Sintomas depressivos e funções neuropsicológicas em crianças com dificuldades de aprendizagem

  • Ricardo Franco de Lima Neuropsicólogo, Mestrando em Ciências Médicas – Área de Concentração: Saúde Mental – FCM/UNICAMP, Campinas-SP, Brasil.
  • Sylvia Maria Ciasca Neuropsicóloga, Livre Docente em Neurologia Infantil - FCM/UNICAMP, Campinas-SP, Brasil.
Palavras-chave: Neuropsicologia, Depressão, Transtornos de Aprendizagem

Resumo

Objetivo. O objetivo do estudo foi identificar as correlações entre os sintomas depressivos e as funções corticais em crianças com dificuldades de aprendizagem. Método. Participaram 33 estudantes, sendo 25 meninos e 8 meninas com idade média de 10,7 anos, encaminhados a um Ambulatório de Neurologia especializado em problemas de aprendizagem para avaliação multidisciplinar. Os participantes passaram por avaliação na qual foram aplicados os instrumentos: Escala de Inteligência Wechsler para crianças (WISC) e Inventário de Depressão para Crianças (CDI). Para a análise dos dados foram utilizadas estatística descritiva e inferencial (SPSS). Resultados. Três estudantes apresentaram sintomatologia depressiva. Foram encontradas correlações negativas (quanto maior a depressa, menor os scores no WISC) entre o CDI e os subtestes verbais do WISC: Semelhança, Vocabulário e Compreensão; entre o CDI e o Quociente de Inteligência (QI) Verbal, QI Total e Índice de Compreensão Verbal do WISC; entre o CDI e o teste de atenção sustentada visual do WISC: Procurar Símbolos e o Índice de Velocidade de Processamento. Conclusões. Observamos que a sintomatologia depressiva interferiu negativamente nas funções verbais e na atenção sustentada visual. O estudo demonstra a importância da investigação dos sintomas depressivos em crianças e principalmente naquelas que apresentam dificuldades de aprendizagem.

Métricas

Carregando métricas...

Referências

Bahls SC. Depressão, infância e adolescência: características clínicas. J Pediatr 2002;78:359-66.

Barbosa GA, Gaião AA. Apontamentos em psicopatologia infantil. João Pessoa: Idéia; 2001, 96p.

Bahls SC. Epidemiology of depressive symptoms in adolescents from a public school in Curitiba, PR. Rev Bras Psiquiatr 2002;24:63-7.

Curatolo M. Sintomatologia depressiva em escolares de sete a doze anos de idade. Arq. Neuro-Psiquiatr 2001; 59(supl 1):215.

Baptista CA, Golfeto JH. Prevalência de depressão em escolares de 7 a 14 anos. Rev Psiquiatr Clín 2000;27:253-5.

Cruvinel M, Boruchovitch E. Sintomas Depressivos, estratégias de aprendizagem e rendimento escolar de alunos do ensino fundamental. Psicol Estud 2004; 9:369-78.

Fleitlich-Bilyk B, Goodman R. Prevalence of child and adolescent psychiatric disorders in Southeast Brazil. J Am Acad Child Adolesc Psychiatry 2004;43:727-34.

Baptista, MN. Depressão e suporte familiar: perspectivas de adolescentes e suas mães (dissertação). Campinas: Pontifícia Universidade Católica, 1997, 134p.9.Bahls SC, Bahls FRC, Keller J, Sabbag A, Gusso AE, Assunção DC, et al. Levantamento de sintomas depressivos em crianças e adolescentes com hemofilia. J Bras Psiquiatr 2006;55:20-5.

Maag JW, Reid R. Depression among students with learning disabilities: assessing the risk. J Learn Disabil 2006;39:3-10.

Wright-Strawderman C, Watson BL. The prevalence of depressive symptoms in children with learning disabilities. J Learn Disabil 1992;25:258-64.

Baptista MN, Lima RF, Capovilla AGS, Melo LL. Sintomatologia depressiva, atenção sustentada e desempenho escolar em estudantes do ensino médio. Psicol Esc Educ 2006;10:99-108.

Barbosa AJG. Depressão na escola: um guia para educadores e profissionais da saúde. In: Baptista MN (org). Suicídio e depressão: atualizações. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2004, p.144-57.

Pérez MV, Urquijo S. Depresión en adolescentes: relaciones com el desempeño académico. Psicol Esc Educ 2001;5:49-58.

Bandim JM, Roazzi A, Sougey EB, Carvalho TFR. Habilidade mnemônica em crianças com sintomas depressivos: um estudo exploratório. Infanto 1998;6:119-23.

Figueiredo VLM. WISC-III: Escala de Inteligência Wechsler para crianças: manual. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2002, 323p.

Kovacs M. Children Depression Inventory CDI: Manual. New York: Ed. Multi-Health Systems, 1992, 92p.

Gouveia VV, Barbosa GA, Almeida HJF, Gaião AA. Inventário de depressão infantil - CDI: estudo de adaptação com escolares de João Pessoa. J Bras Psiquiatr 1995;44:345-9.

Lima RF, Mello RJL, Massoni I, Ciasca SM. Dificuldades de aprendizagem: queixas escolares e diagnósticos em um serviço de neurologia infantil. Rev Neurociênc 2006;14:185-90.

Lima RF, Mello RJL, Massoni I, Ciasca SM. Prevalência de antecedentes familiares e análise de queixas em crianças com dificuldades de aprendizagem. Tem Desenvol 2006;15:30-4.

Curatolo E, Brasil H. Depressão na infância: peculiaridades no diagnóstico e tratamento farmacológico. J Bras Psiquiatr 2005;54:170-6.

Versiani M, Reis R, Figueira I. Diagnóstico do transtorno depressivo na infância e adolescência. J Bras Psiquiatr 2000;49:367-82.

Fristad MA, Emery BL, Beck SJ. Use and abuse of the Children’s Depression Inventory. J Consul Clin Psychol 1997;65:699-702.

Bahls SC, Bahls FRC. Depressão na adolescência: características clínicas. Inter Psicol 2002; 6:49-57.

Sbrensen MJ, Nissen JB, Mors O, Thomsen PH. Age and gender differences in depressive symptomatology and comorbidity: an incident sample of psychiatrically admitted children. J Affect Disorders 2005;84:85–91.

Schraedley PK, Gotlib IH, Hayward C. Gender Differences in Correlates of Depressive Symptoms in Adolescents. J Adoles Health 1999;25:98-108.

Baptista MN, Lima RF, Capovilla AGS, Melo LL. Sintomatologia Depressiva, atenção sustentada e desempenho escolar em estudantes do ensino médio. Psicol Esc Educ 2006;10:99-108.

Ottowitz WE, Dougherty DD, Savage CR. The neural network basis for abnormalities of attention and executive function in major depression disorder: implications for application of the medical disease model to psychiatric disorders. Harv Rev Psychiatry 2002;10:86-99.

Publicado
2010-09-30
Como Citar
de Lima, R. F., & Ciasca, S. M. (2010). Sintomas depressivos e funções neuropsicológicas em crianças com dificuldades de aprendizagem. Revista Neurociências, 18(3), 314-319. https://doi.org/10.34024/rnc.2010.v18.8455
Seção
Artigos Originais