Literatura e Arte sobre o Cuidar em Neurologia

  • Marco Orsini Graduando e Interno de Medicina, Doutor em Neurologia - HUAP Serviço de Neurologia - UFF, Pesquisador do Hospital Geral de Nova Iguaçú - HGNI, Pesquisador do Programa de Mestrado em Ciências da Motricidade – Centro Universitário Augusto Motta, UNISUAM, Bonsucesso-RJ, Brasil;Graduando e Interno de Medicina, Doutor em Neurologia - HUAP Serviço de Neurologia - UFF, Pesquisador do Hospital Geral de Nova Iguaçú - HGNI, Pesquisador do Programa de Mestrado em Ciências da Motricidade – Centro Universitário Augusto Motta, UNISUAM, Bonsucesso-RJ, Brasil;
  • Carlos Henrique Melo Reis 2.Neurologista, Mestre, Professor do Hospital Geral da Posse – Nova Iguaçu-RJ, Brasil;
  • Acary Bulle Oliveira Neurologista, Doutor, Professor Afiliado do Departamento de Neurologia e Neurocirurgia da Universidade Federal de São Paulo, São Paulo-SP, Brasil;
  • Marco Antônio Araújo Leite Neurologista, Doutor, Professor Adjunto de Neurologia – Serviço de Neurologia – HUAP – UFF, Niterói-RJ, Brasil;
  • Antônio Catharino Neurologista, Mestre, Professor do Hospital Geral da Posse – Nova Iguaçu-RJ, Brasil;
  • Valéria Silveira Neurologista, Mestre, Professor do Hospital Geral da Posse – Nova Iguaçu-RJ, Brasil;
  • Marcos RG de Freitas Neurologista, Doutor, Professor Titular e Chefe do Serviço de Neurologia – HUAP- UFF, Niterói-RJ, Brasil;
  • Sara Lúcia Silveira de Menezes Fisioterapeuta, Programa de Mestrado em Ciências da Reabilitação, Centro Universitário Augusto Motta – UNISUAM, Bonsucesso-RJ, Brasil;
  • Clynton Lourenço Correa Fisioterapeuta, Doutor em Ciências Morfológicas – UFRJ, Professor Adjunto do Curso de Fisioterapia – UFRJ, Rio de Janeiro-RJ, Brasil;
  • Marco Trocoli Chieia Neurologista, Universidade Federal de São Paulo, UNIFESP, São Paulo-SP, Brasil;
  • Fábio Henrique Porto 11.Neurologista, Especialista em Neurologia Cognitiva – Universidade de São Paulo – USP, São Paulo-SP, Brasil;
  • Ronaldo Luiz Médico, Departamento de Clinica Médica – Unigranrio – Duque de Caxias-RJ, Brasil.
Palavras-chave: Neurologia, Assistência Centrada no Paciente, Humanismo

Resumo

As pessoas são diferentes, entretanto a dignidade é a mesma. A arte de cuidar assim como as verdadeiras obras-primas não muda nem en­velhece, pelo contrário, torna-se fortificada e incandescente diante da atual e asfixiada relação entre os personagens, médico-paciente. Obje­tivo. Promover, diante de relatos históricos, uma discussão provocati­va acerca da arte de cuidar em neurologia, que com o passar do tempo tornou-se turbilhonada e diluída diante de interesses vários e, princi­palmente da miséria nas relações humanas. Método. Revisão da lite­ratura com artigos das bases Medline, SciELO, Cochrane e Lilacs, de 1939-2011. Discussão. Acredita-se que as diretrizes curriculares para o ensino médico no Brasil devem estimular práticas que promovam um olhar e atitude mais humanizada, mais próximas das necessidades da população. Em se tratando da neurologia faz-se necessário que tais ações proporcionem, de igual modo, mudanças e a criação de um mo­delo relacionado à abordagem e atitudes frente aos pacientes. Conclu­são. Relatos históricos, expressados na arte e na pintura, enalteceram o cuidar médico. Em vista disso, estratégias que possibilitem melhoria do contato humano entre médico-paciente devem estimular a criação de um arcabouço alicerçado em espaços de comunicação permanentes e um completo entendimento sobre os problemas e fragilidade dos que padecem.

Métricas

Carregando métricas...

Referências

Tapajós R. Introducing the arts into medical curricula. Interface-Comunic, Saude, Educ 2002;6:27-36.

Moreno VJ. Locos, enanos, negros y niños palaciegos. Gentes de placer que tuvieron los Austrias en la corte española desde 1563 a 1700. México: Presencia; 1939, 146p.

Marshall PA, O’Keefe JP. Medical students’ first-person narratives of a patient’s story of AIDS. Soc Sci Med 1995; 40:67-76. http://dx.doi.org/10.1016/0277-9536(94)00128-G

Wilson HS. A case for humanities in professional nursing education. Nurs. Forum 1974;13:406-17. http://dx.doi.org/10.1111/j.1744-6198.1974.tb00077.x

Pires PR. Hélio Pellegrino: A paixão indignada. Rio de Janeiro. Relume-Dumará: Prefeitura 1998 (Perfis do Rio), 122p.

Silva LWS, Nazario NO, Silva DS. Arte na enfermagem: iniciando um diálogo reflexivo. Texto Contexto Enferm 2005;14:120-3.

Orsini M, De Freitas MRG, Carvalho LB. Frida Kahlo: a arte como desafio à deficiência e à dor, com enfoque na poliomielite anterior aguda. Rev Bras Neurol 2008;44:5-12.

Filho VPD, Sá FC. O cuidado na prática médica. O Mundo da Saúde 2009;33:189-94.

Schlesinger AM Jr. The Age of Roosevelt. 3 volumes: 1. The crisis of the old order, 1919-1933; 2. The coming of the New Deal; 3. The politics of upheaval. Boston: Houghton Mifflin Co., 1957-1960.

Goodfield J. Valor ante la adversidad. Salud Mundial 1995;48(1):24-5.

Garrido EM. Psicologia do Encontro. São Paulo: Duas Cidades, 1996, 78p.

Ramos-Cerqueira ATA. Era uma vez... contos de fadas e psicodrama auxiliando alunos na conclusão do curso médico. Interface (Botucatu). [online]. 2005;9(16):81-9.

Dantas MSA, Collet N, Moura FM, Torquato IMB. Impacto do diagnóstico de paralisia cerebral para a família. Texto Contexto Enferm 2010;19:229-37. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072010000200003

Budrys V. Neurological deficits in the life and works of Frida Kahlo. Eur Neurol 2006;55:4-10. http://dx.doi.org/10.1159/000091136

Cano de la Cuerda R, Collado-Vázquez S. Deficiencia, discapacidad, neurología y arte. Rev Neurol 2010;51:108-116.

Publicado
2012-03-31
Como Citar
Orsini, M., Reis, C. H. M., Oliveira, A. B., Leite, M. A. A., Catharino, A., Silveira, V., Freitas, M. R. de, Menezes, S. L. S. de, Correa, C. L., Chieia, M. T., Porto, F. H., & Luiz, R. (2012). Literatura e Arte sobre o Cuidar em Neurologia. Revista Neurociências, 20(1), 162-168. https://doi.org/10.34024/rnc.2012.v20.8315
Seção
Texto de Opinião