Alternativas para a diminuição do uso de animais na educação

  • Fernando Canova Neurocientista, Doutor, Pesquisador no Laboratório de Estudos do Estresse - LABEEST, Departamento de Biologia Estrutural e Funcional, Instituto de Biologia, Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP, Campinas-SP, Brasil.
  • Priscila Cristina da Silva Bióloga, Laboratório de Estudos do Estresse - LABEEST, Departamento de Biologia Estrutural e Funcional, Instituto de Biologia, Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP, Campinas-SP, Brasil.
  • Dora Maria Grassi Kassisse Doutora, Professora, Laboratório de Estudos do Estresse - LABEEST, Departamento de Biologia Estrutural e Funcional, Instituto de Biologia, Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP, Campinas-SP, Brasil.
Palavras-chave: Educação, Ensino, Alternativas

Resumo

O uso de animais com objetivos acadêmicos é uma prática comum que vem sendo criticada por diversas instituições e mesmo pela po­pulação, há mais de 10 anos. Atualmente, no Brasil, os graduandos podem se recusar a participar de aulas que utilizam de animais em sa­las de aula. Diversos docentes já utilizam material alternativo em suas aulas de neurociências. São utilizados vídeos ou softwares no lugar do uso de animais. Estas práticas têm tido grande aceitação dos alunos, que veem grande potencial no método, pois diferente do que ocorre com o uso do animal, no vídeo ou com a utilização de um software pode-se rever o experimento com detalhes, mesmo após a realização das aulas. Desse modo, ocorre melhor assimilação do conhecimento transmitido, favorecendo não só o aluno, mas também o docente e os demais envolvidos, pois se torna uma atividade mais dinâmica e menos traumática.

Métricas

Carregando métricas...

Referências

Cerqueira N. Métodos alternativos ainda são poucos e não substituem totalmente o uso de animais. Cienc Cult 2008;60:47-9.

TactusTechnologies (Endereço na Internet). V-Frog – TM. Akron – USA (atualizado em 3/2013; acessado em 3/2015). disponível em: http://www.tactustech.com/vfrog/

Xyo. Rat Dissection para iPad (Endereço na Internet). USA (atualizado em 12/2012; acessado em 3/2015). Disponível em: http://br.xyo.net/ipad-app/rat-dissection-2Z0H7OU/

NC3Rs (Endereço na Internet). London: The 3Rs [atualizado em 3/2015; acessado em 3/2015). Disponível em: http://www.nc3rs.org.uk/the-3rs.

Genetic Science Learning Center (Endereço na Internet). University of Utah (atualizado em 6/2014; acessado em 3/2015). Disponível em: http://learn.genetics. utah.edu/

JoVE - Journal of Visualized Experiments (Endereço na Internet). Cambridge – USA (atualizado em 3/2015; acessado em 3/2015). Disponível em: http://www.jove.com/

Diniz R, Duarte ALA, Oliveira CAS, Romiti M. Animais em aulas práticas: podemos substituí-los com a mesma qualidade de ensino? Rev Bras Edu Med 2006;30:31-40. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022006000200005

Jukes N. Are animals necessary in biological education? Altern Lab Anim 2004;32(Suppl 1B):753-4.

Feijó AGS, Sanders A, Centurião AL, Rodrigues GS, Schwanke CH. A Análise de indicadores éticos do uso de animais na investigação científica e no ensino em uma Amostra Universitária da Área da Saúde e das Ciências Biológicas. Sci Med 2008;18:10-9.

Froguts Virtual Dissections (Endereço na Internet). The National Association of Biology Teachers (atualizado em 2012; acessado em 3/2015). Disponívelem: http://www.froguts.com/

Ensinando Ciencia com arte (Endereço na Internet). Rio de Janeiro: UFRJ, Instituto de Bioquímica Médica (acessado em 3/2015). Disponível em: http://www2.bioqmed.ufrj.br/corpo/enscienciaearte.html

Publicado
2015-06-30
Como Citar
Canova, F., Silva, P. C. da, & Kassisse, D. M. G. (2015). Alternativas para a diminuição do uso de animais na educação. Revista Neurociências, 23(2), 313-316. https://doi.org/10.34024/rnc.2015.v23.8038
Seção
Texto de Opinião