Perfil clínico e funcional dos pacientes com Distrofia Muscular de Duchenne assistidos na Associação Brasileira de Distrofia Muscular (ABDIM)

Autores

  • Nubia Mendes Santos Fisioterapeuta, Especialista em Intervenção Fisioterapêutica na Doenças Neuromusculares pela UNIFESP
  • Marilia de Moraes Rezende Fisioterapeuta, Especialista em Intervenção Fisioterapêutica na Doenças Neuromusculares pela UNIFESP
  • Andréa Terni Fisioterapeuta, Especialista em Intervenção Fisioterapêutica na Doenças Neuromusculares pela UNIFESP
  • Maria Clariane Berto Hayashi Fisioterapeuta, Mestre em Ciências pela UNIFESP.
  • Francis Meire Fávero Fisioterapeuta, Mestre em Ciências pela UNIFESP
  • Abrahão Augusto Juviniano Quadros Fisioterapeuta, Mestre em Ciências pela UNIFESP
  • Ludmila Isabel Oliveira dos Reis Fisioterapeuta da ABDIM
  • Miriam Adissi Médica da ABDIM.
  • Ana Lúcia Langer Médica da ABDIM
  • Sissy Veloso Fontes Fisioterapeuta, Professora de Educação Física, Doutora em Ciências pela UNIFESP
  • Acary Souza Bulle Oliveira Neurologista, Doutor em Neurologia, Chefe do Setor de Doenças Neuromusculares da UNIFESP

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2006.v14.8782

Palavras-chave:

Distrofia muscular Duchenne, Reabiliatação, Equipe interdisciplinar de saúde

Resumo

A distrofia muscular de Duchenne (DMD) é uma doença hereditária progressiva, de herança recessiva ligada ao cromossomo X. As manifestações clínicas se iniciam na infância com enfraquecimento muscular progressivo. Objetivo: Foi caracterizar o perfil clínico e funcional apresentado pelos pacientes com DMD, que se encontravam em acompanhamento na Associação Brasileira de Distrofia Muscular (ABDIM). Método: Foram coletados os dados de 58 pacientes com o diagnóstico de DMD. Resultados: Os resultados obtidos caracterizaram os pacientes com DMD da ABDIM, proporcionando dados como: idade da população, complicações clínicas mais freqüentes e nível de independência em relação á funcionalidade, caracterizando a diversidade do perfil clínico e funcional desses pacientes. Conclusão: Concluiu-se que o perfil clínico e funcional dos pacientes da ABDIM apresentou-se heterogêneo, mostrando que a progressão da doença varia de sujeito para sujeito dentro da população estudada, mesmo levando em consideração a faixa etária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Caromano FA. Características do portador de distrofia muscular de Duchenne: Revisão. Arq Cienc Saude Unipar 1999;3(3):211-218.

Souza S, Melo E. Distrofias musculares. In: Werneck L. Tratamento das doenças neuromusculares. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2000. p.534-536.

Lianza S. Distrofias musculares. In: Leitão RA, Leitão AV, Ancellotti C. Medicina de Reabilitação. 3ªed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2001. p.381-392.

Santos GA, Caromano FA, Vainzof M, Zatz M. Caracterização da passagem da postura de bipedestação para a de sedestação no solo, em crianças portadoras de distrofia muscular de Duchenne. Rev Ter Ocup Univ 2002;13(1):31-36.

Vignos PJ, Archibalb KC. Maintenance of ambulation in childhood muscular dystrophy. J. Chron. Dis 1960;12(2):273-289.

Vignos PJ, Wagner MB, Karlinchak B, Katirji B. Evaluation of a program for long-term treatment of Duchenne muscular dystrophy. J Bone Joint Surg Am 1996;78:1844-1852.

Bach JR. Evolução natural. In: Bach JR. Guia de exame e tratamento das doenças neuromusculares. São Paulo: Santos; 2004. p.5-11.

Brooke MH. Clinical investigation in Duchenne dystrophy: Determination of the “power” of the therapeutic trials based on the natural history. Muscle & Nerve 1983;6:91-103.

Eagle M, Baudouin SV, Chandler C, Giddings DR, Bullock R, Bushby K. Survival in Duchenne muscular dystrophy: improvements in life expectancy since 1967 and the impact of home nocturnal ventilation. Neuromuscular Disorders 2002;12:926–929.

