A contribuição visual para o controle postural

Autores

  • Antonio Vinicius Soares Fisioterapeuta, Mestre em Ciências do Movimento Humano, Coordenador do Núcleo de Pesquisas em Neuroreabilitação – NUPEN da Associação Catarinense de Ensino – ACE, Professor do Bom Jesus/IELUSC, JoinvilleSC, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2010.v18.8460

Palavras-chave:

Visão, Equilíbrio Músculo-esquelético, Postura

Resumo

Objetivo. O objetivo desta revisão de literatura foi levantar e discutir estudos sobre a contribuição visual para o controle postural, aspecto este, notoriamente necessário para o controle motor como um todo. Método. Foram revisados livros e artigos indexados nas bases de dados Scielo, Lilacs, PubMed Central, Medscape Neurology, publicados de 1987 a 2009, em inglês e português. Resultados. Revisaram-se os aspectos mais relevantes sobre a visão como um sistema sensorial especial; a sua relação com os sistemas somatossensorial e vestibular; os centros neurais integradores e as vias descendentes para o controle postural. Em seguida, foram abordados aspectos quanto à contribuição visual para o sistema de controle postural ao longo do desenvolvimento, pesquisas sobre o controle postural em cegos e em pacientes com distúrbios neurológicos. Conclusão. Embora a Teoria Ecológica proposta por James Gibson ainda considerada nova no campo da fisioterapia, os achados teóricos e de pesquisa poderão, com o tempo, avançar o suficiente para explicar como o sistema musculoesquelético é utilizado para restringir e organizar habilidades funcionais.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Shumway-Cook A, Woollacott MA. Controle motor: teoria e aplicações práticas. 2ª. ed. Barueri: Manole, 2003, p.610.

Lundy-Ekman L. Neurociência: fundamentos para a reabilitação. 3ª. ed. Rio De Janeiro: Elsevier, 2008, p.477.

Teixeira LA. Controle motor. Barueri: Manole, 2006, p.396.

Magill RA. Aprendizagem motora: conceitos e aplicações. 5ª. ed. São Paulo: Edgard Blücher, 2000, p.384.

Bankoff, ADP, Campelo TS, Ciol P, Zamai CA. Postura e equilíbrio corporal: um estudo das relações existentes. Movimento & Percepção 2006;6:55-70.

Cohen H. Neurociência para fisioterapeutas. 2ª. ed. Barueri: Manole, 2001, p.494.

Mochisuki L, Amadio AC. As informações sensoriais para o controle postural. Fisiot Movim 2006;19:11-8.

Wade MG, Jones G. The role of vision and spatial orientation in the maintenance of posture. Phys Ther 1997;77: 619-28.

Smith LK et al. Cinesiologia clínica de Brunnstrom. 5ª. ed. São Paulo: Manole, 1997, p.538.

Oie KS, Kiemel T, Jeka JJ. Multisensory fusion: simultaneous re-weighting of vision and touch for the control of human posture. Cogn Brain Res 2002;14:164-76.

Madeleine P, Prietzel H, Svarrer H, Arendt-Nielsen L. Quantitative posturography in altered sensory conditions: a way to asses balance instability in patients with chronic whiplash injury. Arch Phys Med Rehabil 2004;85:432-8.

Marchand AR, Amblard B. Early sensory determinants of locomotor speed in adults cats: i. visual compensation after bilabyrinthectomy in cats and kittens. Behav Brain Res 1990;37:215-25.

Zennou-Azogui Y, Xerri C, Leonard J, Tighilet B. Vestibular compensation: role of visual motion cues in the recovery of posturo-kinetic functions in the cat. Behav Brain Res 1996;74:65-77.

Rine RM, Schubert MC, Balkany TJ. Visual-vestibular habituation and balance training for motion sickness. Phys Ther 1999;79:949-57.

Kohler MC, Azevedo VFO, Soares AV. A influência da reabilitação vestibular em pacientes com vertigem posicional paroxística benigna. Fisiot Movim 2006;19:37-47.

Redfern MS, Yardley L, Bronstein AM. Visual influences on balance. J Anx Dis 2001;15:81-94.

Bear MF, Connors BW, Paradiso MA. Neuroscience – exploring the brain. 2ª. ed. Baltimore: Wiliams & Wilkins, 2001, p.855.

Cosenza, R.M. Fundamentos de neuroanatomia. 3ª. ed. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2005, p.147.

Johannsen L, Broetz D, Karnath HO. Leg orientation as a clinical sign for pusher syndrome. BMC Neurol 2006; 6:1-15.

Karnath HO, Ferber S, Dichgans J. The neural representation of postural control humans. PNAS 2000;97:13931-6.

Carvalho RL, Almeida GL, Aspectos sensoriais e cognitivos do controle postural. Rev Neurocienc 2009;17:156-60.

Pérennou DA, Leblond C, Amblard B, Micaleff JP, Hérisson C, Pélissier JY. Transcutaneous electric nerve stimulation reduces neglect-related postural instability after stroke. Arch Phys Med Rehabil 2001; 82:440-8.

Coelho DB. Modelo de ativação neural do controle postural humano durante postura ereta. Engevista 2005; 7:83-90.

Nowicky AV, McGregor AH, Davey NJ. Corticospinal control of human erector spinae muscles. Motor Control 2001;5:270-80.

