Perfil de pacientes internados por Acidente Vascular Cerebral em hospital do Vale do Taquari/RS

Autores

  • Barbara Passos de Sá Acadêmica do Curso de Fisioterapia – Centro Universitário UNIVATES, Lajeado-RS. Brasil.
  • Magali TQ Grave Fisioterapeuta, Doutora, Professora do Curso de Fisioterapia e Diretora do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS) - Centro Universitário UNIVATES, Lajeado-RS, Brasil.
  • Eduardo Périco Biológo, Doutor, Professor do Curso de Biologia e Coordenador do Programa de pós-graduação em Ambiente e Desenvolvimento - Centro Universitário UNIVATES, Lajeado-RS, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2014.v22.8077

Palavras-chave:

Perfil Epidemiológico, Hospitalização, Acidente Vascular Cerebra

Resumo

Objetivo. O objetivo do estudo foi caracterizar o perfil de pacientes com Acidente Vascular Cerebral (AVC) internados via Sistema Único de Saúde (SUS) em hospital de médio porte do Vale do Taquari/RS entre 2010 a 2013. Método. Pesquisa causal, quantitativa, descritiva, transversal de censo, realizada através da coleta de dados dos prontuá­rios de internações por AVC, considerando-se o tipo, principais doen­ças associadas, faixa etária acometida, manifestações clínicas e tempo de internação. Para análise estatística foi utilizada a correlação de Spe­arman e o teste de Qui-Quadrado. Resultados. Foram identificados 125 pacientes com diagnóstico de AVC, dos quais 6,4% com Ataque Isquêmico Transitório, 78,4% com AVC Isquêmico e 15,2% com AVC Hemorrágico, sendo 50,4% do sexo feminino e 49,6% do sexo masculino. Entre as principais doenças associadas destacam-se Hiper­tensão Arterial Sistêmica, Diabetes Mellitus e Insuficiência Cardíaca Congestiva. Conclusões. Observou-se maior incidência do AVC is­quêmico, sendo a principal sequela motora a hemiplegia esquerda, não havendo diferenciação de sexo dos pacientes acometidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Oliveira DS. Análise do perfil epidemiológico de pacientes com acidente vascular encefálico atendidos na clínica escola de saúde do UNIFOR MG (monografia). Formiga: Centro Universitário de Formiga, 2013, 61p.

Almeida SEM. Análise epidemiológica do acidente vascular cerebral no Brasil. Rev Neurocienc 2012;20:481-2. http://dx.doi.org/10.4181/RNC.2012.20.483ed.2p

Umphred D, Carlson C. Reabilitação neurológica prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007, 262p.

Silva MV. Aspectos clínicos e epidemiológicos dos casos de acidente vascular encefálico hemorrágico intraparenquimatoso: perfil epidemiológico em uma série monocêntrica no Distrito Federal (dissertação). Brasília: Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2013, 71p.

Pompeu SMAA, Pompeu JE, Rosa M. Silva MR. Correlações entre função motora, equilíbrio e força respiratória pós acidente vascular cerebral. Rev Neurocienc 2011;19:614-20.

Trindade APNT, Barboza MA, Oliveira FB. Borges APO. Influência da simetria e transferência de peso nos aspectos motores após acidente vascular cerebral. Rev Neurocienc 2011;19:61-7.

Dalpian APC, Grave MTQ, Périco E. Avaliação da percepção corporal em pacientes pós-acidente vascular cerebral (AVC). Rev Neurocienc 2013;21:377- 82. http://dx.doi.org/10.4181/RNC.2013.21.856.6p

Santos JCC, Giorgetti MJS, Torello EM, Meneghetti CHZ, Ordenes IEU. A influência da Kinesio Taping no tratamento da subluxação de ombro no acidente vascular cerebral. Rev Neurocienc 2010;18:335-40.

Palmini S, Costa J, Grave M. Síndrome de Pusher em pacientes com AVC e sua associação com gravidade clínica e dependência funcional. Rev Neurocien 2013;21:69-76. http://dx.doi.org/10.4181/RNC.2013.21.789.8p

Escarcel BW, Müller MR, Rabuske M. Análise do controle postural de pacientes com AVC isquêmico próximo a alta hospitalar. Rev Neurocien 2010;18:498-504.

Iwabe C, Diz MAR, Barudy DP. Análise cinemática da marcha em indivíduos com acidente vascular encefálico. Rev Neurocienc 2008;16:292-6.

Meneghetti CHZ, Delgado GM, Pinto FD, Canonici AP, Gaino MRC. Equilíbrio em indivíduos com acidente vascular encefálico: clínica escola de fisioterapia da Uniararas. Rev Neurocienc 2009;17:14-8.