Boland, BJ Silbert PL, Groover RV, Wollan PC, Silverstein MD. Skeletal, cardiac and smooth muscle failure in Duchenne muscular dystrophy. Pediatr Neurol 1996;14:7-12.

Perrin C, Unterborn JN, Ambrosio C, Hill NS. Pulmonary complications of chronic neuromuscular diseases and their management. Muscle & Nerve 2004;29:5-27.

Davies KE. Challenges in Duchenne muscular dystrophy. Neuromuscular Disorders 1997;7:482–486.

Emery AEH. The muscular dystrophies (Fortnightly Review). BMJ 1998;317(7164):991-996.

Reed UC. Miopatias.In: Reed UC. Neurologia Infantil. 3ª ed. São Paulo: Atheneu, 1996. p.1103-1127.

Prado FC, Ramos JA, Valle JR. Doenças musculares. In: Oliveira ASB, Gabbai A. Atualização terapêutica. 20ª ed. São Paulo: Artes Médicas, 2001. p.810-821.

Fachardo GA, Carvalho SCP, Vitorina DFM. Tratamento hidroterápico na distrofia muscular de Duchenne: Relato de um caso. Rev Neurociências 2004;12(4):16.

Nair SKP, Vasanth A, Gourie-Devi M, Taly AB, Rao S, Gaythri N, et al. Disabilities in children with Duchenne muscular dystrophy: a profile. J. Rehabil Med 2001;33:147-149.

Melacini P, Vianello K, Villanova C, Fanin M, Miorin M, Angelini C, et al..Cardiac and respiratory involvement in advanced stage Duchenne muscular dystrophy. Neuromusc Disord 1996;6(5):367-376.

Phillips MF, Smith PEM, Carroll N, Edwards RHT, Calverley PMA. Nocturnal oxygenation and prognosis in Duchenne muscular dystrophy. Am Respir Crit Care Med 1999;160:198-202.

Hoogerwaard EM, Wouw PA, Wilde AAM, Bakker E, Ippel PF, Oosterwijk JC, et al. Cardiac involvement in carriers of Duchenne and Becker muscular dystrophy. Neuromuscular Disorders 1999;9:347-51.

Vestergaard P. Fracture risk in patients with muscular dystrophy and spinal muscular atrophy. J Rehabil Med 2001;33:150-155.

Respiratory care of the patient with Duchenne Muscular Dystrophy- ATS Consensus Statement. Am J Respir Crit Care Med, 2004;170:456-465.

Vignos PJ. Physical models of rehabilitation in neuromuscular disease. Muscle & Nerve 1983;6:323-338.

Uchikawa K, Liu M, Hanayama K, Tsuji T, Fujiwara T, Chino N. Functional status and muscle strength in people with Duchenne muscular dystrophy living in the community. J Rehabil Med 2004;36:124-129.

Yoshioka M, Okuno T, Honda Y, Nikini Y. Central Nervous System Involvement in Progressive Muscular Dystrophy. Arch. Dis. Child 1980; 55:589-594.

Walton SJ. Disorders of Voluntary Muscle. 5th ed. New York, 1988, 1888p.

Araújo APQC, Deco MC, Klôh BS, Costa MR, Góis FV, Guimarães AFCM. Diagnosis delay of Duchenne muscular dystrophy. Rev Bras Saúde Matern Infant 2004;4(2):179-183.

Downloads

Publicado

2006-03-31

Como Citar

Santos, N. M., Rezende, M. de M., Terni, A., Hayashi, M. C. B., Fávero, F. M., Quadros, A. A. J., Reis, L. I. O. dos, Adissi, M., Langer, A. L., Fontes, S. V., & Oliveira, A. S. B. (2006). Perfil clínico e funcional dos pacientes com Distrofia Muscular de Duchenne assistidos na Associação Brasileira de Distrofia Muscular (ABDIM). Revista Neurociências, 14(1), 15–22. https://doi.org/10.34024/rnc.2006.v14.8782

Edição

Seção

Artigos Originais
Recebido em 2019-02-07
Publicado em 2006-03-31

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 6 7 8 > >>