Avaliação de Tecnologias em Saúde - NATS do HU/UNIVASF e Membro da Comissão de Inventário de Medicamentos e Materiais de Consumo do HU/UNIVASF.

Ícaro Luan Silva Martins, Faculdade São Francisco de Juazeiro

Estudante de fisioterapia do 10º semestre, Bacharel em fisioterapia, Faculdade São Francisco de Juazeiro, Juazeiro-Bahia, Brasil e pós- graduando em Fisioterapia em Traumato-Ortopedia e Esportiva na Faculdade Inspirar em Petrolina/ PE.

Daisy Karlla Lima Candeias, Faculdade São Francisco de Juazeiro

Estudante de fisioterapia do 10º semestre, Bacharel em fisioterapia, Faculdade São Francisco de Juazeiro, Juazeiro-Bahia, Brasil

Katiana Nunes Barbosa Petzinger, Faculdade São Francisco de Juazeiro

Estudante de fisioterapia do 10º semestre, Bacharel em fisioterapia, Faculdade São Francisco de Juazeiro, Juazeiro-Bahia, Brasil

Eric Alencar Lessa, Faculdade São Francisco de Juazeiro e Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares

Fisioterapeuta, Pós-graduado em Traumato-Ortopedia com ênfase em Terapia Manual. Equoterapeuta; Empregado Público Federal da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares; Docente da Faculdade de São Francisco de Juazeiro - FASJ do curso de Fisioterapia.

Márcia Bento Moreira, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Graduada (1995) em Medicina Veterinária pela Universidade de Marília; Mestre (2001) em Técnicas Operatórias e Cirurgia Experimental pela Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina (UNIFESP - EPM); Doutora (2006) em Cirurgia e Experimentação pela UNIFESP - EPM. Em 2011 recebeu o título de médica veterinária hiperbarista pela Sociedade Brasileira de Medicina Hiperbárica. Na Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF - possui as seguintes funções e cargos: Professora Adjunta III, ministra aulas na Graduação (curso de Medicina Veterinária) e na Pós-Graduação (Ciências da Saúde e Biológicas; Extensão Rural e no de Agroecologia e Desenvolvimento Territorial); foi nomeada em junho de 2019 presidente do Fórum de Programas de Pós-Graduação Interdisciplinares do Brasil; Coordena a Liga Acadêmica em Anestesiologia Veterinária, Dor e Terapia Intensiva - Mandrágora desde 2018.2; é Membro do Centro de Recondicionamento de Computadores vinculado ao Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações; Membro do curso de Especialização em Educação do Campo/PRONERA; Coordena o Programa de Pós-Graduação em Agroecologia e Desenvolvimento Territorial - PPGADT da Univasf, Interdisciplinar, nível Doutorado Profissional. Coordenou o Mestrado Profissional em Extensão Rural, interdisciplinar, de 2016 até 2018; Concebeu e criou o Programa de Pós-Graduação Ciências da Saúde e Biológicas - PPGCSB, Interdisciplinar, nível Mestrado Acadêmico durante o interstício de 2010 a 2012; Implantou e Coordenou o PPGCSB durante o período de 2012 a 2015; Foi Presidente Adjunta do Comitê de Ética e Deontologia em Estudos e Pesquisa desde 2011 à 2015; Coordenou a Comissão de Ética no Uso de Animais de 2012 à 2015; Foi membro da equipe de pesquisadores do Centro de Manejo e Conservação da Fauna da Caatinga - CEMAFAUNA durante o período de 2008 a 2013. Sua expertise está vinculada as áreas de Ciências da Saúde e Agrárias com ênfase nos seguintes temas: anestesiologia, dor e terapia intensiva; cirurgia geral e do trauma; medicina da conservação; oxigenoterapia hiperbárica; ética e bioética; educação no e do campo.

Referências

Costa I, Custódio M, Coutinho V, Liberali R. Terapia Nutricional em doenças neurológicas – Revisão de literatura. Rev Neurocienc 2010;18:555-60.

http://www.revistaneurociencias.com.br/edicoes/2010/RN1804/425%20revisao.pdf

Pereira PP. A arte da reabilitação através da dança na assistência de pacientes com doenças neurológicas. (Trabalho de Conclusão). Especialista em intervenções fisioterapêuticas em doenças neuromusculares. São Paulo: Universidade Federal de São Paulo, Escola Paulista de Medicina. 2010.

http://www.latoneuro.com.br/common/pdf/tcc/tcc2009/patricia_portela.pdf

Silva S. Cuidados de Enfermagem à pessoa com doença neurológica degenerativa. In: Marques-Vieira C, Sousa L. Cuidados de Enfermagem de Reabilitação à pessoa ao longo da vida. Loures:Lusodidacta 2016, p.475-86.

https://www.researchgate.net/publication/334173025.

Campos TF, Dantas AATSG, Melo LP, Oliveira DC. Grau neurológico e funcionalidade de pacientes crônicos com acidente vascular cerebral: Implicações para a prática clínica. Arq Ciênc Saúde 2014;21:28-33. https://docplayer.com.br/amp/18746922-Grau-neurologico-e-funcionalidade-de-pacientes-cronicos-com-acidente-vascular-cerebral-implicacoes-para-a-pratica-clinica.html

Arrais Júnior SL, Lima AM, Silva TG. Atuação dos profissionais fisioterapeutas na reabilitação do paciente vítima de acidente vascular encefálico. R Interd 2016;9:179-84.

https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/6772018.pdf.

