Atuação da Fisioterapia Aquática no Condicionamento Físico do Paciente com AVC

Autores

  • Fabio Jakaitis Fisioterapeuta, mestrando em Reabilitação do Equilíbrio Corporal e Inclusão Social, especialista, Hospital Israelita Albert Einstein São Paulo (SP), professor da Universidade Bandeirante de São Paulo, São Paulo-SP, Brasil.
  • Daniel Gonçalves dos Santos Fisioterapeuta, especialista, Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo-SP, Brasil.
  • Silvia Gusman Fisioterapeuta, especialista, Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo-SP, Brasil.
  • Simone Cristina Bifulco Fisioterapeuta, especialista, Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo-SP, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2012.v20.8274

Palavras-chave:

AVC, Hidroterapia, Condicionamento Físico Humano

Resumo

Introdução. Acidente vascular cerebral (AVC), segundo a OMS, é uma síndrome de desenvolvimento rápido, com sinais clínicos de distúrbio da função cerebral. Como consequencia, a maioria desses pacientes apresenta uma redução na capacidade aeróbia e força em relação a indivíduos saudáveis. A fisioterapia aquática com os seus efei­tos terapêuticos e, princípios físicos e fisiológicos favorecem o controle cardiorrespiratório visando o condicionamento físico nas atividades aeróbicas. Objetivo. Analisar a melhora do condicionamento físico em pacientes com AVC na fisioterapia aquática através dos instrumen­tos de mensurações: esforço e frequência cardíaca. Método. Foi reali­zada a avaliação do esforço (teste de Borg) e verificação da frequência cardíaca em 13 pacientes portadores de AVC que realizavam 2 terapias semanais de fisioterapia aquática no setor de hidroterapia do Hospital Israelita Albert Einstein de janeiro a dezembro de 2010. Os pacien­tes foram avaliados antes, durante e após a sessão de terapia aquática Resultados. Totalizaram 31 testes nos 13 pacientes no período de 12 meses de terapia, sendo observada uma melhora do esforço e frequên­cia cardíaca desses pacientes em 50%. Conclusão. Após 6 meses de atividade aeróbica, o esforço e frequência cardíaca dos pacientes foi favorecido. Para comprovações mais significantes, novos estudos serao necessarios com um grupo de paciente maior.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Wolfe CD. The impact of stroke. Br Med Bull 2000;56:275-86. http://dx.doi.org/10.1258/0007142001903120

Sistema de Informações sobre Mortalidade, Ministério da Saúde. Indicadores de Dados Básicos – Brasil 97. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 1999, citado em 2005. Disponível em http://www.datasus.com.br.

Moura RMF, Lima RCM, Lage DC, Amaral EA A - Efeitos do treinamento aeróbio na qualidade de vida e na capacidade funcional de indivíduos hemiparéticos crônicos Acta Fisiatr 2005;12(3):94-9.

Silva VDR, Sant’Ana JE, Vanderlei LCM, Carvalho AC. Análise do comportamento de parâmetros cardiovasculares durante a realização de exercícios físicos em hemiplégicos crônicos Arq Ciênc Saúde 2006;13(4):181-5.

Fukujima MM, Martinez TLR. Dislipidemia e acidente vascular cerebral isquêmico. Rev Soc Cardiol Estado de São Paulo 1999;9(4):529-36.

Lessa I. Epidemiologia das doenças cerebrovasculares no Brasil. Rev Soc Cardiol Estado de São Paulo 1999; 9(4):509-18.

Cramer SC. Editorial comment. Spasticity after stroke: what’sthe catch? Stroke 2004;35:139-40. http://dx.doi.org/10.1161/01.STR.0000105387.38892.98

Gordon NF, Gulanick M, Costa F, Fletcher G, Franklin BA, Roth JE, et al. Physical activity and exercise recommendations for stroke survivors; an American Heart Association scientific statement from the Council on Clinical Cardiology, Subcommittee on Exercise, Cardiac Rehabilitation, and Prevention; the Council on Cardiovascular Nursing; the Council on Nutrition, Physical Activity, and Metabolism; and the Stroke Council. Stroke 2004;35:1230-40. http://dx.doi.org/10.1161/01.STR.0000127303.19261.19

Dean CM, Shepherd RB. Task-related training improves performance of seated reaching tasks after stroke: A randomized controlled trial. Stroke 1997;28:722-8. http://dx.doi.org/10.1161/01.STR.28.4.722

Teixeira-Salmela LF, Oliveira ESG, Santana EGS, Resende GP. Fortalecimento muscular e condicionamento físico em hemiplégicos. Acta Fisiatr 2000;7:108-18.

