Influência da Hidroterapia nas Variáveis Cardiorrespiratórias na Gestação

  • Nayara Neves de Alcântara Acadêmica do Curso de Fisioterapia da UFVJM, Diamantina-MG, Brasil
  • Samuel Henrique Oliveira Jardim Acadêmico do Curso de Fisioterapia da UFVJM, Diamantina-MG, Brasil.
  • Débora Fernandes de Melo Vitorino Fisioterapeuta, Doutora em Ciências da Saúde pela UNIFESP. Docente do Curso de Fisioterapia da UFVJM, Diamantina-MG, Brasil.
  • Vanessa Pereira de Lima Fisioterapeuta, Mestre em Ciências da Saúde pela UNIFESP, Docente do Curso de Fisioterapia da UFVJM, Diamantina-MG, Brasil.
Palavras-chave: Gestação, Hidroterapia, Espirometria

Resumo

Objetivo. Verificar a influência da hidroterapia nas variáveis cardior­respiratórias na gestação. Método. Foi realizado estudo experimental, com uma amostra composta por seis gestantes, com idades gestacio­nais entre a 22ª e a 29ª semana, idade cronológica 18 e 35 anos, em atendimento pré-natal. Foram excluídas da pesquisa praticantes de atividade física, gestantes em uso de medicamentos que pudessem in­terferir nas variáveis cardiovasculares e respiratórias e pacientes que apresentassem infecções cutâneas e gestações de risco. As participantes foram submetidas à avaliação fisioterapêutica, incluindo a mensura­ção das variáveis cardiorrespiratórias. Após a intervenção, realizou-se a reavaliação. O programa foi realizado com frequência de duas vezes por semana e duração de cinquenta minutos, durante três semanas, totalizando seis sessões, compreendendo cinco fases: alongamento, aquecimento, resistência, exercícios localizados e relaxamento. Resul­tados. Nas variáveis respiratórias, não encontramos alterações signifi­cativas nos valores de CVF, VEF1, PEmáx e FR. O PFE diminuiu de 333,33 mmHg para 295,16 mmHg em média (p<0,009), e a PImáx aumentou de 84,17 mmHg para 113,3 mmHg em média (p<0,012). Não houve diferença significativa nas variáveis cardíacas (PA e FC). Conclusão. Os resultados deste estudo sugerem que a hidroterapia pode aumentar a força muscular respiratória em gestantes e que o PFE sofre um declínio neste grupo.

Métricas

Carregando métricas...

Referências

Kisner C, Colby LA. Exercícios terapêuticos: fundamentos e técnicas. 4.ed. Barueri: Manole, 2005, 841p.

Lemos A, Caminha MA, Melo Jr. EF, Andrade AD. Respiratory muscle force assessment in the final three months of pregnancy. Rev Bras Fisioter 2005;9(2):151-156.

Souza, EB. Fisioterapia aplicada à obstetrícia, uroginecologia e aspectos de mastologia. 4.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007, 579p.

Almeida LGD, Constâncio JF, Santos CVS, Silva TG, Raposo MT. Análise comparativa das PE e PI máximas entre mulheres grávidas e não-grávidas e entre grávidas de diferentes períodos gestacionais. Rev Saúde 2005;1:9-17.

Finkelstein I, Bgeginski R, Tartaruga MP, Alberton CL, Kruel LMF. Comportamento da frequência cardíaca e da pressão arterial, ao longo da gestação, com treinamento no meio líquido. Rev Bras Med Esporte 2006;12(5):376-9. http://dx.doi.org/10.1590/S1517-86922006000600015

Machado AV, Melo VH, Neto RMN. Monitorização ambulatorial da pressão arterial em gestantes normotensas: estudo longitudinal da pressão arterial e dafrequência cardíaca materna nos três trimestres da gestação. Rev Bras Ginecol Obstet 2003;25:163-7. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-72032003000300004

Finkelstein I, Alberton CL, Figueiredo PAP, Garcia DR, Tartaruga LAP, Kruel LMF. Comportamento da frequência cardíaca, pressão arterial e peso hidrostático de gestantes em diferentes profundidades de imersão. Rev Bras Ginecol Obstet 2004; 26(9):685-90.

