Efeito postural agudo da fisioterapia aquática na encefalopatia crônica não progressiva da infância

Autores

  • Bruna Yamaguchi Fisioterapeuta, Mestranda, Universidade Federal do Paraná, Curitiba-PR, Brasil.
  • Franciele Cristina Ferreira de Souza Fisioterapeuta
  • Isabela Lucia Pelloso Villegas Fisioterapeuta, Mestre pela Universidade Federal do Paraná, Docente da Faculdade Dom Bosco, Curitiba-PR, Brasil.
  • Izabel Sampaio Gluszewicz Fisioterapeuta
  • Vera Lúcia Israel Fisioterapeuta, Doutora, Docente da Universidade Federal do Paraná, Curitiba- PR, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2015.v23.8062

Palavras-chave:

Fisioterapia, Hidroterapia, Paralisia Cerebral

Resumo

Objetivo. Avaliar o efeito agudo de um procedimento de Fisioterapia Aquática, no alinhamento e simetria de tronco de crianças com En­cefalopatia Crônica Não Progressiva da Infância (ECNPI). Método. Aplicou-se a fotometria como instrumento de avaliação, comparando­-se pré e pós intervenção aquática, observando os efeitos agudos de uma única sessão, com duração de 30 minutos, em quatro sujeitos quadriparéticos espásticos, com média de idade 12,75 anos. Realiza­ram-se demarcações dos pontos anatômicos: acrômios, últimas coste­las e espinhas ilíacas ântero-superiores (EIAS), foto na postura sentada em cadeira de rodas. Utilizou-se o software Corel Draw para identi­ficação de alterações na postura comparando a altura entre os pontos demarcados no plano horizontal. Para fidedignidade dessas medidas, utilizou-se o Coeficiente de Correlação Intraclasse (ICC), que verifica possíveis erros de medidas dependentes do avaliador. Resultados. O ICC resultou em 0,95. Observou-se que houve maior alinhamento e simetria corporal nos quatro sujeitos após a intervenção (p<0,05) e entre os pontos acrômios (0,02), EIAS (0,03) e não houve diferença entre últimas costelas (0,48). Conclusão. Neste estudo, concluiu-se que a Fisioterapia aquática apresentou um efeito agudo positivo na postura de crianças com ECNPI avaliadas.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Rotta NT. Paralisia Cerebral, novas perspectivas terapêuticas. J Pediatr 2002;78:50-4.

Jacques KC, Drumond NR, Andrade SAF, Chaves-Júnior IP, Toffo WC. Eficácia da hidroterapia em crianças com encefalopatia crônica não progressiva da infância: revisão sistemática. Fisioterov 2010;23:53-61. dx.doi.org/10.1590/ S0103-51502010000100005

Weinert LVC, Bellani CDF. Fisioterapia em pediatria. Curitiba: Omnipax; 2011, 350p.

Iwabe C, Piovesana AMSG. Estudo comparativo do tono muscular na paralisia cerebral tetraparética em crianças com lesões predominantemente corticais ou subcorticais na tomografia computadorizada de crânio. Arq Neuropsiquiatr 2003;61:617-20. dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2003000400017

Mancini MC, Fiúza PM, Rebelo JM, Magalhães LC, Coelho ZAC, Paixão ML, et al. Comparação de desempenho de atividades funcionais em crianças com desenvolvimento normal e crianças com paralisia cerebral. Arq Neuropsiquiatr 2002;60:446-52. dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2002000300020

Mota AP, Pereira JS. Influência da Fisioterapia nas alterações motoras em crianças com paralisia cerebral. Fisioter Bras 2006;7:209-12.

Vasconcelos RLM, Moura TL, Campos TF, Lindquist ARR, Guerra RO. Avaliação do desempenho funcional de crianças com paralisia cerebral de acordo com níveis de comprometimento motor. Rev Bras Fisioter 2009;13:390-7.

Silva JO, Martins JC, Morais RLS, Gomes WF. Influência de estimulação aquática no desenvolvimento de crianças de 0 a 18 meses: um estudo piloto. Fisioter Pesqui 2009;16:335-40. Rev Neurocienc 2015;23(1):130-135

Díez EG. Fisioterapia de la espasticidad: técnicas y metodos. Fisioterapia 2004;26:25-35. dx.doi.org/10.1016/S0211-5638(04)73080-1

Biasoli MC, Machado MC. Hidroterapia: aplicabilidades clínicas. Rev Bras Med 2006;63:225-37.

Caromano FA, Candeloro JM. Fundamentos da hidroterapia para idosos. Arq Cienc Saúde Unipar 2001;5:187-95.

Israel VL, Pardo MBL. Hidroterapia: proposta de um programa de ensino no trabalho com lesado medular em piscina térmica. Fisioter Mov 2000;13:111-27.

Resende SM, Rassi CM, Viana FP. Efeitos da hidroterapia na recuperação do equilíbrio e prevenção de quedas em idosas. Rev Bras Fisioter 2008;12:56- 63. dx.doi.org/10.1590/S1413-35552008000100011

Rosa GKB, Marques I, Medina-Papst J, Gobbi TB. Desenvolvimento motor de criança com paralisia cerebral: avaliação e intervenção. Rev Bras Educ Espec 2008;14:163-76. dx.doi.org/10.1590/S1413-65382008000200002

Portney LG, Watkins MP. Foundations of clinical research applications to practice. 2ª ed. New Jersey: Prentice-Hall, 2000, 892p.

Melo FR, Alves DAG, Leite JMRS. Benefícios da hidroterapia para espasticidade em uma criança com hidrocefalia. Rev Neurocienc 2012;20:415-21. dx.doi.org/10.4181/RNC.2012.20.707.7p

Trindade KGR, Ceslestino ML, Barela AMF. Utilização da informação visual no controle postural de crianças com paralisia cerebral. Fisioter Mov 2013;26:107-14. dx.doi.org/10.1590/S0103-51502013000100012

Meneghetti CHZ, Basqueira C, Fioramornte C, Ferracini-Júnior LC. Influencia da Fisioterapia aquática no controle de tronco na Síndrome de Pusher: estudo de caso. Fisioter Pesq 2009;16:269-73. dx.doi.org/10.1590/S1809-29502009000300014

Gorter JW, Currie SJ. Aquatic Exercise Programs for Children and Adolescents with Cerebral Palsy: What Do We Know and Where Do We Go? Int J Pediatr 2011;2011:712165. dx.doi.org/10.1155/2011/712165

Downloads

Publicado

2015-03-31

Como Citar

Yamaguchi, B., Souza, F. C. F. de, Villegas, I. L. P., Gluszewicz, I. S., & Israel, V. L. (2015). Efeito postural agudo da fisioterapia aquática na encefalopatia crônica não progressiva da infância. Revista Neurociências, 23(1), 130–135. https://doi.org/10.34024/rnc.2015.v23.8062

Edição

Seção

Relato de Caso
##plugins.generic.dates.received## 2019-02-07
##plugins.generic.dates.published## 2015-03-31

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.