Benefícios da Terapia Neuromotora Intensiva (TNMI) para o Controle do Tronco de Crianças com Paralisia Cerebral

Autores

  • Eduardo Borba Neves Fisioterapeuta, Doutor em Engenharia Biomédica. Professor do Programa de Pós-graduação em Engenharia Biomédica da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Curitiba-PR, Brasil.
  • Eddy Krueger Fisioterapeuta, Doutorando em Engenharia Biomédica pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Curitiba-PR, Brasil. Bolsista CNPq.
  • Stéphani de Pol Acadêmica do curso de Fisioterapia do Centro Universitário Campos de Andrade, Curitiba-PR, Brasil.
  • Michelle Cristine Neiro de Oliveira Fisioterapeuta do Centro de Pesquisas Vitória, Centro Universitário Campos de Andrade, Curitiba-PR, Brasil.
  • Armando Fábio Szinke Fisioterapeuta do Centro de Pesquisas Vitória, Centro Universitário Campos de Andrade, Curitiba-PR, Brasil.
  • Marcelo de Oliveira Rosário Fisioterapeuta, Especialista em Neurologia, Docente do Centro Universitário Campos de Andrade, Curitiba-PR, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2013.v21.8141

Palavras-chave:

Paralisia Cerebral, Reabilitação, Terapia Intensiva, Fisioterapia

Resumo

 

Estudos científicos ainda questionam se a fisioterapia intensiva asso­ciada ao uso da roupa com elásticos (suit-órteses dinâmicas) produzem ou não desfechos benéficos para indivíduos com déficits neurológi­cos. Objetivo. Determinar os ganhos na função motora de tronco de crianças com diagnóstico de paralisia cerebral submetidas à cinco semanas de Terapia Neuromotora Intensiva (TNMI) com uso do traje do PediaSuit. Trata-se de um estudo observacional longitudinal de caráter quantitativo. Resultados. Foram avaliadas 22 crianças de 03 a 08 anos de idade, com déficitsneuromotores relacionados a parali­sia cerebral. Foram utilizados dois instrumentos de medida: A esca­la GMFM 88 e um sistema de eletrogoniometriawi-fi (com sensores sem fio) denominado Biofeed® (Biosmart®). Os resultados do GMFM mostraram diferença estatística (p<0,05) para as dimensões A, Be To­tal (média das dimensões avaliadas) entre os escores Pré e Pós TNMI. No mesmo sentido, a eletrogoniometriawi-fi apontou redução média (Pós - Pré) de 7,70’’ e 5,73’’ para o tempo de oscilação do tronco fora dos 4º e 10º, respectivamente, e ambos com p<0,05. Conclusão. Conclui-se que a TNMI associada ao uso do suit (órtese dinâmica) pode promover melhoras significativas no controle de tronco de crian­ças com diagnóstico de paralisia cerebral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Gioda FR, Ribeiro CM. Aquisição e refinamento do Sentar independente: Um estudo transversal. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum 2006;8(4):91-8.

Martinez CMS, Joaquim RHVT, Oliveira EB, Santos IC. Suporte informacional como elemento para orientação de pais de pré-termo: um guia para o serviço de acompanhamento do desenvolvimento no primeiro ano de vida. Rev Bras Fisioter 2007;11(1):73-81. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-35552007000100012

Fonseca LA, Rodrigues AG. Estudo comparativo do desenvolvimento neuropsicomotor em crianças não portadoras do vírus HIV cujas mães tomaram AZT e filhos de mães não portadoras do vírus HIV [Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação em Fisioterapia]. Belém-PA: Universidade da Amazônia; 2007, 59p.

Santos S, Dantas L, Oliveira JA. Desenvolvimento motor de crianças, de idosos e de pessoas com transtornos da coordenação. Rev Paul Educ Fís 2004;18:33-44.

Umphred D. Reabilitação neurológica: Elsevier Editora Ltda.; 2011, 876p. 6.Rosenbaum P, Paneth N, Leviton A, Goldstein M, Bax M, Damiano D, et al. A report: the definition and classification of cerebral palsy April 2006. DevMed Child Neurol Suppl 2007;109:8-14.

Neves EB, Scheeren EM, Chiarello CR, Costin ACMS, Mascarenhas LPG. O PediaSuit™ na reabilitação da diplegia espástica: um estudo de caso. Lecturas, Educación Física y Deportes (Buenos Aires) 2012;166:1-9.

Frange CMP, Silva TOT, Filgueiras S. Revisão Sistemática do Programa Intensivo de Fisioterapia Utilizando a Vestimenta com Cordas Elásticas. Rev Neurocienc 2012;20(4):517-26.