Lamezon AC, Patriota ALVF. Eficácia da fisioterapia aquática aplicada a gestantes para prevenção e tratamento da lombalgia – revisão sistemática. Terra e Cultura 2005;41:127-30.

Prevedel TTS, Calderon IMP, De Conti MH, Consonni EB, Rudge MVC. Repercussões maternas e perinatais da hidroterapia na gravidez. Rev Bras Ginecol Obstet 2003;25:53-9. http://dx.doi.org/10.1590/S010072032003000100008

Carregaro RL, Toledo AM. Efeitos fisiológicos e evidências científicas da eficácia da fisioterapia aquática. Rev Movimenta 2008;1:23-7.

Artal R, O’Toole M, White S. Guidelines of the American College of Obstetricians and Gynecologists for exercise during pregnancy and the postpartum period. Br J Sports Med 2003;37:6‑12.

Accioly E, Saunders C, Lacerda EMA. Nutrição em Obstetrícia e Pediatria. Rio de Janeiro: Cultura Médica, 2003, 540p.

Neppelenbroek GA, Mauad-Filho F, Cunha SP, Duarte G, Costa AG, Spara P, et al. Investigação do fluxo expiratório máximo em gestantes saudáveis. Rev Bras Ginecol Obstet. 2005;27(1):37-43.

Redivo MB. Avaliação da função pulmonar em gestantes no período gestacional entre a 28 a 36 semanas. Tubarão: Universidade do Sul de Santa Catarina, 2007, 33p.

Kurabayashi H, Machida IH, Akida T, Kubota K. Comparison of three protocols for breathing exercises during immersion in 38ºC water for chronic obstructive pulmonary disease. Cme Article 1998;77(2):145-8.

Ide MR, Belini MAV, Caromano FA. Effects of an aquatic versus non-aquatic respiratory exercise program on the respiratory muscle strength in healthy aged persons. Clinics 2005;60:151-8. http://dx.doi.org/10.1590/S180759322005000200012

Becker BE, Cole AJ. Terapia aquática moderna. São Paulo: Manole, 2000, 188p.

Cole AJ, Ruoti RG, Morris DM. Reabilitação aquática. São Paulo: Manole, 2000, 463p.

Caromano FA, Candeloro JM. Fundamentos de hidroterapia para idosos. Arq Ciênc Saúde Unipar 2001; 5(2):187-95.

Ramos FAB, Ordonho MC, Pinto TCVR, Lima CA, Vasconcelos CR, Silva DAL. Avaliação da força muscular respiratória e do peak flow em pacientes com distrofia muscular do tipo Duchenne submetidos à ventilação não invasiva e à hidroterapia. Pulmão RJ 2008;17(2-4):81-6.

Polden M, Mantle J. Fisioterapia em ginecologia e obstetrícia. 2.ed. São Paulo: Santos, 2000, 442p.

Sociedade Brasileira de Hipertensão. Sociedade Brasileira de Cardiologia. Sociedade Brasileira de Nefrologia. IV Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial. Campos do Jordão: 2002, p.40.

Silva GJJ, Brum PC, Negrão CE, Krieger EM. Acute and chronic effects of exercise on baroreflexes in spontaneously hypertensive rats. Hypertension, Dallas 1997;30:714-9.

Publicado
2012-09-30
Como Citar
Alcântara, N. N. de, Jardim, S. H. O., Vitorino, D. F. de M., & Lima, V. P. de. (2012). Influência da Hidroterapia nas Variáveis Cardiorrespiratórias na Gestação. Revista Neurociências, 20(3), 372-378. https://doi.org/10.34024/rnc.2012.v20.8249
Seção
Artigos Originais