Qualidade do Sono e Sonolência Diurna Entre Estudantes Universitários de Diferentes Áreas

  • Thays Maria da Conceição Silva Carvalho Acadêmico do curso de Licenciatura Plena em Ciências Biológicas, Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE, Recife-PE, Brasil.
  • Ivanildo Inácio da Silva Junior Acadêmico do curso de Licenciatura Plena em Ciências Biológicas, Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE, Recife-PE, Brasil.
  • Pedro Paulo Simões de Siqueira Fisioterapeuta, Estúdio Corpore Pilates, Recife-PE, Brasil.
  • Jarly de Oliveira Almeida Fisioterapeuta, Aluno de mestrado do Departamento de Fisioterapia da Universidade Federal de Pernambuco - UFPE, Recife-PE, Brasil.
  • Anísio Francisco Soares Fisioterapeuta, Doutor, Professor adjunto do Departamento de Morfologia e Fisiologia Animal da Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE, Recife-PE, Brasil.
  • Anna Myrna Jaguaribe de Lima Fisioterapeuta, Doutor, Professor adjunto do Departamento de Morfologia e Fisiologia Animal da Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE, Recife-PE, Brasil.
Palavras-chave: Transtornos do Sono, Estudantes, Qualidade do Sono

Resumo

Introdução. O sono é um processo fisiológico natural, que exerce um importante papel na restauração de energia, na concentração, na con­solidação da memória e nos processos de aprendizagem. O presente estudo teve por objetivo comparar a qualidade do sono e sonolência diurna dos estudantes universitários de duas áreas do conhecimento, área de exatas e saúde. Método. A amostra foi composta por 173 es­tudantes universitários. Para a coleta dos dados foram utilizados dois questionários autoaplicáveis, o Índice de Qualidade do Sono de Pitts­burgh (PSQI) e a Escala de Sonolência de Epworth (ESE). Para análise estatística, utilizou-se o teste qui-quadrado e o teste t Student para amostras independentes, sendo considerado como nível de significân­cia estatística um p<0,05. Resultados. Verificou-se que tanto os estu­dantes de saúde como os estudantes de exatas apresentaram, em sua maioria, uma má qualidade do sono, no entanto, a comparação entre a qualidade do sono dos estudantes não apresentou significância. Con­clusão. Desta forma, os escores elevados de má qualidade do sono e de sonolência diurna excessiva presentes na população estudada, podem estar relacionados não somente aos horários irregulares e às altas de­mandas acadêmicas, como também, ao uso do computador no horário noturno, adentrando a madrugada, em atividades não relacionadas à Universidade, como redes sociais e jogos eletrônicos.

Métricas

Carregando métricas...

Referências

Souza JC, Guimarães LAM. Insônia e qualidade de vida. Campo Grande- S:Universidade Católica Dom Bosco; 1999, 194p.

Fernandes RMF. O Sono Normal. Medicina (Ribeirão Preto) 2006;39(2):157-68.

Trindade-Filho EM, Carvalho LNA, Gomes EO. Estudo da Qualidade do Sono na População Adulta em Maceió. Neurobiologia. 2010;73(1):93-7.

Mesquita G, Reimão R. Quality of sleep among university students. Arq Neuropsiquiatr 2010;68(5):720-5. http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2010000500009

Souza JC, Souza N, Arashiro ESH, Schaedler R. Sonolência diurna excessiva em pré-vestibulandos. J Bras Psiquiatr 2007;56:184-7. http://dx.doi.org/10.1590/S0047-20852007000300005

Verri FR, Garcia AR, Zuim PRJ, Almeida EO, Falcón-Antenucci RM, Shibayama R. Avaliação da qualidade do sono em grupos com diferentes níveis de desordem temporomandibular. Pesq Bras Odontoped Clin Integr 2008;8(2):165-9. http://dx.doi.org/10.4034/1519.0501.2008.0082.0006

Allen Gomes A, Tavares J, Pinto de Azevedo MH. Padrões de Sono em estudantes universitários portugueses. Acta Med Port 2009;22:545-52.

Cultura Organizacional, Estresse Ocupacional e queixas de sono. Um estudo com funcionários do Instituto de Pesquisas do vale do Paraíba. http://mtcm18.sid.inpe.br/col/sid.inpe.br/mtcm18@80/2009/05.27.11.52/doc/publicacao. pdf. (última atualização: 03/2009; citado em: 06/2013). Disponível em:<http://urlib.net/sid.inpe.br/mtcm18@80/2009/05.27.11.52>

Alessi A, Alessi CR, Piana ER, Assis A, Oliveira LR, Cunha CLP. Influência da qualidade do sono na queda noturna da pressão arterial durante monitorização ambulatorial da pressão arterial. Arq Bras Cardiol 2002;78(2):212-7.

Crispim CA, Zalcman I, Dátillo M, Padilha EG, Tufik S, Mello MT. Relação entre sono e obesidade: uma revisão da Literatura. Arq Bras Endocrinol Metab 2007;51-7:1041-49.

Almondes KM, Araújo JF. Padrão do ciclo sono vigília e sua relação com a ansiedade em estudantes universitários. Estud Psicol (Natal) 2003;8(1):37-43. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-294X2003000100005

Preišegolavičiūtė E, Leskauskas D, Adomaitienė V. Associations of quality of sleep with lifestyle factors and profile of studies among Lithuanian students. Medicina (Kaunas) 2010;46(7):482-9.

Henriques APFCM. Caracterização do sono dos Estudantes Universitários do Instituto Superior Técnico. [Dissertação]. Lisboa: Universidade de Lisboa, 2008, 107p.

Cardoso HC, Bueno FCC, Mata JC, Alves APR, Jochims I, Filho IHRV, Hanna MM. Avaliação da Qualidade do sono em estudantes de Medicina. Rev Bras Educ Méd 2009;33(3):340-55. http://dx.doi.org/10.1590/S010055022009000300005

Danda GJN, Ferreira GR, Azenha M, Souza KFR, Bastos O. Padrão do ciclo sono vigília e sonolência excessiva diurna em estudantes de medicina. J Bras Psiquiatr 2005;54(2):102-6.

Furlani R, Ceolim MF. Padrões de sono de estudantes ingressantes na Graduação em Enfermagem. Rev Bras Enferm 2005;58(3):320-4. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672005000300013

Souza JC, Magna LA, Paula TH. Sonolência excessiva diurna e uso de hipnóticos em idosos. J Bras Psiquiatr 2003;30(3):80-5.

Publicado
2013-09-30
Como Citar
Carvalho, T. M. da C. S., Silva Junior, I. I. da, Siqueira, P. P. S. de, Almeida, J. de O., Soares, A. F., & Lima, A. M. J. de. (2013). Qualidade do Sono e Sonolência Diurna Entre Estudantes Universitários de Diferentes Áreas. Revista Neurociências, 21(3), 383-387. https://doi.org/10.34024/rnc.2013.v21.8161
Seção
Artigos Originais