Potempa K, Lopez M, Braun LT, Szidon JP, Fogg L, Tincknell T. Physicological outcomes of aerobic exercise training in hemiparetic stroke patients. Stroke 1995;26:101-5. http://dx.doi.org/10.1161/01.STR.26.1.101

Monga TN, Deforge DA, Williams J, Wolfe LA. Cardiovascular responses to acute exercise in patients with cerebrovascular accidents. Arch Phys Med Rehabil 1988;69:937-40.

Macko RF, Smith GV, Dobrovolny CL, Sorkin JD, Goldberg AP, Silver KH. Treadmill training improves fitness reserve in chronic stroke patients. Arch Phys Med Rehabil. 2001;82:879-84. http://dx.doi.org/10.1053/apmr.2001.23853

Radanovic M. Características do atendimento de pacientes com Acidente Vascular cerebral em hospital, secundário. Arq Neuropsiquiatr 2000;58:99-106. http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2000000100015

Kabuki MT, Sá TS. Os efeitos da hidroterapia na hipertensão arterial e frequência cardíaca em pacientes com AVC. Rev Neurocienc 2007;15:131-4.

Lewis RM. Tratado de Neurologia. 10º edição, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000, 460p.

Greenberg DA, Michael JA, Simon RP. Neurologia Clínica. 5º edição, São Paulo: Artmed, 2005, 170p.

Souza SEM. Tratamento das doenças neurológicas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000, 960p.

Ekman LL. Neurociência fundamentos para a reabilitação. 2º edição. Rio de Janeiro: 2004, 477p.20.Ruoti RG, Morris DM, Cole AJ. Reabilitação Aquática. São Paulo: Manole, 2000, 463p.

Michalsen A, Ludtke R, Buhring M, Spahn G, Langhorst J, Dobos GJ. Thermal hydrotherapy improves quality of life and hemodynamic function in patients with chronic heart failure; Essen and Berlin, German; American Heart Journal 2003;146;6. http://dx.doi.org/10.1016/S0002-8703(03)00314-4

Rowell LB, Brengelmann GL, Blackmon JR, Murray JA. Redistribution of blood flow during sustained high skin temperature in resting man. J Appl Physiol 1970;28:415-20.

Chuwa T, Yutaka H, Jong-Chun P, Jin-Won J, Kyoung-Sig C, Yoshihumi T, et al. Acute hemodynamic improvement by thermal vasodilation in congestive heart failure. Circulation 1995;91:2582-90.

Kihara T, Biro S, Imamura M, Yoshifuku S, Takasaki K, Ikeda Y, et al. Repeated sauna treatment improvesvascular endothelial and cardiac function in patients with chronic heart failure. J Am Coll Cardiol 2002; 39:754-9. http://dx.doi.org/10.1016/S0735-1097(01)01824-1

Imamura M, Birô S, Kihara T, Yoshifuku S, Takasaki K, Otsuji Y, et al. Repeated thermal therapy improves impaired vascular endothelial function in patients with coronary risk factors. J Am Coll Cardiol 2001;38:1083-8. http://dx.doi.org/10.1016/S0735-1097(01)01467-X

Jakaitis F. Reabilitação e Terapia aquática – Aspectos Clínicos e Práticos de Tratamento, São Paulo: editora Roca, 2007, 320p.

Caromano F. A.: Candeloro, J. M. Fundamentos da Hidroterapia para Idosos. Arq Ciênc Saúde Unipar 2001; 5:187-95.

Borg GAV. Psychophysical bases of perceived exertion. Med Sci Sports Exerc 1982;14:377-81. http://dx.doi.org/10.1249/00005768-198205000-00012

Scott,K. Powers & Edward, T Fisiologia do Exercício. Editora: Manole, 2000, 527p.

Nishime EO, Cole CR, Blackstone EH, Pashkow F, Lauer MS. Heart rate recovery and treadmill exercise score as predictors of mortality in patients referred for exercise ECG. JAMA 2000;284:1392-198. http://dx.doi.org/10.1001/jama.284.11.1392

Downloads

Publicado

2012-03-31

Como Citar

Jakaitis, F., Santos, D. G. dos, Gusman, S., & Bifulco, S. C. (2012). Atuação da Fisioterapia Aquática no Condicionamento Físico do Paciente com AVC. Revista Neurociências, 20(2), 204–209. https://doi.org/10.34024/rnc.2012.v20.8274

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)