Pompeu SMAA, Pompeu JE, Moral CD, Yumi E. Perfíl funcional dos pacientes atendidos no setor de fisioterapia neurológica do Promove São Camilo. São Paulo. Mundo Saúde 2010;34:218-24. https://www.researchgate.net/publication/318304937

Batista AJ, Torres JR, Schwind RTF, Peternella FN, Mendes FV. Perfíl epidemiológico do setor de neurologia da clínica escola de fisioterapia da Faculdade Ingá no ano de 2013. UNINGÁ Review 2014;17:11-5. https://www.mastereditora.com.br/periodico/20140129_171708.pdf

Souza S, Pappen M, Krug SBF, Renner JDP, Reuter CP, Pohl HH. Uma revisão narrativa associando a vulnerabilidade à saúde e os fatores ambientais de trabalhadores rurais. Rev Bras Med Trab 2018;16:503-8. https://doi.org/10.5327/Z1679443520180250

Silva CA, Menezes MA, Oliveira RV. Às margens do desenvolvimento: o trabalho das mulheres e a luta por direitos no polo de fruticultura de Petrolina/PE-Juazeiro/BA. Cad Pagu 2018;52:1-32. https://doi.org/10.1590/18094449201800520008

Neto JRC, Alves CLB. Ruralidade no Vale do submédio São Francisco: observações a partir da evolução econômica do polo Juazeiro-BA – Petrolina-PE. Rio de Janeiro. IDeAS 2009;3:324-61.

https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/4059725.pdf

Silveira GWS, Luiz TAA, Dal Sasso SM. Perfíl epidemiológico de pacientes da Clínica Escola de Fisioterapia do Unifaminas, Muriaé (MG). RCFaminas 2017;12:5359.

http://periodicos.faminas.edu.br/index.php/RCFaminas/article/download/391/349.

Araújo JP, Darcis JVV, Tomas ACV, Mello WA. Tendência da Mortalidade por Acidente Vascular Cerebral no Municipio de Maringá, Paraná entre os Anos de 2005 a 2015. Inter J Cardiovasc Sci 2018;31:56-62. https://doi.org/10.5935/2359-4802.20170097

Sá BP, Grave MTQ, Périco E. Perfíl de pacientes internados por Acidente Vascular Cerebral em hospital do Vale do Taquari/RS. Rev Neurocienc 2014;22:381-7.

https://doi.org/10.4181/RNC.2014.22.03.967.7p

Jesus EAS. Perfíl dos pacientes sob tratamento fisioterapêutico na Clínica Escola da Faculdade IBES. (Trabalho de Conclusão de Curso) Salvador: Faculdade IBES. 2009.

http://www.uniceusa.edu.br/aluno/arquivos/artigo_elizabete_jesus.pdf

Leite HR, Nunes APN, Corrêa CL. Perfíl epidemiológico de pacientes acometidos por acidente vascular encefálico cadastrados na Estratégia de Saúde da Familia em Diamantina, MG. Rev Fisioter Pesq 2009;16:34-9. http://dx.doi.org/10.1590/S1809-29502009000100007

Creôncio SCE, Moura JC, Rangel, BLR. Aspectos Clínico-epidemiológicos do trauma raquimedular no Hospital de Urgências e Traumas – Petrolina-PE. J Bras Neurocirur 2012;23:211-6. https://www.abnc.org.br/jbnc_art_down.php?id=1016

Carvalho IA, Deodato LFF. Fatores de risco do Acidente Vascular Encefálico. Rev Cient FASETE 2016;180-91.

https://www.fasete.edu.br/revistarios/media/revistas/2016/11/fatores_de_risco_do_acidente_vascular_encefalico.pdf

Henz BD, Leite LR. Fibrilação Atrial e Eventos Tromboembólicos Criptogênicos. Arq Bras Cardiol 2018;111:132-3.

https://doi.org/10.5935/abc.20180141

Santos MV, Ghisleni MM. Perfíl epidemiológico de pacientes da Clínica-Escola de Fisioterapia Univates. Rev Destaques Acad 2012;4:129-36. http://univates.br/revistas/index.php/destaques/article/view/157

Britto J, Fabonato R, Klein NL, Penz BLG, Oliveira VA, Castelli MDB. et al. Fisioterapia na neurologia, patologias e o tratamento fisioterápico neurofuncional. (Projeto de aperfeiçoamento teórico e prático). Passo Fundo: Faculdade IDEAU. 2018.

https://micpassofundo.ideau.com.br/restrito/upload/projeto/arquivo_50.pdf

Downloads

Publicado

2019-12-27

Como Citar

Matos, L. R. de S., Luan Silva Martins, Ícaro ., Karlla Lima Candeias, D. ., Nunes Barbosa Petzinger, K., Alencar Lessa, E. ., & Bento Moreira, M. . (2019). Perfil Epidemiológico e Clínico de Pacientes Neurológicos em um Hospital Universitário. Revista Neurociências, 27, 1–17. https://doi.org/10.34024/rnc.2019.v27.9737

Edição

Seção

Artigos Originais
Recebido em 2019-09-18
Aceito em 2019-12-04
Publicado em 2019-12-27

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)