Hadders-Algra M, Brogren E, Forssberg H. Training Affects the development of postural adjustments in sitting infants. J Physiol 1996;493:289-98.

Foudriat BA, Di’fabio RP, Anderson JH. Sensory organization of balance responses in children 3-6 years of age: a normative study with diagnostic implications. Int J Ped Otorhinolar 1993;27:255-71.

Schmid M, Conforto S, Lopez L, Renzi P, Dalessio T. The development of postural strategies in children: a factorial design study. J Neuroeng Rehabil 2005;2:1-11.

Bortolaia AP, Barela AMF, Barela JA. Controle postural em crianças portadoras de deficiência visual nas faixas etárias entre 3 e 11 anos. Motriz 2003;9:79-86.

Lee HKM, Scudds RJ. Comparison of balance in older people with and without visual impairment. Age and Ageing 2003;32:643-9.

Oliveira, E.M. Avaliação biomecânica do equilíbrio do idoso. Dissertação de mestrado em ciências do movimento humano. UDESC, 2006, p.141.

Vassalio M, Vignajara R, Sharma JC, Briggs R, Allen SC. Predictors for falls among hospital inpatients with impaired mobility. J R Soc Med 2004;97:266-9.

Laessoe U, Hoeck C, Simonsen O, Sinkjaer T, Voigt M. Fall risk in na active elderly population – can it be assessed? J Neg Res Biomed 2007;6:1-11.

Ribeiro ASB, Pereira JS. Melhora do equilíbrio e redução da possibili-dade de queda em idosas após os exercícios de Cawthorne e Cooksey. Rev Bras Otorrinol 2005;71:38-46.

Soares AV, Matos FM, Laus LH, Suzuki S. Estudo comparativo sobre propensão de quedas em idosos institucionalizados e não-institucionalizados através do nível de mobilidade funcional. Fisiot Bras 2003;4:12-6.

Resende SM, Rassi CM, Viana FP. Efeitos da hidroterapia na recuperação do equilíbrio e prevenção de quedas em idosas. Rev Bras Fisioter 2008;12:57-63.

Bruni BM, Granado FB, Prado RA. Avalição do equilíbrio postural em idosos praticantes de hidroterapia em grupo. Mundo Saúde SP 2008;32:56-63.

Navarro AS, Fukujima MM, Fontes SV, Matas SLA, Prado GF. Coordenação motora e equilíbrio não são totalmente desenvolvidos em crianças cegas com 7 anos de idade. Arq Neuropsiquiatr 2004;62:654-7.

Nakata H, Yabe K. Automatic postural response systems in individuals with congenital total blindness. Gait & Posture 2001;14:36-43.

Stones MJ, Kozma A. Balance and age in the sighted and blind. Arch Phys Med Rehabil 1987;68:85-9.

Aydog E, Aydog ST, Çakci A, Dora MN. Dynamic postural stability in blind athletes using the biodex stability system. Int J Sports Méd 2005;27:415-8.

Mumenthlaler M, Mattle H. Neurologia. 4ª. ed. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2007, p.1103.

Sanvito WL. Propedêutica neurológica básica. São Paulo: Atheneu, 2000, p.162.

Geiger RA, Allen JB, O’keffe J, Hicks RR. Balance and mobility following stroke: effects of physical therapy interventions with and without biofeedback/forceplate training. Phys Ther 2001;81:995-1005.

Marigold DS, Eng JJ. The relationship of asymmetric weigth-bearing with postural sway and visual reliance in stroke. Gait & Posture 2006;23:249-55.

Chagas EF, Tavares MCGCF. A simetria e transferência de peso do hemiplégico: relação dessa condição com o desempenho de suas atividades funcionais. Rev Fisioter USP 2001;8:40-50.

Verheyden G, Truijen LVS, Troch M, Nieuwboer A, Lafosse C, De Weerdt W. Trunk performance after stroke and the relationship with balance, gait and functional ability. Clin Rehabil 2006;20:451-8.

Tyson S, Desouza LH. Reliability and validity of functional balance tests post stroke. Clin Rehabil 2004;18:916 23.

Torriani C, Queiroz SS, Sakakura MT, Zicati M, Volpini AF, Trindade AA, et al. Estudo comparativo do equilíbrio de pacientes com disfunção cerebelar e com sequelas de acidente vascular encefálico. RBPS 2005;18:157-61.

Peres MS, Gonçalves CA. Equilíbrio de tronco em pessoas com lesão medular: como mensurar? Fisiot Brasil 2001;2:124-30.

Lanzetta D, Cattaneo D, Pellegatta D, Cardini R. Trunk control in unstable sitting posture during functional activities in healthy subjects and patients with multiple sclerosis. Arch Phys Med Rehabil 2004;85:279-83.

Suzuki S, Gugelmim MRG, Soares AV. O equilíbrio estático em crianças em idade escolar com transtorno de déficit de atenção/hiperatividade. Fisiot Movim 2005;18:49-54.

Soares AV, Lima WC, Borges Júnior NG. Controle de tronco: implicações na lombalgia. Arq Ciênc Saúde Unipar 2003;7:283-9.

Downloads

Publicado

2010-09-30

Como Citar

Soares, A. V. (2010). A contribuição visual para o controle postural. Revista Neurociências, 18(3), 370–379. https://doi.org/10.34024/rnc.2010.v18.8460

Edição

Seção

Revisão de Literatura

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)