Efeito do exercício resistido na função motora do paciente com Distrofia Muscular de Duchenne

Autores

  • Eduardo Costa Ramacciotti Fisioterapeuta do Instituto Bahiano de Reabilitação -IBR, Salvador-BA, Brasil.
  • Carla Ferreira do Nascimento Fisioterapeuta da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia, Preceptora de Estágio da Universidade Católica do Salvador (UCSAL), Salvador-BA, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2010.v18.8474

Palavras-chave:

Distrofia Muscular de Duchenne, Exercício, Resistência Física

Resumo

Objetivo. Relatar o caso de uma criança com Distrofia Muscular de Duchenne (DMD) submetida ao exercício resistido. Método. Criança do sexo masculino, 6 anos, com diagnóstico médico de Distrofia Muscular com Herança Recessiva ligada ao sexo, do tipo DMD. A intervenção foi realizada em uma clínica de fisioterapia, totalizando 10 atendimentos com cada sessão durando 60 minutos. O tratamento seguiu um padrão no qual o brincar era o agente motivacional dos procedimentos. Todavia, os exercícios para preensão palmar eram os de maior ênfase e com o maior grau de aplicabilidade. Para a obtenção de dados quantitativos foram utilizados: Protocolo de avaliação pré-tratamento, Escala de Vignos modificada por Vignos e da mensuração da FM pelo Dinamômetro de preensão manual. Resultado. A Escala de Vignos não se alterou, visto que a criança obteve a pontuação máxima nas 2 avaliações, observou-se aumento significativo da força de preensão palmar de 67,7 % na mão esquerda e de 33% na mão não dominante, mensurado pelo dinamômetro. Conclusão. Isso leva a supor que o tratamento proposto não acelerou as perdas funcionais além de verificar que o exercício resistido pode aumentar a FM no paciente com DMD.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Frezza RM, Silva SRN, Fagundes SL. Atualização do tratamento fisioterapêutico das Distrofias Musculares Duchenne e de Becker. Revista Brasileira em Promoção da Saúde 2005;18:41-9.

Goldstein JL, Brouwn MS. Aspectos genéticos das doenças. In: Isselbacher Kurt (eds). HARRISON: Medicina Interna.13ª. ed. Colonia AtlantaMéxico: Interamericana, 1995, p.364-368.

Griggs RC. Doenças Musculares. In: Carpenter Charles CJ Griggs Robert C, Loscalzo Joseph, (eds). CECIL Medicina Interna Básica. 5ª. ed. Rio de Janeiro. GUANABARA KOOGAN, 2002, p.901-2.

Otuska MA, Boffa CFB, Viana ABA. Distrofias Musculares: fisioterapia aplicada. Rio de Janeiro: REVINTER, 2005, p.540.

Braunwld E. Avaliação do paciente com doença cardíaca. In: Isselbacher Kurt (eds). HARRISON: Medicina interna. 13º. ed. Colonia Atlanta-México: Interamericana, 1995, p.987.

Porto CC. Doenças dos Músculos e da junção neuromuscular. In: Porto CC Semiologia Médica. 4ª. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001, p.1149-50.

Sherperd RB. Doenças dos Músculos (Miopatias). In: Sherperd RB Fisioterapia em Pediatria. 3ª. ed. São Paulo: Santos, 1995, p.280-92.

Souza SFO. Abordagem fisioterapêutica na distrofia muscular de duchenne. (Tese). Salvador: UCSAL, 2001, 90p.

Amanajás D, Ohanna BA. Riscos e Possibilidades da cinesioterapia motora na distrofinopatia. APIM.XV Congresso Brasileiro de Fisioterapia (Dissertação). São Paulo: 2001, p1-7.

Tarnopolsky MA, Mahoney DJ, Vajsar J, Rodriguez CBS, Doherty TJ, Roy BD, et al. Creatine monohydrate enhances strength and body composition in Duchenne muscular dystrophy. Neurology 2004;62: 1771-7.

