Inibição Enzimática, Neuroproteção e Tratamento da Doença de Parkinson

Autores

  • Luiz Augusto Franco de Andrade Professor Adjunto e Livre-Docente Chefe da Disciplina de Neurologia da Escola Paulista de Medicina (Universidade Federal de Sao Paulo).
  • Henrique Ballalai Ferraz Doutor em Neurologia — Professor da PósGraduação em Neurologia Clinica da Escola Paulista de Medicina (Universidade Federal de Sao Paulo).

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.1997.v5.8992

Palavras-chave:

I nibidores da MAO, inibidores da COMT, neuroprotecão, doença de Parkinson

Resumo

Os autores apresentam uma revisão dos mecanismos bioquimicos envolvidos no metabolismo da dopamina no cérebro, dos sistemas enzimáticos envolvidos na metabolização e catabolização deste neurotransmissor e das drogas que podem interferir neste metabolismo. 0 conceito de neuroprotegão cerebral no tratamento da doença de Parkinson também é revisto. 0 papel de inibidores da MAO, como a moclobemida e a selegilina, já existentes no mercado, assim como de novas drogas ainda não comercializadas ou em vias de o serem, como a lazabemida e o inibidor da COMT tolcapone, são discutidos em sua utilidade no tratamento sintomático ou neuroprotetor da doença de Parkinson.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

.

Downloads

Publicado

1997-10-31

Como Citar

Andrade, L. A. F. de, & Ferraz, H. B. (1997). Inibição Enzimática, Neuroproteção e Tratamento da Doença de Parkinson. Revista Neurociências, 5(1), 27–33. https://doi.org/10.34024/rnc.1997.v5.8992

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>