Scheeren EM, Mascarenhas LPG, Chiarello CR, Costin ACMS, Oliveira L, Neves EB. Description of the Pediasuit ProtocolTM. Fisioter Mov 2012;25(3):473-80. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-51502012000300002

Forti-Bellani CD, Castilho-Weinert LV. Desenvolvimento Motor Típico, Desenvolvimento Motor Atípico e Correlações na Paralisia Cerebral. In: Castilho-Weinert LV, Forti-Bellani CD, editors. Fisioterapia em Neurologia. Curitiba-PR: Omnipax; 2011, p.350.

Torriani C, Queiroz SS, Cyrillo FN, Monteiro CBM, Fernandes S, Padoan B, et al. Correlação entre transferência de peso sentado e alteração sensorial em região glútea em pacientes hemiplégicos/paréticos. Rev Neurocienc 2005;13(3):117-21.

Russell DJ, Rosenbaum PL, Avery LM, Lane M. Gross motor function measure (GMFM-66 & GMFM-88) user’s manual: Mac keith press London; 2002, 120p.

Alves RCA, Santos FCLd, Oliveira BT, Margi CB. Sistema de Monitoramento de Amplitude de Movimento Baseado em Redes de Sensores sem Fio Aplicado à Fisioterapia. VIII Simpósio Brasileiro de Sistemas de Informação; São Paulo-SP: Anais do VIII Simpósio Brasileiro de Sistemas de Informação; 2012; p.504-515.

Cortés A, Chodur A, Gallon D, Ribas D, Machado J, Melo T, et al. Effects of biofeedback shoulder abdution in elderly with parkinsonism: a case study. Rev Neurocienc 2010;18(2):189-93.

Neves EB. Trends in Neuropediatric Physical Therapy. FrontPublic Health 2013;1:1-2.

Gagey PM, Weber B, Cunha HM, Ikeda M. Posturologia: regulação e distúrbios da posição ortostática: Manole; 2000, 161p.

Moffat M, Bohmert JA, Hulme JB. Fisioterapia do Sistema Neuromuscular: melhores práticas /Série Physio 1ed: Guanabara Koogan; 2010, 325p.

Alagesan J, Shetty A. Effect of Modified Suit Therapy in Spastic Diplegic Cerebral Palsy-A Single Blinded Randomized Controlled Trial. Online J Health Allied Scs 2011;9:1-3.

Campos D, Santos DCC. Controle postural e motricidade apendicular nos primeiros anos de vida. Fisioter Mov 2005;18(3):71-7.

Bailes AF, Greve K, Schmitt LC. Changes in two children with cerebral palsy after intensive suit therapy: a case report. Ped Phys Ther 2010;22(1):76-85. http://dx.doi.org/10.1097/PEP.0b013e3181cbf224

Bailes AF, Greve K, Burch CK, Reder R, Lin L, Huth MM. The effect of suit wear during an intensive therapy program in children with cerebral palsy. Ped Phys Ther 2011;23(2):136. http://dx.doi.org/10.1097/PEP.0b013e318218ef58

Jezernik S, Wassink RGV, Keller T. Sliding mode closed-loop control of FES: controlling the shank movement. IEEE Trans Biomed Eng 2004;51(2):263-72. http://dx.doi.org/10.1109/TBME.2003.820393

Gollee H, Hunt KJ, Wood DE. New results in feedback control of unsupported standing in paraplegia. IEEE Trans Neural Syst Rehabil Eng 2004;12(1):73-80. http://dx.doi.org/10.1109/TNSRE.2003.822765

Fisekovic N, Popovic DB. New controller for functional electrical stimulation systems. Med Eng Phys 2001;23(6):391-9. http://dx.doi.org/10.1016/S1350-4533(01)00069-8

Sakzewski L, Carlon S, Shields N, Ziviani J, Ware RS, Boyd RN. Impact of intensive upper limb rehabilitation on quality of life: a randomized trial in children with unilateral cerebral palsy. Dev MedChild Neurol 2012;54(5):415-23. http://dx.doi.org/10.1111/j.1469-8749.2012.04272.x

Downloads

Publicado

2013-12-31

Como Citar

Neves, E. B., Krueger, E., de Pol, S., Oliveira, M. C. N. de, Szinke, A. F., & Rosário, M. de O. (2013). Benefícios da Terapia Neuromotora Intensiva (TNMI) para o Controle do Tronco de Crianças com Paralisia Cerebral. Revista Neurociências, 21(4), 549–555. https://doi.org/10.34024/rnc.2013.v21.8141

Edição

Seção

Artigos Originais
Recebido em 2019-02-25
Publicado em 2013-12-31

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)