Insônia

doença crônica e sofrimento

Autores

  • Maria José V Varela Psicóloga, Pós-graduanda da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
  • João Eduardo C Carvalho Psicólogo, NECON – UNIFESP, Universidade Paulista (UNIP)
  • Maite Varela Psicóloga, Pós-graduanda da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
  • Clarisse Potasz Terapeuta Ocupacional, Pós-graduanda da UNIFESP
  • Lucila BF Prado Coordenadora do Laboratório de Sono da Clínica e Ciências do Sono da UNIFESP
  • Luciane B C Carvalho Psicóloga, Coordenadora do Ambulatório da Clínica e Ciências do Sono da UNIFESP
  • Gilmar Fernandes do Prado Neurologista, Coordenador da Clínica e Ciências do Sono da UNIFESP

DOI:

https://doi.org/10.4181/RNC.2005.13.183

Palavras-chave:

Insônia, Doença Crônica, Sofrimento Psíquico

Resumo

Insônia é a dificuldade em iniciar ou manter o sono, ou mesmo a percepção de um sono não-reparador, combinada com conseqüências adversas durante o dia como fadiga excessiva, queda da “performance” ou mudança de humor. O objetivo deste trabalho é procurar obter um entendimento desta condição, tentando aliar as questões de saúde física, psíquica e social, tendo um olhar mais apurado para a interligação entre os mesmos, discutindo o sofrimento desencadeado pela insônia como doença crônica. Atentando para o paciente, conceitos das ciências sociais e da psicanálise são considerados, assim como modelos de ciência para compreender o mundo social. Detém-se na visão do ser humano como integral, conectado à sua ontogênese e filogênese. Aprofunda-se esta busca de entendimento passando pelos conceitos de subjetividade, intersubjetividade e de cultura, focando os aspectos relativos ao impacto do sofrimento social na pessoa que vai lidar com o processo do adoecer, ou seja, como vai conviver com a cronicidade e o sofrimento de sua enfermidade. Concluímos que fatores psicossociais contribuem de maneira importante para compreender o sofrimento associado à condições crônicas como pode se dar na insônia, e que sua consideração pelos profissionais de saúde é necessária para seu tratamento.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Minayo MCS. O Desafio do Conhecimento: Pesquisa Qualitativa em Saúde. 8ª edição. São Paulo: Editora HUCITEC, 2004, 270p.

Garcia J. Medicina e Sociedade: as correntes de pensamento no campo da saúde. Nunes ED (org). Medicina Social: aspectos históricos e teóricos. São Paulo: Global Ed., 1983.

Klein M. Inveja e Gratidão e outros trabalhos 1946-1963. Rio de Janeiro: Imago Editora, 1991, 400p.

Houaiss A. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Editora Objetiva, 2001.

Edinger JD, Means MK. Overview of Insomnia: Definitions, Epidemiology, Differential Diagnosis, and Assessment. In: Kryger MH, Roth T, Dement WC (eds). Principles and Practice of Sleep Medicine. Elsevier Saunders, 4th edition, 2005, 702-710.

Classificação de Transtornos Mentais e de Comportamento da CID-10. Descrições clínicas e diretrizes diagnósticas – OMS. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993, p18.

Morin CM. Psychological and behavioral treatments for primary insomnia. In: Kryger, MH, Roth T, Dement WC (eds). Principles and Practice of Sleep Medicine. Elsevier Saunders, 4th edition, 2005, p726.

Marcuse H. Eros e Civilização. Uma interpretação Filosófica do Pensamento de Freud. 8ª edição, Rio de Janeiro: LTC, 1999, 232p.

BOUDON R, BOURRICAUD F. Cultura e Culturalismo. In: Dicionário Crítico de Sociologia. 2ª ed., São Paulo: Ática, 2001, 121-128.

Naffah Neto A. A subjetividade enquanto ethos. Cadernos da Subjetividade da PUC/São Paulo 1995; 3:197-199.

Figueiredo LCM. Atos e acasos em psicanálise. Um comentário heideggeriano. Cadernos de Subjetividade da PUC/São Paulo 1995; 3(1):157-63.

Freud S. Psicologia de Grupo e Análise do Ego (1921), Vol. XVIII. Rio de Janeiro: Imago Editora, 1996, p79.

Fernandes MIA. O Trabalho Psíquico da Intersubjetividade. Psicol USP 2003; 14(3):47-55.14. Freud S. O Mal-Estar na Civilização (1930) Vol XXI. Rio de Janeiro: Imago Editora. 1996, p67.

Ritvo LB. A Influência de Darwin sobre Freud. Um conto de duas ciências. Rio de Janeiro: Imago Editora, 1992, 340p.

Kleinman A. Illness Narratives Suffering, Healing, and the Human Condition. Basic Books: USA, 1989, 284p.

Kehl MR. Uma existência sem sujeito. Caderno Mais da Folha de São Paulo de 26/01/2003.

Luz M. Natural, racional, social: razão médica e racionalidade científica moderna. 2ª ed., São Paulo: Hucitec, 2004, 209p.

Goffman E. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. 4ª ed. Rio de Janeiro: LTC, 1988,160 p.

Carvalho JEC. Sofrimento e subjetividade. São Paulo: UNIFESP, Programa de Pós-Graduação em Medicina de Urgência, 2005 (memo), 12p

Downloads

Publicado

2005-12-31

Como Citar

Varela, M. J. V., Carvalho, J. E. C., Varela, M., Potasz, C., Prado, L. B., Carvalho, L. B. C., & Prado, G. F. do. (2005). Insônia: doença crônica e sofrimento. Revista Neurociências, 13(4), 183–189. https://doi.org/10.4181/RNC.2005.13.183

Edição

Seção

Artigos Originais
##plugins.generic.dates.received## 2019-02-06
##plugins.generic.dates.published## 2005-12-31

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 6 > >> 

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.