Recursos Fisioterapêuticos (Crioterapia e Termoterapia) na espasticidade

revisão de literatura

Autores

  • Thais Duarte Felice Fisioterapeuta especialista em Fisioterapia Neurofuncional. Supervisora de Estágio em Fisioterapia em Pediatria Ambulatorial e Neurologia – Lesão Medular do Curso de Fisioterapia do Centro Universitário da Grande Dourados, UNIGRAN, Dourados-MS, Brasil.
  • Lidianni Rosany Santana Fisioterapeuta graduada pela UNIGRAN, Dourados-MS, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2009.v17.8605

Palavras-chave:

Espasticidade Muscular, Modalidades de Fisioterapia, Crioterapia, Hipertermia Induzida

Resumo

A crioterapia e a termoterapia são terapêuticas empregadas no tratamento da espasticidade, ou seja, uma alteração motora presente em diversas patologias do Sistema Nervoso Central, apresentando como sinais clínicos hipertonicidade, reflexos tendinosos exacerbados, clônus e sinal de Babinski positivo. O objetivo do trabalho é analisar os efeitos da crioterapia e da termoterapia na espasticidade. Foi realizada uma revisão de literatura baseada em livros e artigos científicos nacionais e internacionais indexados nas bases de dados Medline e Lilacs no período de 1998 e 2006, no idioma português, inglês e espanhol. As palavras utilizadas para a pesquisa foram espasticidade, tratamento fisioterapêutico, crioterapia e termoterapia. Os trabalhos analisados relatam que a crioterapia e a termoterapia são recursos empregados com a finalidade de reduzir a espasticidade, facilitando dessa forma a execução dos exercícios de tratamento pelo fisioterapeuta, proporcionando bem estar e uma melhora na qualidade de vida do paciente. A associação das duas técnicas oferece melhores resultados do que a aplicação de uma ou da outra de forma isolada. Porém, faz-se necessário a realização de mais estudos sobre o tema, pois há poucas referências literárias que relacionam o uso desses recursos no tratamento da espasticidade e existem divergências entre autores que devem ser esclarecidas. Unitermos. Espasticidade Muscular, Modalidades de Fisioterapia, Crioterapia, Hipertermia Induzida. Citação. Felice TD, Santana LR. Recursos Fisioterapêuticos (Crioterapia e Termoterapia) na espasticidade: revisão de literatura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Leitão AV, Musse CAI, Granero LHM, Rossetto R, Pavan K, Lianza S. Espasticidade: Avaliação Clínica. Projeto Diretrizes. Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina. São Paulo: Sociedade Brasileira de Medicina Física e Reabilitação, 2006, 8p.

Calderón GR, Calderón SRF. Tratamiento clínico (no quirúrgico) de la espasticidad en la parálisis cerebral. Rev Neurol 2002;34(1):1-6.

Kadel ER, Schwartz JH, Jessel TM. Princípios de Neurociência. 4ª ed. São Paulo: Manole, 2003, 1412p.

Rodríguez ML, Pérez PS, Palmero CR, Serra VY. La espasticidad como secuela neurológica. Rev Mex Neuroci 2005;6(1):42-7.

Veiros I, Martins L, Martins F. O Baclofeno Intratecal no Tratamento da Espasticidade. Acta Med Port 2006;19: 217-24.

Lianza S, Pavan K, Lourenço AF, Fonseca AP, Leitão AV, Musse CAI, et al. Diagnóstico e Tratamento da Espasticidade. Projeto Diretrizes. Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina. São Paulo: Sociedade Brasileira de Medicina Física e Reabilitação, 2001, 12p.

Peixoto ES, Mazzitelli C. Avaliação dos Principais Déficits e Proposta de Tratamento da Aquisição Motora Rolar na Paralisia Cerebral. Rev Neurocienc 2004;12(1):46-53.

Umphred DA. Fisioterapia Neurológica. 2ª ed. São Paulo: Manole, 1994, 876p.

O’Sullivan SB, Schmitz TJ. Fisioterapia: Avaliação e tratamento. 2ª ed. São Paulo: Manole, 1993, 775p.

