Análise da hiper-extensão de joelho em pacientes hemiparéticos usando órtese para neutralização da fl exão plantar

Autores

  • Felipe Brandão de Rezende Graduando em fisioterapia da Faculdade Salesiana de Vitória
  • Carlos Américo Pereira Viana Graduando em fisioterapia da Faculdade Salesiana de Vitória
  • João Luiz Coelho de Fari Professor da disciplina de Neurologia Aplicada á Fisioterapia e Supervisor de estágio em Ortopedia da Faculdade Salesiana de Vitória

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2006.v14.8750

Palavras-chave:

Hemiparesia, March, Aparelhos Ortopédicos

Resumo

Objetivo: Observar a eficácia da estabilização à 90º da articulação talocrural para diminuição da hiper-extensão de joelho de pacientes hemiparéticos durante a fase de médio apoio da marcha, bem como averiguar sua repercuss ão sobre a velocidade da marcha (VM). Método: Participaram do estudo sete pacientes hemiparéticos (seis masculinos e um feminino), todos apresentando hiper-extensão de joelho no médio apoio. Em uma avaliação foi mensurado o grau de espasticidade do tríceps sural. Uma órtese tornozelo-pé (AFO) foi utilizada para estabilizar a articulação talocrural. Imagens obtidas de perfil de marcadores articulares usando uma câmera digital registraram a angulação do joelho durante o médio apoio da marcha, ao longo de 10 metros, antes e depois do uso da órtese. Para mensuração e análise da angulação do joelho após registro em vídeo foi utilizado o programa Autocad, sendo analisada a angulação do joelho antes e após o uso da órtese. A VM também foi analisada. Resultados: Os resultados mostraram que houve redução significativa da hiper-extensão do joelho em seis dos sete pacientes (p<0,05), bem como melhora da velocidade da marcha na grande maioria. Não houve relação direta entre o grau de espasticidade e a hiper-extensão do joelho. Conclusão: A estabilização à 90º da articulação talocrural, utilizando a AFO rígida, mostrou-se eficaz para redução da hiper-extensão do joelho e melhora da VM.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Rowland LB. Merrit Tratado de Neurologia. 10 ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 2001, 887 p.

Huitema RB, Hof AL, Mulder T, Brouwer WH, Dekker R, Postema K. Functional recovery of gait and joint kinematics after right hemispheric stroke. Arch Phys Med Rehabil 2004;85(12):1982-1988.

Davies PM. Exatamente no Centro: atividades seletiva do tronco no tratamento da hemiplkegia no adulto. Sao Paulo: Manole, 1996, 284 p.

OSullivan SB, Schimitz TJ. Fisioterapia: Avaliação e Tratamento. 4 ed. São Paulo: Manole, 2004, 775 p.

Norkin CC, Levamgie PK. Articulações: Estrutura e Função. 2 ed. Rio de Janeiro: Manole, 2001, 498 p.

Gage JR. Gait Analysis in Cerebral Palsy. New York, MacKeith Press/Cambridge University Press, 1991.

Beaudoin N, Fleury J. Reabilitación de las personas afectadas por accidentes cerebrovasculares. Encyclopedie Medico Chirurgicale: Kinesiterapia Medicina Física. 1 ed. Paris: Elsevier, 2001; vol 4, 26-455-A-10.

Winters Jr TF, Gage JR, Hicks R. Gait patterns in spastic hemiplegia in children and young adults. J Bone Joint Surg Am 1987;69(3):437-441.

Caillet F, Mertens P, Rabaseda S, Boisson D. The development of gait in the hemiplegic patient after selective tibial neurotomy. Neurochirurgie 1998;44(3):183-191.

Perry J. Gait Analisis. Normal and Pathological Function. New York, McGraw Hill, 1992.

Brunner R, Meier G, Ruepp T. Comparison of a stiff and a spring-type anklefoot orthosis to improve gait in spastic hemiplegic children. J Pediatr Orthop 1998;18(6):719-726.

Tyson SF, Thornton HA. The effect of a hinged ankle foot orthosis on hemiplegic gait: objective measures and users opinions. Clin Rehabil 2001;15(1):53-58.

Iwata M, Kondo I, Sato Y, Satoh K, Soma M, Tsushima E. An ankle-foot orthosis with inhibitor bar: effect on hemiplegic gait. Arch Phys Med Rehabil 2003;84(6):924-927.

Romkes J, Brunner R. Comparison of a dynamic and a hinged ankle-foot orthosis by gait analysis in patients with hemiplegic cerebral palsy. Gait Posture 2002;15(1):18-24.

Gok H, Kucukdeveci A, Altinkaynak H, Yavuzer G, Ergin S. Effects of anklefoot orthosis on hemiparetic gait. Clin Rehabil 2003;17(2):137-139.

Yokoyama O, Sashika H, Hagiwara A, Yamamoto S, Yasui T. Kinematic effects on gait of a newly designed ankle-foot orthosis with oil damper resistance: a case series of 2 patients with hemiplegia. Arch Phys Med

Rehabil 2005;86(1):162-166.

Kakurai S, Akai M. Clinical experiences with a convertible thermoplastic knee-ankle-foot orthosis for post-stroke hemiplegic patients. Prosthet Orthot Int 1996;20(3):191-194.

Bernspang B, Asplund K, Eriksson S, Fuglmeyer AR. Motor and perceptual impairments in acute stroke patients: effect on self-car ability. Stroke 1987;18:1081-1086.

Tartaruga LAP, Tartaruga MP, Black GL, Coertjens M, Ribas LR, Kruel LFM. Comparison of the subtalar joint angle during submaximal running speeds. Acta ortop. Bras 2005;13(2):57-60.

Knutsson E, Richards C. Different types of disturbed motor control in gait of hemiparetic patients. Brain, v. 102(2), 1979, p. 405-430.

Downloads

Publicado

2006-09-30

Como Citar

Rezende, F. B. de, Viana, C. A. P., & Fari, J. L. C. de. (2006). Análise da hiper-extensão de joelho em pacientes hemiparéticos usando órtese para neutralização da fl exão plantar. Revista Neurociências, 14(3), 140–143. https://doi.org/10.34024/rnc.2006.v14.8750

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)