Efeito postural agudo da fisioterapia aquática na encefalopatia crônica não progressiva da infância

  • Bruna Yamaguchi Fisioterapeuta, Mestranda, Universidade Federal do Paraná, Curitiba-PR, Brasil.
  • Franciele Cristina Ferreira de Souza Fisioterapeuta
  • Isabela Lucia Pelloso Villegas Fisioterapeuta, Mestre pela Universidade Federal do Paraná, Docente da Faculdade Dom Bosco, Curitiba-PR, Brasil.
  • Izabel Sampaio Gluszewicz Fisioterapeuta
  • Vera Lúcia Israel Fisioterapeuta, Doutora, Docente da Universidade Federal do Paraná, Curitiba- PR, Brasil.
Palavras-chave: Fisioterapia, Hidroterapia, Paralisia Cerebral

Resumo

Objetivo. Avaliar o efeito agudo de um procedimento de Fisioterapia Aquática, no alinhamento e simetria de tronco de crianças com En­cefalopatia Crônica Não Progressiva da Infância (ECNPI). Método. Aplicou-se a fotometria como instrumento de avaliação, comparando­-se pré e pós intervenção aquática, observando os efeitos agudos de uma única sessão, com duração de 30 minutos, em quatro sujeitos quadriparéticos espásticos, com média de idade 12,75 anos. Realiza­ram-se demarcações dos pontos anatômicos: acrômios, últimas coste­las e espinhas ilíacas ântero-superiores (EIAS), foto na postura sentada em cadeira de rodas. Utilizou-se o software Corel Draw para identi­ficação de alterações na postura comparando a altura entre os pontos demarcados no plano horizontal. Para fidedignidade dessas medidas, utilizou-se o Coeficiente de Correlação Intraclasse (ICC), que verifica possíveis erros de medidas dependentes do avaliador. Resultados. O ICC resultou em 0,95. Observou-se que houve maior alinhamento e simetria corporal nos quatro sujeitos após a intervenção (p<0,05) e entre os pontos acrômios (0,02), EIAS (0,03) e não houve diferença entre últimas costelas (0,48). Conclusão. Neste estudo, concluiu-se que a Fisioterapia aquática apresentou um efeito agudo positivo na postura de crianças com ECNPI avaliadas.

Métricas

Carregando métricas...

Referências

Rotta NT. Paralisia Cerebral, novas perspectivas terapêuticas. J Pediatr 2002;78:50-4.

Jacques KC, Drumond NR, Andrade SAF, Chaves-Júnior IP, Toffo WC. Eficácia da hidroterapia em crianças com encefalopatia crônica não progressiva da infância: revisão sistemática. Fisioterov 2010;23:53-61. dx.doi.org/10.1590/ S0103-51502010000100005

Weinert LVC, Bellani CDF. Fisioterapia em pediatria. Curitiba: Omnipax; 2011, 350p.

Iwabe C, Piovesana AMSG. Estudo comparativo do tono muscular na paralisia cerebral tetraparética em crianças com lesões predominantemente corticais ou subcorticais na tomografia computadorizada de crânio. Arq Neuropsiquiatr 2003;61:617-20. dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2003000400017

Mancini MC, Fiúza PM, Rebelo JM, Magalhães LC, Coelho ZAC, Paixão ML, et al. Comparação de desempenho de atividades funcionais em crianças com desenvolvimento normal e crianças com paralisia cerebral. Arq Neuropsiquiatr 2002;60:446-52. dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2002000300020

Mota AP, Pereira JS. Influência da Fisioterapia nas alterações motoras em crianças com paralisia cerebral. Fisioter Bras 2006;7:209-12.

Vasconcelos RLM, Moura TL, Campos TF, Lindquist ARR, Guerra RO. Avaliação do desempenho funcional de crianças com paralisia cerebral de acordo com níveis de comprometimento motor. Rev Bras Fisioter 2009;13:390-7.

Silva JO, Martins JC, Morais RLS, Gomes WF. Influência de estimulação aquática no desenvolvimento de crianças de 0 a 18 meses: um estudo piloto. Fisioter Pesqui 2009;16:335-40. Rev Neurocienc 2015;23(1):130-135

Díez EG. Fisioterapia de la espasticidad: técnicas y metodos. Fisioterapia 2004;26:25-35. dx.doi.org/10.1016/S0211-5638(04)73080-1

Biasoli MC, Machado MC. Hidroterapia: aplicabilidades clínicas. Rev Bras Med 2006;63:225-37.

Caromano FA, Candeloro JM. Fundamentos da hidroterapia para idosos. Arq Cienc Saúde Unipar 2001;5:187-95.

Israel VL, Pardo MBL. Hidroterapia: proposta de um programa de ensino no trabalho com lesado medular em piscina térmica. Fisioter Mov 2000;13:111-27.

Resende SM, Rassi CM, Viana FP. Efeitos da hidroterapia na recuperação do equilíbrio e prevenção de quedas em idosas. Rev Bras Fisioter 2008;12:56- 63. dx.doi.org/10.1590/S1413-35552008000100011

Rosa GKB, Marques I, Medina-Papst J, Gobbi TB. Desenvolvimento motor de criança com paralisia cerebral: avaliação e intervenção. Rev Bras Educ Espec 2008;14:163-76. dx.doi.org/10.1590/S1413-65382008000200002

Portney LG, Watkins MP. Foundations of clinical research applications to practice. 2ª ed. New Jersey: Prentice-Hall, 2000, 892p.

Melo FR, Alves DAG, Leite JMRS. Benefícios da hidroterapia para espasticidade em uma criança com hidrocefalia. Rev Neurocienc 2012;20:415-21. dx.doi.org/10.4181/RNC.2012.20.707.7p

Trindade KGR, Ceslestino ML, Barela AMF. Utilização da informação visual no controle postural de crianças com paralisia cerebral. Fisioter Mov 2013;26:107-14. dx.doi.org/10.1590/S0103-51502013000100012

Meneghetti CHZ, Basqueira C, Fioramornte C, Ferracini-Júnior LC. Influencia da Fisioterapia aquática no controle de tronco na Síndrome de Pusher: estudo de caso. Fisioter Pesq 2009;16:269-73. dx.doi.org/10.1590/S1809-29502009000300014

Gorter JW, Currie SJ. Aquatic Exercise Programs for Children and Adolescents with Cerebral Palsy: What Do We Know and Where Do We Go? Int J Pediatr 2011;2011:712165. dx.doi.org/10.1155/2011/712165

Publicado
2015-03-31
Como Citar
Yamaguchi, B., Souza, F. C. F. de, Villegas, I. L. P., Gluszewicz, I. S., & Israel, V. L. (2015). Efeito postural agudo da fisioterapia aquática na encefalopatia crônica não progressiva da infância. Revista Neurociências, 23(1), 130-135. https://doi.org/10.34024/rnc.2015.v23.8062
Seção
Relato de Caso