Gianni MA. Tratamento da Espasticidade. Reabilitar 2000;7:33-9.

Fonseca AP, Greve JMD, Pavãn K, Granero LHM, Gal PLM. Consenso Nacional Espasticidade: Diretrizes para diagnóstico e tratamento. São Paulo: Sociedade Brasileira de Medicina Física e Reabilitação. São Paulo, 2001, 8p.

Baiocato AC, Rozestraten FS, Oliveira TR. Uso da Toxina Botulínica Tipo A Como Coadjuvante no Tratamento da Espasticidade: Uma Revisão da Literatura. Fisioter Mov 2000;13(2):33-6.

Teive H, Zonta M, Kumagai Y. Tratamento da espasticidade: uma atualização. Arq Neuropsiquiatr 1998;56(4): 852-8.

Souza AMC, Ferrareto I. Como tratamos a paralisia cerebral: Reabilitação. São Paulo: Escritório Editorial, 1997, 118p.

Rotta NT. Paralisia cerebral, novas perspectivas terapêuticas. J Pediatr 2002;78(Supl1):S48-54.

Brech CG. Lesão raquimedular: Uso da piscina terapêutica para minimizar a espasticidade. Fisioter Bra 2005; 6(2):119-23.

Cardoso TAC, Oliveira RA, Almeida RD. A utilização da crioterapia e do calor superficial na espasticidade. Fisio Ter 2001;5(26):9-10.

Prentice WE. Modalidades terapêuticas em medicina esportiva. 4ª ed. São Paulo: Manole, 2002, 375p.

Guirro R, Abib C, Maximo C. Os efeitos fisiológicos da crioterapia: Uma revisão. Rev Fisioter USP 1999;6(2):164-70.

Umphred DA. Reabilitação Neurológica. 4ª ed. São Paulo: Manole, 2004, 1118p.

Andrews JR, Harrelson GL, Wilk K. Reabilitação física de lesões desportivas. 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000, 313p.

Knight KL. Crioterapia no tratamento das lesões esportivas. São Paulo: Manole, 2000, 304p.

Thomson A, Skinner A, Piercy J. Fisioterapia de Tidy. 12a ed. São Paulo: Santos, 1994, 500p.

Cares AF, Teles J, Cruz SP. O uso da crioterapia no controle da espasticidade de origem encefálica. Estudos 2004;31(2):307-16.

Camara FC, Lima GM, Fantini G, Macari K, Lucato Júnior RV, Hadad PJ. Efeitos da utilização da crioterapia e do calor superficial na espasticidade de pacientes com lesão medular. Rev Unorp 2005;4(12):7-23.

Barreira VG, Camargo EC. Efeitos fisiológicos e a aplicabilidade da crioterapia: Uma atualização bibliográfica. Fisio Ter 2003;7(36):22-8.

Guirro ECO, Guirro RRJ. Fisioterapia DermatoFuncional: fundamentos, recursos, patologia. 3ª ed. São Paulo: Manole, 2002, 560p.

Agne JE. Eletrotermoterapia: teoria e prática. Porto Alegre: Palotti, 2004, 365p.

Rodrigues A. Crioterapia: Fisiologia e técnicas terapêuticas. São Paulo: Cefespar, 1995, 312p.

Souza AMC, Ferraretto I. Paralisia Cerebral: Aspectos Práticos. São Paulo: Memnon, 1998, 390p.

Lin TY, Stump P, Kaziyama HHS, Teixeira MJ, Imamura M, Greve JMA. Medicina física e reabilitação em doentes com dor crônica. Rev Med 2001;80(esp 2):245-55.

Downloads

Publicado

2009-03-31

Como Citar

Felice, T. D., & Santana, L. R. (2009). Recursos Fisioterapêuticos (Crioterapia e Termoterapia) na espasticidade: revisão de literatura. Revista Neurociências, 17(1), 57–62. https://doi.org/10.34024/rnc.2009.v17.8605

Edição

Seção

Revisão de Literatura
Recebido em 2019-02-08
Publicado em 2009-03-31

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)