Mendell JR, Griggs RC. Miopatias hereditárias, metabólicos, endócrinos e tóxicos. In: Isselbacher Kurt, editores. HARRISON: Medicina interna. 13ª. ed.Colonia Atlanta-México: Interamericana; 1995, p.2504-5.

Klein RA, Tarnoplsky MA Creatine for treating muscle disords. The Cochrane Library, Issue1, 2007, p.1-26.

Skura CL, Padden TM, Fowler EG. The effect of concentric exercise for two children with Duchenne Muscular Dystrophy. Pediatric Physical Therapy 2005;17:84-7.

Silva MB, Asa SKP, Maria NNS, Zanella EM, Fávero FM, Fukujima MM, Fontes SV, Oliveira ASB Análise dos instrumentos de avaliação na miopatia. Neurociências. 2006;14:029-043.

Tarini VAF, VilasL, Cunha MCB, Oliveira ASB. O exercício em doenças neuromusculares. Neurociências 2005;13: 67-73.

Bérard C, Payan C, Hodgkinson I, Fermanian J. The MFM Collaborative Study Group. A motor function measure scale for neuromuscular diseases. Construction and validation study. Neuromuscular Disorders 2005;15:463-70.

Martinez JAB, Brunherotti MA, Assis MR, Sobreira CFR. This translated Portuguese version of the EK scale is na adequate tool to be used for Brazilian Duchenne muscular dystrophy patients. Rev Associação Méd Bras 2006; 52:347-51.

Beers MMMD, Berkow RMD, (eds). Distúrbios Musculares. In: Beers MMMD, Berkow RMD Manual de Merk: Diagnóstico e Tratamento. 17ª. ed. São Paulo: ROCA; 2001, p.1476-7.

Parreira, SLS, Resende MBD, Peduto MDC, Marie SKN, Carvalho MS, Reed UC. Quantification of muscle strength and motor ability in patients with Duchenne muscular dystrophy on steroid therapy. Arquivos Neuropsiquiatria 2007;65(2-A):245-50.

Disability/Condition: Duchenne muscular dystrophy and exercise (endereço na internet). Chicago: National Center on Physical Activity and Disability (última atualização: 01/2007; acessado em: 02/2008) Disponível em: http://www.ncpad.org/disability/fact_sheet.php?sheet=142&view=all

Nascimento V, Rocha CJO, Mahum HSJ, Dantas EHM, Vargas ALS. Hidroxiprolina:Níveis de Hp em adulros Submetidos ao flexionamento dinâmiconos meios líquido e terrestre. Fitness & Performance Journal 2005;4:150-6.

Uchikawa K, Liu M, Hanayama K, Tetsuya T, Fujiwara T, Chino N. Functional status and muscle strenght in people with Duchenne Muscular Dystrophy living in the community. Journal of Rehabilitation Medicine 2004;36: 124-9.

Lateur BJ, Giaconi U. Effect on maximal strength of submaximal exercise in duchenne muscular dystrophy American. Journal of Physical Medicine, 1979;58:26-36.

van der Kooi EL, Lindeman E, Riphagen I . Entrenamiento de fuerza y con ejercicios aeróbicos para enfermedades musculares (Cochrane Review). La Biblioteca Cochrane Plus 2008;3:CD003907.

Vignos PJ, Watkins MP The effect of exercise in muscular dystrophy. Journal of the American Medical Association 1966;197:843-8.

Action Plan for the Muscular Dystrophies. Plan developed by the: Muscular Dystrophy Coordinating Committee. Scientific Working Group. 2005, p.16-7.

Downloads

Publicado

2010-09-30

Como Citar

Ramacciotti, E. C., & do Nascimento, C. F. (2010). Efeito do exercício resistido na função motora do paciente com Distrofia Muscular de Duchenne. Revista Neurociências, 18(3), 341–346. https://doi.org/10.34024/rnc.2010.v18.8474

Edição

Seção

Relato de Caso
##plugins.generic.dates.received## 2019-02-19
##plugins.generic.dates.published## 2010-09-30

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.