O exercício em doenças neuromusculares

Autores

  • Victor AF Tarini Professor de Educação Física, Mestre em Fisiologia do Exercício(UNIFESP-EPM
  • Lígia Vilas Fisioterapeuta, especializanda em Hidroterapia em doenças neuromusculares (UNIFESP-EPM)
  • Márcia CB Cunha Fisioterapeuta, Doutora em Neurociências (UNIFESP-EPM)
  • Acary SB Oliveira Doutor em Neurologia, Chefe do Setor de Doenças Neuromusculares da UNIFESP

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2005.v13.8830

Palavras-chave:

Exercício, Atividade motora, Doenças neuromusculares

Resumo

Introdução: A presente revisão tem por objetivo reunir as informações existentes na literatura científica, sobre efeitos dos exercícios em indivíduos com doenças neuromusculares (DNM). Neste trabalho, foram analisados os principais estudos que investigaram os efeitos de programas de exercícios em indivíduos portadores de DNM. Métodos: Para a localização dos artigos, foi criada uma estratégia de busca em bases de dados na Internet por meio de “palavras-chave”, onde se estabeleceu a relação entre DNM e exercício. Resultados: Os estudos sobre exercício e DNM apresentam limitações metodológicas importantes que comprometem a sua credibilidade. Porém, a maioria das investigações sugere que o exercício traz benefícios. Apesar de remota, existe a possibilidade de agravar o quadro por meio de exercício. Contudo, não se deve generalizar, pois cada doença possui características próprias como por exemplo a velocidade de progressão. Doenças de rápida progressão como Distrofia Muscular de Duchenne ou Esclerose Lateral Amiotrófica necessitam de uma orientação diferente das doenças de progressão mais lenta. Nestas situações, a manutenção das funções motoras e os hábitos de vida diária já se considera um benefício. Conclusão: A presença de um especialista em exercício dentro de uma equipe multidisciplinar poderá contribuir na tarefa de estabelecer uma progressão no volume e intensidade de esforço, bem como na elaboração de programas periodizados, que poderão proporcionar ajustes discretos porém importantes nos programas de exercícios.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Kraemer WJ, Adams K, Cafarelli, E et al. American College of Sports Medicine position stand on progression models in resistance training for healthy adults. Med Sci Sports Exerc 2002; 34(2): 364–380.

Krivickas LS. Exercise in Neuromuscular Disease. J Clin Neuromusc Dis 2003; 5:29-39.

Kilmer DD. Response to resistive strengthening exercise training in humans with neuromuscular disease. Am J Phys Med Rehabil 2002; 81(suppl.): S121-S126.

Kilmer DD. Response to aerobic exercise training in humans with neuromuscular disease. Am J Phys Med Rehabil 2002; 81(suppl): S148-S150.

Oliveira ASB, Gabbai AA. Doenças Neuromusculares. In: Ramos JA, Prado FC. Atualização Terapêutica: manual prático de diagnóstico e tratamento.19ª edição. Porto Alegre: Artes Medicas, 2000, pp 815-826.

Kraemer WJ, Ratamess NA. Fundamentals of resistance training progression and exercise prescription. Med Sci Sports Exerc 2004; 36(4): 674–688.

Agre JC, Rodriquez AA, Franke TM et al. Low-intensity, alternate-day exercise improves muscle performance without apparent adverse effect in postpolio patients. Am J Phys Med Rehabil 1996;75(1):50-58.

Agre JC, Rodriquez AA, Franke TM. Strength, endurance, and work capacity after muscle strengthening exercise in postpolio subjects. Arch Phys Med Rehabil 1997; 78:681-686.

Spector S, Lemmer J, Koffman B et al. Safety and efficacy of strength training in patients with sporadic Inclusion Body Myositis. Muscle & Nerve 1997; 20: 1242-1248.

Drory VE, Goltsman E, Resnik JG et al. The value of muscle exercise in patients with Amyotrophic Lateral Sclerosis. J Neurol Sci 2001; 191:133-137.

Kraemer WJ, Nindl BC, Ratamess NA et al. Changes in muscle hypertrophy in women with periodized resistance training. Med Sci Sports Exerc 2004; 36(4): 697–708.

van der Kooi EL, Vogels OJM, van Asseldonk RJGP et al. Strength training and Albuterol in Facioscapulohumeral Dystrophy. Neurol 2004; 63:702-708.

Wright NC, Kilmer DD, McCrory MA et al. Aerobic walking in slowly progressive neuromuscular disease of a 12-week program. Arch Phys Med Rehabil 1996; 77: 64-69.

McDonald MC. Physical activity, health impairments, and disability in neuromuscular disease. Am J Phys Med Rehabil 2002; 81(Suppl.): S108-S120.

Rothstein JD, Van KM, Levey AL et al. Seletive loss of glial glutamate transporter GLT-1 in Amyotrophic Lateral Sclerosis. Ann Neurol 1995; 38: 73-84.

Veldink JH, Kalmijn S, Groeneveld GJ et al. Physical activity and the association with sporadic ALS. Neurol 2005; 64:241-245.

Spector SA, Gordon PL, Feuerstein A et al. Strength gains without muscle injury after strength training in patients with Postpolio Muscular Atrophy. Muscle & Nerve 1996; 19: 1282-1290.

Taivassalo T, De Stefano N, Argov Z et al. Effects of aerobic training in patients with Mitochondrial Myopathies. Neurol 1998; 50(4):1055-1060.

Haller RG, Wyrick P, Cavender D et al. Aerobic Conditioning: an effective therapy in McArdle’s Disease. Neurol 1998; 50(suppl 4):A369.

Olsen DB, Orngreen MC, Vissing J. Aerobic training improves exercise performance in Facioescapulohumeral Dystrophy. Neurol 2005; 64: 1064-1066.

Skura CL, Padden TM, Fowler EG. The effect of concentric exercise for two children with Duchenne Muscular Dystrophy. Pediatr Phys Ther 2005; 17(1):84.

Taivassalo T, De Stefano N, Chen J et al. Short-term aerobic training response in chronic myopathies. Muscle & Nerve 1999; 22: 1239-1243.

Kilmer DD. Response to high-intensity eccentric muscle contraction in persons with myopathic disease. Muscle & Nerve 2001; 24:1181-1187.

Linderman F, Leffers P, Spaans F et al. Strength training in patients with Myotonic Dystrophy and hereditary motor and sensory neuropathy: A randomized clinical trial. Arch Phys Med Rehabil 1995; 76: 612-620.

Downloads

Publicado

2005-06-30

Como Citar

Tarini, V. A., Vilas, L., Cunha, M. C., & Oliveira, A. S. (2005). O exercício em doenças neuromusculares. Revista Neurociências, 13(2), 67–73. https://doi.org/10.34024/rnc.2005.v13.8830

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)