Barbosa MAR, Bona SF, Ferraz CLH, Barbosa NMRF, Silva IMC, Ferraz TMBL. Prevalência da hipertensão arterial sistêmica nos pacientes portadores de acidente vascular encefálico, atendidos na emergência de um hospital público terciário. Rev Soc Bras Clin Med 2009;7:357-60.

Scalzo PL, Souza ES, Moreira AGO, Vieira DAF. Qualidade de vida em pacientes com acidente vascular cerebral: clínica de fisioterapia PUC Minas Betim. Rev Neurocienc 2010;18:139-44.

Dobkin B. The economic impact of stroke. Neurology 1995;45(Suppl 1):S6-9.

Polese JC, Tonial A, Jung FK, Mazuco R, Oliveira SG, Schuster RC. Avaliação da funcionalidade de indivíduos acometidos por acidente vascular encefálico. Rev Neurocienc 2008;16:175-8.

Tacon KCB, Santos HCO, Castro EC. Perfil epidemiológico da hipertensão arterial sistêmica em pacientes atendidos em hospital público. Rev Soc Bras Clin Med 2010;8: 486-9.

Piassaroli CAP, Almeida GC, Luvizotto JC, Suzan ABBM. Modelos de reabilitação fisioterápica em pacientes adultos com sequelas de AVC isquêmico. Rev Neurocien 2012;20:128-37.

Pereira ABCNG, Alvarenga H, Júnior RSP, Barbosa MTS. Prevalência de acidente vascular cerebral em idosos no município de Vassouras, Rio de Janeiro, Brasil, através do rastreamento de dados do Programa Saúde da Família. Rev Cad Saúde Pub 2009;25:1929-36. http://dx.doi.org/10.1590/S0102--311X2009000900007

Leite HR, Nunes APN, Corrêa CL. Perfil epidemiológico de pacientes acometidos por acidente vascular encefálico cadastrados na estratégia de saúde da família em Diamantina MG. Rev Fisioter Pes 2009;16:34-9. http://dx.doi.org/10.1590/S1809-29502009000100007

Leite SMA. Disseminação de informações em ações específicas para o acidente vascular cerebral (dissertação). Rio de Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, 2009, 83p.

Amorim DM. Características clínicas e fatores de riscos em pacientes jovens com acidente vascular cerebral (monografia). Salvador: Faculdade de Medicina (FMB) da Universidade federal da Bahia (UFBA), 2012, 40p.

Costa JSD, Barcellos FC, Sclowitz ML, Sclowitz IKT, Castanheira M, Olinto MTA, et al. Prevalência de hipertensão arterial em adultos e fatores associados: um estudo de bases populacional urbana em Pelotas Rio Grande do Sul, Brasil. Rev Bras Cardiol 2007;88:59-65. http://dx.doi.org/10.1590/S0066-782X2007000100010

Brandão AA, Magalhães MEC, Ávila A, Tavares A, Machado CA, Campana EM, et al. Conceituação, epidemiológica e prevenção primária. J Bras Nefrol 2010;32 (supl 1):1-4. http://dx.doi.org/10.1590/S010128002010000500003

Fonseca NR, Penna AFG. Perfil do cuidador familiar do paciente com sequela de acidente vascular encefálico. Rev Cienc Saúde Col 2008;13:1175-80.

Oliveira MR, Orsini M. Escalas de avaliação da qualidade de vida em pacientes brasileiros após acidente vascular encefálico. Rev Neurocienc 2009;17:255-62.

Angeleri F, Angeleri VA, Foschi N, Ciaquinto S, Nolfe G. The influence of depression, social activity, and family stress on functional outcome after stroke. Stroke 1993;24:478-83.

Cavalcante TF, Moreira RP, Araujo TL, Lopes MVO. Fatores demográficos e indicadores de risco de acidente vascular encefálico: comparação entre moradores do município de Fortaleza e o perfil nacional. Rev Lat Am Enferm 2010;18:1-6.

Motta E, Natalio MA, Waltrick PT. Intervenção fisioterapêutica e tempo de internação em pacientes com acidente vascular encefálico. Rev Neurocienc 2008;16:118-23.

Andrade LM, Costa MFM, Caetano JA, Soares E, Beserra EP. A problemática do cuidador familiar do portador de acidente vascular cerebral. Rev Esc Enferm USP 2009;43:37-43.

Falcão IV, Carvalho EMF, Lessa FJD, Leite VMM. Acidente vascular cerebral precoce: implicações para adultos em idade produtiva atendidos pelo Sistema Único de Saúde. Rev Bras Mat Inf 2004;4:95-102.

Downloads

Publicado

2014-09-30

Como Citar

Sá, B. P. de, Grave, M. T., & Périco, E. (2014). Perfil de pacientes internados por Acidente Vascular Cerebral em hospital do Vale do Taquari/RS. Revista Neurociências, 22(3), 381–387. https://doi.org/10.34024/rnc.2014.v22.8077

Edição

Seção

Artigos Originais