Fisioterapia Aquática na Transferência do Sentado para Ortostatismo no Paciente com AVC:

Relato de Caso

Autores

  • Paula Nascimento Lima Fisioterapeuta, Especialista em Fisioterapia Neurológica pela UNESP, Fisioterapeuta do setor de Fisioterapia aquática, responsável pela clínica de Lesão Medular da AACD Central São Paulo-SP, Brasil.
  • Camila Mottineli de Souza Fisioterapeuta, Especialista em Fisioterapia Motora Hospitalar e Ambulatorial em Neurologia pela UNIFESP/EPM, São Paulo-SP, Brasil.
  • Sonia da Silva Andrade Fisioterapeuta, Especialista em Fisioterapia Aquática UNICID, São Paulo- -SP, Brasil.
  • Fábio Navarro Cyrillo Fisioterapeuta, Mestre em Fisioterapia e Docente da UNICID. São Paulo- -SP, Brasil.
  • Douglas Martins Braga Fisioterapeuta, Especialista em hidroterapia na reabilitação de doenças neuromusculares UNIFESP-EPM, fisioterapeuta do setor de Fisioterapia aquática da AACD responsável pelas clínicas de poliomielite e doenças neuromusculares, fisioterapeuta do ambulatório de doenças desmielinizantes da UNIFESP, São Paulo-SP, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2013.v21.8193

Palavras-chave:

Hidroterapia, Hemiparesia, Acidente Vascular Cerebral

Resumo

Introdução. Estudos demonstram que 70% do peso corporal nos pacientes com AVC durante a transferência do sentado para ortos­tatismo são transferidos para o membro não acometido, interferindo significativamente nas atividades de vida diária. Objetivo. Investigar a influência da fisioterapia aquática na transferência de peso no he­micorpo acometido durante a passagem do sentado para ortostatis­mo. Método. Participou deste estudo um paciente com hemiparesia à direita. O protocolo teve duração de 8 sessões no meio líquido e os dados de ativação muscular de glúteo máximo e de transferência de peso foram coletados através do eletromiógrafo de superfície e da plataforma de baropodometria, respectivamente. Resultados. Eletro­miografia Inicial (151,1 uv glúteo máximo direito e 229,1 uv glúteo máximo esquerdo) e Eletromiografia Final (113,6 uv glúteo máximo direito e 113,3 uv glúteo máximo esquerdo). Apresentou evolução de 19% na transferência de peso no hemicorpo parético se comparados os valores pré e pós intervenção. Conclusão. Os resultados demons­traram que o tratamento foi favorável para o paciente, pois, no final da aplicação do protocolo, observou-se a ativação do glúteo máximo e a melhora da descarga de peso; sendo assim, esses fatores interferiram positivamente quanto à segurança e à independência na transferência de sentado para ortostatismo.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Ceccato RB. Aspectos clínicos: lesão encefálica adquirida. In: Moura EW, Lima E, Borges D, Silva PAC (eds). Fisioterapia: aspectos clínicos e práticos da reabilitação. 2rd ed. São Paulo: Artes Médicas, 2010, p.237-393.

Correa F, Soares F, Andrade DV, Gondo RM, Peres JA, Fernandes AO, Correa JCF. Atividade muscular durante a marcha após acidente vascular cerebral. Arq Neuro-Psiquiatr 2005;63(3-B):847-51. http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2005000500024

Magri M, Silva NS, Nielsen MBP. Influência da inervação recíproca na recuperação da função motora de paciente hemiplégico por acidente vascular cerebral. Fisioter Bras 2003;4(3):223-6.4.Gamble JG, Rose J. Marcha Humana. Baltimore: Premier, 1998, 345p.

Schuster RC, Zadra K, Luciano M, Polese JC, Mazzola D, Sander I, et al. Análise da pressão plantar em pacientes com Acidente Vascular Encefálico. Rev Neurocienc 2008;16(3):179-83.

Burkhardt R, Escobar MO. Natação para portadores de deficiências. 8 rd ed. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico SA, 1985, 250p.

Hurley R, Turner C. Neurology and aquatic therapy. Clin Man 1991;11:26-9. 8.Silva MCR, Oliveira RJ, Conceição, MIG. Efeitos da natação sobre a independência funcional de pacientes com lesão medular. Rev Bras Med Esporte 2005;11(4):251-5. http://dx.doi.org/10.1590/S1517-86922005000400010

Tsutsumi O, Cruz V S, Chiarello B, Junior D B, Alouche S R. Os Benefícios da Natação Adaptada em Indivíduos com Lesões Neurológicas. Rev Neurol 2004;12(2):83-6.

Silva CB, Neves RCM, Oliveira CB. Avaliação Neurológica: Considerações importantes e recursos de avaliação. In: Moura EW, Lima E, Borges D, Silva PAC (eds). Fisioterapia: aspectos clínicos e práticos da reabilitação. 2rd ed. São Paulo: Artes Médicas, 2010, p.280-1.

Kendall FP, McCreary EK, Provance PG. Muscles: Testing and Function.4rded. Baltimore: Williams & Wilkins, 1993, p.270.

Bohannon RW, Smith MB. Interraterreliability of a modified Ashworth scale ofmusclespasticity. Phys Ther 1987;67:206-7.

Leal VMC, Andrade SS. Fisioterapia aquática funcional em pacientes adultos com lesão encefálica adquirida. in: Silva J, Branco F. Fisioterapia aquática funcional. São Paulo: Artes Médicas; 2011.p.127-46.

SENIAM: European concerted action in the Biomedical Health and Research Program (BIOMED II) of the European Union.(última Atualização 11/2012; citado12/2012). Disponível em: http://www.seniam.org/índex.htm.

Leal VMC, Andrade SS. Fisioterapia aquática funcional em pacientes adultos com lesão encefálica adquirida. in: Silva J, Branco F. Fisioterapia aquática funcional. São Paulo: Artes Médicas; 2011, p.127-46.

Sakamoto ACL, Teixeira SLF, Rodrigues de Paula F, Guimarães CQ, Faria CDCM. Ativação do glúteo máximo e semitendinoso durante exercícios de extensão do quadril em prono.Rev bras fisioter 2009;13(4):335-42.

Prudente CN. Padrão de coordenação neuromuscular dos membros inferiores de hemiparéticos crônicos durante o movimento de sentado para de pé (tese). Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2007,77p.

Bozar R, Duarte E, Belmonte R, Marco E, Munies JM, Tejero M, et al. Estudio baropodométrico en el hemipléjico vascular: relación con la discapacidad, equilibrio y capacidad de marcha. Rehabilitación (Madr) 2007;41(1):3-9. http://dx.doi.org/10.1016/S0048-7120(07)75350-1

Schuster RC, Zadra K, Luciano M, Polese JC, MazzolaD, Sander I, Pimentel GL. Análise da pressão plantar em pacientes com Acidente Vascular Encefálico. Rev Neurocienc 2008;16(3):179-83.

Corrêa FI, Soares F, Andrade DV, Gondo RM, Peres JA, Fernandes AO, Corrêa JCF. Atividade muscular durante a marcha após acidente vascular encefálico. Arq Neuro-Psiquiatr 2005;63(3-B):847-51. http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2005000500024

Alfieri FM, Teodori RM, Guirro RRJ. Estudo baropodométrico em idosos submetidos à intervenção fisioterapêutica. Fisioter Mov 2006;19(2):67-74.

Downloads

Publicado

2013-06-30

Como Citar

Lima, P. N., de Souza, C. M., Andrade, S. da S., Cyrillo, F. N., & Braga, D. M. (2013). Fisioterapia Aquática na Transferência do Sentado para Ortostatismo no Paciente com AVC:: Relato de Caso. Revista Neurociências, 21(2), 251–257. https://doi.org/10.34024/rnc.2013.v21.8193

Edição

Seção

Relato de Caso

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)